segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Vencendo o gigante da Luxúria


Por: Josias Moura de Menezes
Igreja Betel Brasileiro Geisel - João Pessoa - PB
www.josiasmoura.com
 
Gálatas 5.19

Em sua opinião, antigamente as pessoas eram mais, ou menos maliciosas do que hoje?

O assunto do estudo de hoje é "luxúria", uma palavra com muitos sinônimos que descrevem um mesmo e velho pecado. Para começo de conversa, busquemos definições do dicionário para três palavras que estão relacionadas:

•Luxúria: incontinência, lascívia, sensualidade, dissolução, corrupção, libertinagem;
•Lascívia: luxúria, libertinagem, sensualidade;
•Libertinagem: devassidão. O termo "libertinagem" é explicado da seguinte maneira, em nota da Nova Versão Internacional da Bíblia: "ato de viver somente para o prazer próprio, de esbanjar a vida em prazeres tolos ou perversos".

Breve Análise do Texto

Nas variadas versões da Bíblia, há textos onde uma mesma palavra foi traduzida para o nosso idioma com uma ou outra dessas palavras acima. Por exemplo, em Gálatas 5.19 aparece a palavra lascívia (na edição Almeida Atualizada), e luxúria, com esta mesa idéia de uma vida sem regras e entregue às paixões desenfreadas, onde o corpo é consumido no prazer, sem levar em conta as conseqüências.

Comentando Gálatas 5.19, G. Hendriksen afirma que os três vícios aí mencionados "têm um significado distinto, contudo, os três vícios têm algo em comum, a saber, um desvio da vontade de Deus quanto ao sexo".

Temos, na Bíblia, um livro voltado para a experiência da sexualidade humana – Cântico dos Cânticos. Mas ali, como de resto em toda a Bíblia, a sexualidade está colocada dentro de um plano de tal forma elaborado, que a vida humana cresce em dignidade e o sexo ganha em beleza e em sentido. Porém, o que temos na sociedade atual difere bastante da conduta digna e bela na qual o ser humano deveria viver. Há, portanto, grave contraste entre as opções das pessoas e o projeto divino para a vida sexual humana. Há a diferença entre luxúria e dignidade humana na sexualidade.

Ao inserir-se nessa questão, é importante levar em consideração o seguinte:


Tópicos para Reflexão

1. UM MUNDO EM BUSCA DE PRAZER

Não precisamos e não devemos ficar com falso saudosismo, sempre a dizer: "Ah, anti­gamente não era assim…" Em que pese toda a malícia humana que cresce e aparece, há muitos aspectos que são quase que perma­nentes na história da raça humana, e outras coisas são mais ou menos recorrentes (veja Os. 4).

Homens e mulheres sempre estiveram em busca do prazer. Há muitas coisas que podem dar prazer. No presente estudo, desta­ca-se o sexo. A luxúria é o abuso do sexo, quando não se contém e não se controla, mas se corrompe e vive dissolutamente.

Uma das principais características desse tipo de vida é o individualismo. Aí o sexo é usado de forma a satisfazer os apetites de uma única pessoa. Não há uma preocupação mí­nima com a outra pessoa.

Outra característica da luxúria é a multipli­cação das relações sexuais, como se muito sexo com muitas pessoas diferentes capaci­tasse o ser humano a tornar-se melhor; como se o homem fosse mais masculino e a mulher mais feminina com a multiplicação das rela­ções.

Uma terceira característica é que a prática sexual se torna insaciável. O ser humano não se contém, nunca está satisfeito e pensa no sexo como se fosse capaz de lhe trazer res­postas e dignidade; então, nunca para. Ainda outro ponto, é que essas relações tendem a ser efêmeras. São passageiras, aleatórias e sem qualquer compromisso, pois não há o respeito de convivência.

O livro de Apocalipse nos apresenta a que­da da grande Babilônia, o império que domi­nava e oprimia as pessoas. Riquíssimo e po­deroso, deixou-se perder na luxúria (a pala­vra aparece 3 vezes em Apocalipse 18). A der­rota, o enfraquecimento moral, a queda são precedidos por uma vida de luxúria.


2. UM PROJETO DIVINO PARA O SER HUMANO E PARA O MUNDO

No livro da criação, Gênesis, encontra­mos, de modo muito claro, que Deus criou o ser humano macho e fêmea (Gn 1.27,28). Há alguns destaques que devemos fazer com re­lação ao assunto:

•Deus criou o ser humano à sua imagem e semelhança. Não é o homem (macho) nem a mulher (fêmea) que isoladamente são apre­sentados como imagem de Deus. Deus criou homem e mulher como seres iguais em es­sência.

•O ser humano, dividido entre homens e mulheres essencialmente iguais, é diferente em determinados aspectos. Estas diferenças não significam superioridade ou inferiorida­de de um ou outro, mas existem para que ho­mem e mulher se complementem, se comple­tem. E, aqui, a sexualidade humana exerce um papel fundamental. Um aspecto físico des­sa complementação que uma parte significa para a outra, é a reprodução humana. Para a geração de uma vida, é necessário o concur­so do homem e da mulher.

•A sexualidade, embora sendo parte da reprodução humana, não pode ser resumida aos aspectos físicos exclusivamente. Isto é, a sexualidade não se refere unicamente aos ór­gãos sexuais ou órgãos genitais. Conforme o projeto de Deus, são necessários uma mulher e um homem para a reprodução. Porém, deve-se levar em conta que o ser humano é com­posto de outras partes que se integram, além da sexualidade. Então, a relação entre os se­xos deve também ter outros aspectos, pois, ao ser humano foi dado o privilégio de ter imagem divina, de dominar sobre a terra, de comunicar-se etc. A prática sexual deve, necessariamente, estar ligada ao amor, ao cari­nho, à afetividade e ao compromisso.

3. UM DESAFIO À IGREJA

Porque somos cristãos e conhecemos o projeto divino para o ser humano e vivemos em uma sociedade que se distancia desse projeto, devemos considerar a tão grande res­ponsabilidade que a igreja de Jesus Cristo tem perante a sociedade e diante do Deus Eterno que nos chamou para uma missão no mun­do. Pois bem, apresentar o desejo divino para a raça humana no que concerne à sexualida­de faz parte da missão integral da igreja.

Al­guns quesitos são aqui propostos:

•Ter uma visão bíblica clara e correta do cor­po humano é fundamental. Devemos erradicar do pensamento cristão a idéia de que o corpo é mau e serve apenas de prisão para uma alma boa que deve voltar-se para Deus. Esta idéia é dos gregos antigos e não é encontrada na Bí­blia. Na teologia bíblica, o corpo foi criado por Deus tão bom quanto a parte espiritual. Aliás, para o pensamento hebreu, nem há di­visão entre parte material e parte espiritual. O ser humano é perfeitamente uno, integral, numa perfeita unidade: corpo e alma.

•A igreja deve apresentar um claro ensi­no sobre a sexualidade, a partir da sadia dou­trina do corpo humano. Não é possível deixar de falar em sexo com nossos jovens, adoles­centes, crianças e adultos. Devemos derru­bar tabus para que, aprendendo com uma boa teologia bíblica evangélica, nossos irmãos e irmãs não descubram sobre sexualidade coi­sas distorcidas, como está cheio na televisão, no rádio, nas rodinhas de bate-papo, nos jor­nais e nas revistas especializadas (em que pese haver coisas boas aí, eventualmente).

•É preciso deixar muito claro que a ativi­dade sexual envolve o carinho, a afetividade, o amor e o compromisso entre as pessoas. Este ensino é importante nos dias atuais, em que a moda é "ficar" (como dizem os adolescentes e jovens) apenas para desfrutar de um prazer eventual e passageiro (às vezes com graves conseqüências), mesmo sem conhe­cimento prévio do parceiro ou da parceira -prática da luxúria.

•A igreja deve ser um espaço de acolhi­mento, amparo e orientação para aquelas pes­soas que, porventura, despencaram na vida emocional e sexual. Muitas vezes agimos mais como punidores e torturadores do que como pessoas amorosas, que amparam e ajudam os outros a levantar, para andar melhor.

•A igreja deve ter uma clara percepção da ação divina nela e através dela, pois é a ação de Deus que nos capacita a deixar as "obras da carne" e produzir o "fruto do Espírito" (Gl 5.16-25). Portanto, forças para agir de modo diferente do mundo vêm de Deus, não de nós mesmos (Rm 8.5-11).

•A igreja, dirigida pelo Espírito de Jesus Cristo, não pode ter medo ou vergonha de apresentar ao mundo o contraste da Palavra de Deus em relação ao que se faz hoje. Para­lela à ação dentro dos próprios muros eclesi­ásticos, deve-se ter uma ação externa que confronte o mundo e provoque mudanças (Rm 12.2).

Reflexão Pessoal

1. O que você pode fazer, em sua vida pessoal, acerca dos programas de televisão, músicas ou literatura que incentivam a luxúria?

2. Você tem cultivado uma sexualidade conforme os padrões bíblicos?

3. Você acha que, em determinados casos, o indivíduo deve procurar ajuda para tratar o problema da luxúria?

20 dicas para se libertar da pornografia


Por: Jânio Santos de Oliveira
Presbítero e professor de teologia da Igreja Assembléia de Deus Taquara - Duque de Caxias - RJ
janio-estudosteolgicos.blogspot.com
 
Meus amados e queridos irmãos em Cristo Jesus, a Paz do Senhor!

O consumo de material erótico tem se tornado cada vez mais freqüente entre os próprios evangélicos à medida que a pornografia se torna mais e mais disponível através da mídia e da Internet.

Muito embora as estatísticas sugiram que a média de evangélicos viciados em pornografia é menor do que a média entre outros grupos, ainda assim permanece esta realidade perturbadora: muitos que se dizem filhos de Deus e nascidos de novo vêem, de forma regular, imagens contendo material que, de acordo com a Bíblia, é sexualmente imoral.

Estas imagens expõem e promovem explicitamente o adultério, a prostituição, a fornicação, o homossexualismo e toda sorte de perversão sexual. Os grupos mais atingidos pela indústria pornográfica são os de adolescentes e jovens, muito embora existam muitos adultos envolvidos.

I. Breve Histórico da Pornografia

A representação gráfica da nudez humana, bem como das relações sexuais, é algo bem antigo na história do homem.

A arqueologia revelou que em muitas das paredes dos templos pagãos Cananitas, que foram destruídos pelos israelitas quando conquistaram a terra por volta de 1.300 anos antes de Cristo (Lv 26.1; Nm 33.52), havia desenhos de órgãos sexuais masculinos e femininos. Essas são as formas mais antigas de pornografia que conhecemos.

Os Cananitas aparentemente representavam os órgãos genitais nas paredes para excitar os adoradores e estimulá-los à prática da prostituição sagrada.

Os israelitas, em contraste, tinham uma atitude totalmente diferente quanto à exposição dos órgãos sexuais. Em suas Escrituras Sagradas estava escrito que Deus cuidou em cobrir a nudez do primeiro casal após a Queda (Gn 2.25; 3.7-10).

Havia uma preocupação em que as vestimentas cobrissem os órgãos genitais (Ex 28.42-43), a ponto de existir uma determinação na lei de Moisés de que o sacerdote deveria ter cuidado para não subir as escadas do altar de forma a deixar que seus órgãos genitais ficassem expostos (Ex 20.26).

Cão, o filho de Noé, foi condenado por ter visto a nudez de seu pai. A própria Bíblia se refere à genitália de forma reservada, usando às vezes eufemismos como “nudez” (Lv 18), “pele nua” (Ex 28.42), “membro viril” (Dt 23.1), “entre os pés” (Dt 28.57) e “parte indecorosa” (1 Co 12.23), só para citar alguns exemplos.

Os gregos antigos usavam temas pornográficos em canções empregadas nos festivais em honra ao deus Dionísio, séculos antes de Cristo. Nas ruínas romanas de Pompéia, destruída na erupção do Vesúvio em 79 d.C., há pinturas pornográficas nas paredes de algumas edificações representando órgãos sexuais masculinos e propaganda de serviços de prostituição.

A pornografia também era usada em algumas culturas orientais antigas como Índia, Japão e China.

Bastante antiga e amplamente divulgada é a obra Kama Sutra, escrita na Índia por volta do ano 2500 a.C., um manual contendo gravuras das mais grotescas formas de relação sexual. Na Europa medieval, o Decamerão (1353) do italiano Giovanni Boccaccio, obra abertamente pornográfica, tinha grande circulação.

Com o advento da mídia eletrônica em décadas recentes, a pornografia passou a ser um problema social de grandes proporções. O cinema, a televisão, o vídeo e a TV a cabo se tornaram canais poderosos pelos quais todos os tipos de pornografia se tornaram amplamente disponíveis ao grande público.

A partir daí a indústria pornográfica cresceu de forma massiva, pois as pessoas passaram a consumir pornografia em suas próprias casas, sem precisar ir ao cinema ou à banca de revistas. Surgiram também jogos pornográficos de computador.

E mais tarde, com o advento da Internet, a disponibilidade e a facilidade de acesso à pornografia multiplicou-se de forma inimaginável. Devido ao acesso internacional e ao custo zero de copiar e baixar imagens na Internet, a cyber-pornografia tornou-se a forma mais popular de pornografia hoje.

II. O Que É Pornografia?

Alguém já disse que é mais fácil reconhecer a pornografia do que defini-la. De forma geral, podemos dizer que pornografia é a representação da nudez e do comportamento sexual humano com o objetivo de produzir excitamento sexual. Esta representação é feita através de imagens animadas (filmes, vídeos, computador), fotografias, desenhos, textos escritos ou falados.

A pornografia explora o sexo, tratando os seres humanos como coisas e, em particular, as mulheres como objetos sexuais.

A palavra pornografia vem do grego e significa literalmente “escrever sobre prostituta”. Com o tempo, passou a referir-se a qualquer material, escrito ou gráfico, de conteúdo sexual. O termo é usado hoje de forma negativa.

A indústria pornográfica que produz filmes, revistas, vídeos e sites na Internet, prefere usar outros termos, como “material adulto”.

Esta manobra é um eufemismo que visa retirar deste sórdido comércio a pecha negativa que ele possui.

É importante, porém, fazer uma distinção entre erotismo e pornografia. Existe um erotismo saudável, que consiste na exploração da sexualidade dentro do casamento. O livro de Provérbios nos traz um exemplo disto:

“Bebe a água da tua própria cisterna e das correntes do teu poço. Derramar-se-iam por fora as tuas fontes, e, pelas praças, os ribeiros de águas? Sejam para ti somente e não para os estranhos contigo.

Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade, corça de amores e gazela graciosa.

Saciem-te os seus seios em todo o tempo; e embriaga-te sempre com as suas carícias. Por que, filho meu, andarias cego pela estranha e abraçarias o peito de outra?” (Pv 5.15-20)

Ou ainda, o livro de Cantares de Salomão:

“Beija-me com os beijos de tua boca; porque melhor é o teu amor do que o vinho” (Ct 1.2).

“Que belo é o teu amor, ó minha irmã, noiva minha! Quanto melhor é o teu amor do que o vinho, e o aroma dos teus ungüentos do que toda sorte de especiarias! Os teus lábios, noiva minha, destilam mel.

Mel e leite se acham debaixo da tua língua, e a fragrância dos teus vestidos é como a do Líbano” (Ct 4.10-11).

“Os teus beijos são como o bom vinho, vinho que se escoa suavemente para o meu amado, deslizando entre seus lábios e dentes. Eu sou do meu amado, e ele tem saudades de mim. Vem, ó meu amado, saiamos ao campo, passemos as noites nas aldeias. Levantemo-nos cedo de manhã para ir às vinhas; vejamos se florescem as vides, se abre a flor, se já brotam as romeiras; dar-te-ei ali o meu amor” (Ct 7.9-12).

Estas passagens mostram que o Senhor nos criou com sexualidade e que a mesma pode ser explorada e desfrutada dentro do ambiente do casamento.

A pornografia é diferente, pois visa o excitamento sexual através da exibição de imagens explícitas de sexo, nudez e órgãos sexuais sem fazer qualquer distinção moral ou levar em conta adultério, prostituição, lesbianismo, além de formas pervertidas de relações sexuais.

III. Perguntas e Respostas Sobre a Pornografia

1. Quais os fatores que contribuíram para o crescimento vertiginoso da indústria da pornografia?

São diversos:

a. a liberação sexual iniciada nos anos 60, trazendo libertinagem e permissividade;

b. a crescente exposição da mulher, desde o surgimento do biquíni; o advento da pílula anticoncepcional; o movimento feminista;

c. a ênfase das novas democracias em liberdade de expressão;

d. o surgimento da Internet e do vídeo-cassete.

No Brasil, após a queda da ditadura, veio a liberdade de expressão e com ela a banalização da pornografia.

2. Por que as igrejas não falam mais deste assunto, já que certamente existem muitos membros viciados em pornografia?

Primeiro, porque é considerado como assunto melindroso de ser tratado em público; segundo, alguns líderes receiam despertar o interesse das pessoas pela pornografia se começarem a falar sobre ela; terceiro, pode ser que a própria liderança de algumas igrejas não se sinta autorizada a falar contra isto pelo fato de estarem, eles mesmos, lutando contra a adição à pornografia.

Ao final, é dever da Igreja orientar seus membros quanto ao ensino bíblico da sexualidade. E neste mister terá de encarar a realidade da pornografia entre cristãos.

Uma abordagem honesta, firme e bíblica instruirá a comunidade sem despertar curiosidades indevidas.

3. Músicas populares com letras explicitamente sexuais são também consideradas como pornografia?

Sim. A letra destas músicas contém convites à relação sexual, expressa os desejos e taras sexuais dos autores, descreve as relações sexuais. É inimaginável que cristãos se divirtam ao som de músicas assim.

4. É lícito a casais cristãos usarem material erótico (como revistas e vídeos) em busca de maior enriquecimento das relações sexuais dentro do casamento?

Não, pelas seguintes razões:

a. Produzirá uma comparação injusta do casal com os modelos que posam e encenam para material pornográfico;

b. Abrirá as portas para uma dependência da pornografia, pois aumentará a tolerância para com este tipo de material;

c. Acima de tudo, se constitui em violação do ensino do Senhor Jesus sobre a pureza das intenções no olhar para uma mulher (Mt 5.28), do ensino de Paulo sobre ocupar a mente com coisas aprovadas por Deus (Fp 4.8) e do décimo mandamento “não cobiçarás a mulher do teu próximo” (Ex 20.17).

Em busca de maiores esclarecimentos e melhoria na vida sexual, casais cristãos podem utilizar livros sobre a sexualidade escritos da perspectiva bíblica, que ajudam a aprofundar a intimidade marital e melhorar a técnica sexual no casamento, sem incorrer em adultério e nos riscos envolvidos no uso de material pornográfico.

5. É errado fantasiar durante as relações maritais, trazendo à mente imagens de relações sexuais?

Sim, conforme resposta dada à pergunta anterior. É uma violação de Mateus 5.28 e de Filipenses 4.8.

6. A pornografia vicia?

A julgar pela quantidade de pessoas que consomem regularmente material pornográfico anos a fio e pela quantidade de cristãos que lutam durante muito tempo para se libertar do hábito de ver pornografia, respondemos que sim.

Da mesma forma que fumantes estão conscientes dos males que o fumo causa à sua saúde, porém não conseguem renunciar ao prazer que fumar lhes traz, os adictos à pornografia, mesmo conscientes dos males que ela traz para sua alma e para sua família, não conseguem com facilidade renunciar ao seu prazer, ainda que pecaminoso.

Adictos da pornografia precisam de ajuda para vencer o hábito.

7. Por que cristãos, que sabem que a pornografia é danosa e pecaminosa, se aventuram ainda a visitar sites pornográficos na Internet?

Vários aspectos da pornografia pela Internet a tornam uma tentação ainda maior para os cristãos: ela é acessível, barata ou grátis, e seu consumo é absolutamente anônimo.

Os cristãos não mais precisam sair de suas casas e enfrentar a vergonha de ir a uma banca de revista ou videoteca para adquirir pornografia – a mesma é abundantemente disponível em sua casa, sob todas as formas, num clique do computador. A razão primordial, porém, é a degradação do coração humano.

Tal corrupção permanece no cristão e o inclina a todo mal. Conforme ensina o Senhor Jesus, “de dentro, do coração dos homens, é que procedem os maus desígnios, a prostituição, … os adultérios … as malícias … a lascívia…” (Mc 7.22-23). Ensina ainda o apóstolo Paulo: “as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia…” (Gl 5.19).

8. O que caracteriza um cristão viciado em pornografia?

: A principal característica é o consumo regular de material pornográfico. A freqüência pode variar, desde diário até uma ou duas vezes ao mês. O que importa é que o cristão, apesar de sentir-se culpado, acaba sempre retornando para mais uma olhada.

Não estamos dizendo que olhar uma vez por ano é permitido. Continua sendo pecaminoso da mesma forma, mas não caracteriza o vício.

9. Quando alguém viciado em pornografia deveria procurar ajuda pastoral?

Tão logo perceba que realmente se tornou um hábito que não consegue vencer sozinho, ou no caso de casados, quando percebe que não consegue libertar-se somente com a ajuda do cônjuge.

Muito embora alguém relute, envergonhado, em revelar seu problema secreto, é preferível sofrer esta humilhação do que mergulhar mais e mais neste vício danoso.

10. O consumo de pornografia é um problema que afeta somente os homens cristãos?

Infelizmente, não. Mulheres cristãs também têm sido afetadas e se tornam consumidoras de pornografia. Há um número crescente de mulheres envolvidas, de acordo com estatísticas recentes.

Antes, as mulheres eram mais viciadas em novelas e romances. Com o advento da Internet, são as principais freqüentadoras das salas de chat (bate-papo), onde tudo pode acontecer.

Em tempos recentes, mais e mais mulheres – inclusive cristãs – têm se tornado consumidoras de pornografia pela Internet.

Para alguns pesquisadores, as mudanças culturais pós-modernas têm engendrado mudanças na mente feminina, de forma neuroquímica e neuroanatômica, tornando-as mais propensas a consumir imagens e a ser mais agressivas.

11. Se uma pessoa casada está tendo problemas com pornografia, deveria confessar ao cônjuge?

Sim. No processo de vencer este hábito pecaminoso é importante ter alguém – de preferência o cônjuge – a quem prestar contas dos seus atos e pedir orações e apoio.

Além disto, consumir pornografia é pecado contra o cônjuge, pois se constitui em adultério.

Biblicamente, deveríamos confessar ao cônjuge e pedir-lhe perdão, além de seu apoio e ajuda para vencer o hábito.

12. Todas as formas de nudez são pornográficas?

Não necessariamente. Um dos ingredientes da pornografia é a intenção deliberada de provocar o despertamento sexual mediante a exposição do corpo humano.

Existem obras de arte, chamadas de “nus”, cuja intenção não é esta, e que não provoca qualquer reação de caráter sexual nos observadores. Também, a nudez no ambiente do casamento certamente não pode ser considerada como pornográfica.

13. É lícito ao cristão ver imagens de nudez apenas para apreciá-las como arte?

Devido ao fato que somos seres sexuados, é praticamente impossível se expor à nudez sem que haja despertamento sexual, fantasias, desejos, impulsos e intenções.

Isto é agravado pela presença da natureza pecaminosa no cristão, tornando-se praticamente impossível para um homem apreciar a nudez feminina sem o despertamento da lascívia e intenções sexuais.

Além disto, a indústria pornográfica produz imagens de mulheres e homens nus, não para serem apreciados como arte, mas para provocarem o excitamento sexual e a masturbação.

Por fim, ao cobrir a nudez de Adão e Eva (Gn 3.21), Deus já indicou que a nudez deve ser velada e desfrutada apenas no ambiente de casamento.

14. Por que Deus cobriu a nudez de Adão e Eva?

De acordo com a Bíblia, o homem e a mulher viviam nus, ao serem criados, e não se envergonhavam (Gn 2.25).

Um dos primeiros efeitos do pecado foi passarem a ter vergonha de si mesmos, o que os levou a se cobrirem com folhas (Gn 3.7).

A nudez, antes inocente, agora estava marcada pelo estigma do pecado, como se ambos passassem a ter vergonha de expor seus órgãos genitais e sua intimidade diante um do outro e do próprio Deus (Gn 3.10).

Caridosamente, Deus confirmou a necessidade do casal em encobrir a sua nudez, dando-lhes uma cobertura mais duradoura, de peles, antes de expulsá-los do jardim (Gn 3.21).

Não sabemos ao certo porque o primeiro pecado trouxe a vergonha da nudez.

Certamente não foi porque tal pecado residiu nas relações sexuais, conforme popularmente difundido. Provavelmente porque os órgãos genitais expressam a intimidade maior de uma pessoa.

E agora que estavam manchados pelo pecado, Adão e Eva não desejavam ser vistos em sua intimidade.

15. A linguagem de textos bíblicos que falam das relações sexuais e do amor erótico pode ser considerada como pornográfica?

Não, pois tratam da sexualidade e das relações sexuais no contexto do casamento, onde estas coisas podem ser expressas com gratidão a Deus.

16. A masturbação é errada?

Este hábito está profundamente ligado à pornografia. A masturbação é errada porque envolve o uso de imagens mentais eróticas e fantasias sexuais, violando Mateus 5.28.

Dificilmente alguém se masturbaria pensando nas cataratas do Niágara.

17. Já que a pornografia é legal no Brasil, por que um cristão, que também é cidadão brasileiro, não pode consumi-la?

O motivo é que o cristão se rege primeiramente pela Palavra de Deus.

Ainda que no Brasil seja legal a publicação, veiculação e consumo de material pornográfico, contudo as Escrituras condenam a prostituição, a perversão sexual, o adultério, a sodomia, o lesbianismo, e outras práticas sexuais que são objeto da pornografia.

IV. Como Evitar e Libertar-se da Pornografia?

Não precisaremos de argumentos sociais, médicos e psicológicos para justificar a necessidade de evitarmos e nos libertarmos da pornografia tais como AIDS, destruição familiar, vício, desvio financeiro para esse fim, a falta de segurança e higiene nos locais destinados a esse fim, entre muitos outros.

Acreditamos que as razões bíblicas nos são suficientes para dizermos não, mesmo que tenhamos de lutar contra a nossa própria vontade e nosso próprio coração.

“Aquele que quer vir após mim, a si mesmo se negue...” são as palavras de Cristo para a nossa reflexão.

Uma vez que entendemos que a nossa natureza pecaminosa nos impulsiona para o mal (Rm 3.10-12), temos que buscar meios pelos quais possamos não sucumbir às muitas tentações que nos sobrevirão, cientes de que “não nos vem tentação que não seja humana, mas Deus é fiel e não permitirá que sejamos tentados além das nossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação nos proverá também o livramento, de sorte que podemos suportar” (1 Co 10.13); e ainda: “naquilo que ele mesmo (Cristo) sofreu, tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados” (Hb 2.18).

Tais promessas de Deus são como lenitivo para a alma. Mesmo que o salário do pecado seja a morte, “o dom gratuito de Deus é a vida eterna, em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 6.23).

Confiados nessas verdades ficamos fortalecidos para lutar contra as nossas concupiscências e fazer a vontade de Deus, pois “Ele é poderoso para nos guardar de tropeços e para nos apresentar com exultação, imaculados, diante da Sua glória” (Jd 24).

Ao final do nosso estudo, concluímos que a pornografia é um mal que deve ser enfrentado e combatido.

V. Vejamos agora com exclusividade as 20 dicas para se libertar da pornografia

1. Ter cuidado com o legalismo. Paulo escrevendo aos Colossenses diz que as doutrinas dos homens como: “não manuseies isso ou não toques naquilo... não terão valor nenhum contra a sensualidade” (Cl 2.21-23).

A mera letra não nos fará fugir da tentação, se não for acompanhada de uma disposição muito forte do nosso coração de abandonarmos o prazer que a pornografia porventura nos proporcione.

Evitar lugares que inspirem sensualidade. Uma vez livre do legalismo, cada homem ou mulher deve conhecer suas limitações e jamais provar seus limites.

Temos que deixar morrer a nossa natureza terrena (Cl 3.5-8). Aqui cabem as palavras do Salmo 1: “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores”. Baseados nestas palavras sugerimos as seguintes atitudes:

a) Escolher bem as amizades. Evitar aqueles amigos que tentam nos desviar, não fazendo caso da Palavra de Deus.

b) Aconselhar-se com pessoas crentes e sábias, e não com os ímpios.

c) Elevar os nossos pensamentos a Deus. Meditar dia a dia na Sua Palavra (Sl 1:2).

d) Fazer nosso culto particular a Deus e encher nossos pensamentos com coisas edificantes.

Em Filipenses 4.8, Paulo nos ensina em que pensar: “tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso que ocupe o vosso pensamento”.

2. Uma mudança de hábitos. É necessário fugirmos da tentação, antes que ela bata à nossa porta. Adquirir os seguintes hábitos pode ser muito proveitoso na hora de evitar e libertar-se da pornografia:

a) Dormir cedo, evitando assim os programas televisivos noturnos, que, via de regra, possui conteúdo sexual.

b) Ficar na Internet apenas o tempo necessário. Não ficar muito tempo sozinho diante do computador.

c) Ocupar o tempo livre (isso não inclui nossa devocional) com atividades esportivas e edificantes.

e) Evitar envolver-se em qualquer tipo de conversação torpe (Ef 5.3-7).

3. Muito importante é evitar radicalmente o acesso a revistas, vídeos, programas televisivos e sites pornográficos.

4. Estimular o culto doméstico. É sempre bom a família estar unida em torno da Palavra de Deus. Este hábito fortalece o cristão.

5. Ler os estudos e relatórios sobre os efeitos da pornografia feitos por comissões especializadas;

6. Pregar sobre o assunto e especialmente dar estudos para grupos de homens;

7 . Desenvolver uma estratégia pastoral para ajudar os membros das igrejas que são adictos à pornografia;

8 . Não esquecer que muitos pastores podem precisar eles mesmos de ajuda;

9 . Criar comissões que se mobilizem ativamente contra a pornografia, utilizando-se dos dispositivos legais que o permitam (uma possibilidade é encorajar os políticos evangélicos a tomarem posições bem definidas contra a pornografia);

10 . Desenvolver uma abordagem que trate da sexualidade de forma bíblica, positiva e criativa;

11. Tratar desses temas desde cedo com os adolescentes da igreja, expondo o ensino bíblico de forma positiva;

12 . Orar especificamente pelo problema.

13 . Você levaria pornografia para a igreja e ficaria olhando esse tipo de coisa durante um culto? Deus está presente tanto no culto quanto em seu quarto.

14 . Encare a possibilidade de que você pode ainda não estar salvo. Examine-se para ter certeza de que Cristo vive em você (2 Co 13.5) V. Rm 6.11-22; 8.1-14; Ef 5.3-8.

15 . Admita que, quando se entrega à pornografia, você está praticando imoralidade sexual. Lembre-se de que Jesus falou sobre cometer adultério no coração (Mt 5.27-28).

16 . Compreenda a natureza grave do pecado. Jesus disse que seria melhor ser cego e entrar no céu do que ter olhos perfeitos que o fazem pecar e ir para o inferno (Mt 5.29).

17. A pessoa que professa a fé cristã e ao mesmo tempo faz uso de material pornográfico evidentemente não está tendo temor de Deus (Pv 16.6). Cultive o temor a Deus lendo Pv 2.1-5.

18 . Memorize Tg 1.14-15 ; I Co 10.13. Siga o exemplo de Jesus (Mt 4.3-11) e recite a palavra de Deus quando estiver sendo tentado (v. Ef 6.12-20; o Salmo 51 e faça dele sua oração pessoal.

19 . Não dê lugar aos desejos da carne (Rm 13.14; I Pe 2.11). Bloqueie todo o acesso possível a qualquer material pornográfico – seja na Internet, seja em revistas, na televisão, filmes . Não ponha mais lenha na fogueira.

20 . Guarde o seu coração com todo o zelo (Pv 4.23). Não deixe o reino dos demônios ter acesso aos seus pensamentos. Se baixar a guarda neste lado, você será escravizado (Rm 6.16). Leia a Bíblia todos os dias, sem falhar.

Quando você se submeter a Deus, o diabo fugirá de você (Tg 4.7-8; I Co 9.27).

Poderíamos colocar aqui muitas outras formas para ajudar cada um a fugir da pornografia, mas o mais importante de tudo, muito além de se colocar regras e estabelecer limites, é deixar muito claro que a raiz do problema não é nenhum desses fatores externos, mas o próprio coração do homem que é depravado e descomprometido com Deus, o Criador de todas as coisas.

O antídoto é a fé confiante no poder do evangelho de Cristo que pode e muda o nosso caráter, imprimindo em nós uma nova natureza, regenerada e capaz, pela graça de Deus, de dizer não ao pecado.

Que Deus nos ajude a fugir cada vez mais da prática promíscua do pecado e nos dedicarmos ao Reino de Deus, amém!

Ouçamos a voz de Deus, através das Sagradas Escrituras, e busquemos a santidade oferecida no sangue de seu Filho Jesus Cristo: “tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus” (1 Co 7.1).

Quando o coração é mudado as mudanças morais seguem atreladas.

Que Deus nos abençoe e nos guarde em nome de Jesus, amém!

Como cristãos devemos praticar o sexo oral e anal?


Por: Jânio Santos de Oliveira
Presbítero e professor de teologia da Igreja Assembléia de Deus Taquara - Duque de Caxias - RJ
janio-estudosteolgicos.blogspot.com
 
Faça sol ou faça chuva, no frio ou no calor, com cansaço ou relaxado, não importa. O apetite sexual não encontra barreiras para se satisfazer. As pesquisas sinalizam, a mídia incrementa, os produtos estimulam.

E o casal que busca viver dentro de princípios cristãos, com fidelidade conjugal e ética moral nem sempre consegue administrar desejos e possibilidades.

Afinal, a própria Bíblia está cheia de orientações sobre comportamento afetivo e sexual entre casais.

O apóstolo Paulo enfatizou que homem e mulher devem sempre manter um acordo sobre suas relações sexuais a fim de evitar tentações (1 Co 7:5). Diante de tantas pressões, o escritor do maior número de cartas do Novo Testamento sintetizou muito bem: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convém.

Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por elas” (1 Co 6:12). Assim sendo, o que seria lícito ou não para um casal cristão nos momentos de intimidade?

É o que Vamos desvendar nesta matéria!

I. O sexo anal

O sexo anal (também podendo ser referido como sodomia, embora esta palavra possa ser utilizada para outros atos sexuais não reprodutivos) é uma prática sexual que se caracteriza pela introdução do pênis no interior do ânus do parceiro sexual, seja eles mulher ou homem.

Entre humanos, tal prática é tida como uma forma de se obter prazer durante a relação sexual para satisfação de um ou ambos os participantes. Segundo alguns especialistas, tal atividade não causa dano à elasticidade anal, tampouco doenças como hemorróidas, mas essa opinião não é generalizada.

A prática do sexo anal sem proteção pode ser uma via de transmissão de doenças sexualmente transmissíveis, pois a mucosa anal é muito mais permeável a agentes externos que a pele comum (ou mesmo a mucosa vaginal.

Durante o sexo anal o pênis é introduzido no ânus do parceiro sexual.
O ânus e o reto são a última seção do aparelho digestivo, que basicamente é uma extensa mucosa altamente irrigada e com alto poder de absorção.

No total, esse último segmento mede — do ânus em si até a curva obtusa do sigmoide — 18cm (15cm dos quais pertencentes ao canal retal).

A região anal é uma das zonas erógenas mais sensíveis do corpo humano, por isso o ato pode, por si só, levar a pessoa penetrada ao orgasmo. Ainda que os estímulos que proporcionam o orgasmo não sejam inteiramente da ordem física/tátil, a prática pode ser altamente prazerosa.

Por não haver lubrificação natural na região do esfíncter anal, as primeiras experiências podem gerar dor e sangramentos, fatos que podem ser atenuados e até eliminados com o uso de substâncias lubrificantes próprias, a fim de facilitar a introdução do pênis, ou quaisquer outros objetos semelhantes.

Alguns adeptos da prática do sexo anal afirmam que a preliminar anilingus é muito importante na preparação do ânus para receber o pênis, já que a mesma relaxa o esfíncter anal.

Cerâmica da Grécia Antiga representando uma prostituta a ser penetrada por um cliente (o dinheiro está no saco pendurado na parede). ca. 480-470 DC; depositado em uma coleção privada em Munique.

O sexo anal é uma relação que normalmente traz prazer ao praticante ativo, já que a musculatura do ânus é mais apertada do que a da vagina e a pressão sobre o pênis é maior.

No praticante passivo, ou seja, aquele cujo ânus está sendo penetrado quer homem quer mulher, o prazer nem sempre é garantido porque, dada a complexidade da preparação prévia, muitos entusiastas acabam por atropelar o tempo necessário para o devido relaxamento da musculatura em questão, nomeadamente através de anilingus (também chamado beijo grego ou beijo negro) ou de outra qualquer atividade similar.

Quando os cuidados adequados são devidamente atendidos, o prazer do praticante passivo pode ser alcançado, especialmente no homem pro - orgástico até, devido à repetida massagem da próstata através da parede do reto.

A prática da penetração anal pode envolver, em simultâneo, a estimulação do clitóris (quando o praticante passivo é uma mulher), ou do pênis (quando o praticante passivo é um homem), o que facilitaria o orgasmo.

Existe, porém, o receio popular de que a prática constante do sexo anal, ao longo de anos, possa afrouxar a musculatura do ânus; Entretanto, alguns estudos científicos de médicos e sexólogos não confirmam este receio a não ser em caso de intercurso com um pênis anormalmente grosso.

Sexo anal entre homens.

O sexo anal expõe os participantes a dois perigos principais: infecções, devido ao elevado número de microorganismos infecciosos não encontrados em outros locais do corpo, e danos físicos ao ânus e ao reto, devido à vulnerabilidade dos dois.

Além disso, a penetração pode ser dolorida.[8] O sexo anal é freqüentemente associado com hemorróidas, prolapso anal, dor no canal anal, úlceras e fissuras.

Recentes estudos têm comprovado que o risco destes pontos citados anteriormente está a aumentar entre os homens que fazem sexo com homens.

Do mesmo modo, um relatório de 1992 realizado em Porto Rico demonstrou que 40% dos homens fazem sexo anal com as mulheres, e poucos deles afirmaram usar preservativo.

O sexo anal sem o uso de proteção é muitas vezes referido como barebacking.
AIDS e outras doenças infecciosas

As membranas mucosas do reto.
A principal doença que pode ser transmitida com o sexo anal é a AIDS, através do vírus HIV.

O vírus do papiloma humano (o qual pode resultar em câncer anal),[13] a febre tifóide[14] e vários outros tipos de doença podem ser associados com a infecção da matéria fecal ou o intercurso sexual no geral.

A alta concentração de glóbulos brancos perto ao reto, juntamente com o risco de cortes na região aumentam o risco da transmissão do vírus HIV, porque o retrovírus do HIV se reproduz nas células do sistema imunitário Linfócito T/CD4.

O uso de preservativos é uma forma clinicamente recomendada para diminuir o risco de infecções. O sexo anal sem proteção é a forma mais arriscada em termos de transmissão do HIV.

Considerando que os humanos são os únicos seres vivos conhecidos que fazem sexo pelo mero prazer e não apenas pela reprodução, que a atividade sexual humana não depende de um ciclo biológico e não se limita ao instinto, o homem se difere dos animais pela suas faculdades mentais, pela sua estrutura psíquica, e por conta disso, a libido está atrelada às necessidades de ordem psíco-afetivas que se percebe através do corpo.

Isso implica que, muito do que se percebe nas preferências sexuais podem ser apenas sublimações dos incômodos psíquicos do sujeito.

E nesse caso, o recomendável é que se resolva o problema sem paliativos...

Além disso, é sabido de todos que o comportamento humano não é regrado apenas pelas preferências de cada, pelas carências de cada um ou por distúrbios psíquicos quaisquer.

Hoje é muito comum ouvir das pessoas que as preferências sexuais é uma questão particular de cada um, e que nós outros temos que reconhecer essas preferências aprendendo a respeitar as diferenças de cada um. E isso implica que os valores morais dependem agora da vontade de cada um.

Porém, para os que acreditam em Deus e aceitam a Sua Palavra, há de convir que, no que tange às práticas sexuais, e, em particular, o sexo anal, há implicações morais que devem ser considerados inquestionavelmente.

Primeiro porque há uma explicação Fisiológica, ao se afirmar que o ânus é parte do aparelho excretor, e em segundo lugar, não por ordem de importância, a Bíblia não aprova o sexo anal.

Do ponto de vista fisiológico desrespeita a higiene, e se desrespeita a higiene, agride a saúde. Em algumas pessoas compromete a saúde até por outras razões que por não ser o objeto da nossa resposta não vamos comentar.

 E quanto a Bíblia, a Palavra de Deus é clara no que segue:

1. Em Romanos 1:26-29, o Apóstolo Paulo condena o sodomismo (sodomitas é um termo bíblico para se referir aos que praticam o sexo anal), o homossexualismo e todo tipo de perversão sexual.

2. Em Hebreus 13:4, o Apóstolo chega a chamar de adúlteros os casados que vivem em leito de mácula. Na língua grega, texto original do Novo Testamento, a palavra “adúlteros” é mais esclarecedora. A palavra no Grego é a palavra “pornéia”, cujo significado é o mesmo da palavra que está no 7º Mandamento.

Ela não se refere apenas as práticas sexuais fora do casamento, se refere a qualquer atividade sexual proibida por Deus. Isso proíbe literaturas pornográficas, conversações pornofônicas e etc. É da palavra “pornéia” que deriva no Português as palavras: “pornô”, “pornografia” .

3. Em 1º Coríntios 6:9, lemos uma lista dos que estarão perdidos, e entre eles, constam os sodomitas. (1º Timóteo 1:8-10).

4. Em Gálatas 5:19-21, e em Apocalipse 22:15, aparece outra vez a mesma palavra como sinônimo de pecado.

5. Em Gênesis 18:17-22, a Bíblia se refere à Cidade de Sodoma. O pecado que tanto incomodou ao Senhor era de sexual. A Arqueologia afirma que os sodomitas tinham maior preferência pelo sexo anal e por isso essa prática ficou conhecida como sodomismo.

Em Gênesis 19:5, aparece o verbo conhecer, que significa ter relações sexuais. Os homens da cidade, de todas as idades, buscavam sempre novas experiências sexuais e porque viram homens diferentes na casa de Ló desejaram estuprá-los.

Não sabiam que se tratava de Anjos e em Gênesis 19:6-11, lemos que Ló, sobrinho de Abraão, chegou oferecer as suas duas filhas, ambas virgens, para que os homens não molestassem os Anjos que estavam em sua casa. Não aceitaram e os Anjos fizeram que todos ficassem cegos e naquela mesma noite todos foram destruídos.
6. Em Colossenses 3:4-6, lemos que as inclinações pecaminosas (entre elas aparece à palavra pornéia), devem ser resolvidas antes da Volta de Jesus para não ter que enfrentar a ira de Deus.

7. Mas em Atos 17:30-31, afirma que Deus não leva em conta o tempo da ignorância, mas determina que todos, em todos os lugares, se arrependam antes do Juízo. Agora, em Tiago 4:17, diz que se alguém sabe fazer o bem e não faz, comete pecado.

E mesmo que uma verdade não esteja tão clara para alguém, o Espírito Santo tocará na consciência dos sinceros e, no mínimo, ficará uma dúvida. Nesse caso, em Romanos 14:23, lemos que qualquer coisa que se faz com dúvida é pecado.

Prezada Internauta, me pareceu que a sua pergunta reflete uma flagrante dúvida. Pelo que já foi exposto e para ajudá-la tomar uma decisão, só me resta agora uma coisa; fazer minhas as palavras do Profeta Elias (1 Reis 18:21) quando se colocou diante do povo de Israel e perguntou: “Até quando estareis em dúvida entre dois pensamentos?”.

 Alguns conselhos firmes baseado na palavra de Deus:

1.Desenvolva com seu marido um dialogo aberto e claro - companheirismo e amizade;

2.Algumas coisas talvez você não goste, e precisa haver aceitação mutua(marido/mulher);

3.Vocês vivem num mundo sujo, agora devem viver o sexo com santidade e satisfação;

4.participe de palestras para casais;

5.Existe diversos Sites equilibrados de principio bíblico e que ajudam muito;

6.Consultar uma sexóloga, Cristã ou equilibrada é ótimo se for outra qualquer pode ser uma tragédia;

7. Alguém aqui falou pra seu marido fazer exame, faça isso com sabedoria;

8.Sexo não é penetração, se vocês forem amigos que se respeitem e valorizem um ao outro, o relacionamento sexual de vc vai ser 10;

9.Vocês precisam de liberdade e intimidade, as vezes uma chácara, um hotel, uma casa longe dos filhos ou parentes é uma boa;

10.Algumas posições pode provocar dor e o sexo fica desagradável, converse muito;

11.Pornografia, troca de casais, sadomasoquismo, e outros não é permitido por Deus, é pecado;

12.se você fizer sexo sem preparação vai ser ruim demais, seu corpo precisa fluir e estar preparado para ser penetrado;

13.As vezes você deve fazer por que ele está subindo nas paredes, mas procura fazer o melhor, fale com ele e o compreenda, algumas pessoas são muito tentadas ao sexo e se você vacilar...a vizinha creu (Não exagere mas deixa o rapas sempre feliz - uma rapidinha);

DEUS não é contra o prazer dentro do casamento. Ele uniu o marido e a mulher em uma só carne para terem amor e respeito um pelo outro, ajudarem-se mutuamente e terem prazer.

“Goza a vida com a mulher que amas, todos os dias de tua vida fugaz, os quais Deus te deu debaixo do sol; porque esta é a tua porção nesta vida pelo trabalho com que te afadigaste debaixo do sol.” (Ec 9:9 )

 Agora falarei sobre o que não é bom fazer.

Nosso corpo é o templo do ESPIRITO SANTO e não devemos nos contaminar com prazeres que desagradam ao espirito.

Cuidado com o tipo de fantasia, pois o inimigo quando não consegue nos derrubar de um lado tenta do outro. Mas nosso Deus é poderoso para lhe ajudar a vencer a todas as tentações.

Ter relação com mais pessoas juntamente com o esposo, ou sexo grupal, desagrada a DEUS. É pecado de lascívia e adultério. Quem pratica tais ações não irá entrar no reino dos céus.

“Que o casamento seja respeitado por todos, e que os maridos e as esposas sejam fiéis um ao outro. Deus julgará os imorais e os que cometem adultério.” (Hb 13:4 )

“Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus;” (1 Ts 4:3-5 )

Dê o máximo de carinho ao seu esposo. A Bíblia não é contra isso.

Se você não é casada e deseja se casar, ore a Deus. Ele irá preparar alguém especial para você, a fim de que você seja realize esse desejo do seu coração.

II. Devemos praticar o sexo oral?

A Bíblia apresenta uma alta celebração da sexualidade. Portanto é possível ser bem espiritual vivendo uma excelente celebração conjugal, pois a bíblia diz que Deus tem prazer na vida conjugal sem manchas (Hb 13:4).

Desta forma a celebração sexual é algo criado por Deus, e a bíblia diz que é doutrina dos demônios proibirem o prazer sexual no casamento, portanto é maligna a idéia de que a relação sexual é somente para procriação.

Verifique o texto de 1 Timóteo 4 onde o Apóstolo Paulo declara que o prazer sexual e o desfrutar de gostosos manjares (doces e quitutes desta terra), devem ser vividos com ações de Graças perante Deus.

Tudo isto para afirmar que sexo é uma bênção de Deus!

Existe no sexo momento de toque, acariciamento de áreas erógenas que devem ser manipulados para preparação do sexo.

A mulher não é desprovida de sentimento. Na qual o homem tem apenas de penetrar.

A mulher tem que ser preparada para o ato amoroso. O homem e a mulher devem estimular a áreas erógenas e a mulher a seu marido.

A Bíblia não fala sobre isto, e onde a bíblia não fala, não devemos falar também.

Existem pregadores que dizem que sexo oral é pecado e outros que não é pecado. Penso que ambos falham no que diz respeito ao padrão bíblico.

Deus é sábio, e deixou esta questão para que o casal resolvesse, considerando é claro a sua e a consciência do outro, e chegar a uma conclusão dentro da liberdade com Deus.

Portanto qual o limite do prazer na vida sexual?

O corpo não tem limites, mas a alma sim, portanto não se pode usar o corpo sem respeitar os limites que estão implantados na alma, pois no que se refere ao prazer sexual é preciso entender que ele é no homem mais que um prazer animal, mas sim algo que envolve também a alma e o espírito.

Compreendo que o limite é seguir as regras que estão nas escrituras, e ao fechar a porta do quarto o casal tem inteira liberdade de festejar a bênção da relação conjugal, sempre preocupado em dar prazer ao outro respeitando a consciência e os limites de cada momento. Transformando essas horas em momento de ações de Graças!

SEXO ORAL É PECADO? NÃO!!! SEXO ORAL NÃO É NEM NUNCA FOI PECADO, PELO MENOS NÃO DO PONTO DE VISTA BÍBLICO.

SE LERMOS A BÍBLIA DENTRO DE SEU SENTIDO CORRETO EM CONTEXTO NÃO ENCONTRAREMOS REGRAS PARA A INTIMIDADE DO QUE PODE E ATE AONDE PODE, EXCETO ALGUMAS DIREÇÕES E PRINCÍPIOS QUE PODEM SER CONSIDERADOS EM CONTEXTO GERAL DA VIDA A DOIS.


Que Deus nos ajude a desfrutar com a mulher da nossa mocidade da melhor maneira possível aquilo que Ele deixou para nós que é o sexo.

Devemos sempre ter em mente o que diz em 1Co 10.31: Fazei tudo para a glória de Deus, amém!

20 motivos porque se manter virgem até o casamento


Por: Jânio Santos de Oliveira
Presbítero e professor de teologia da Igreja Assembléia de Deus Taquara - Duque de Caxias - RJ
janio-estudosteolgicos.blogspot.com
 
Meus amados e queridos irmãos em Cristo Jesus, a Paz do Senhor

Em toda a Bíblia encontramos apenas estes dois versículos que se referem diretamente sobre a manutenção da virgindade da jovem até o casamento. Vejamos:

(Ez 44.22)

Eles não se casarão com viúva ou divorciada; só poderão casar-se com mulher virgem, de ascendência israelita, ou com viúva de sacerdote.

(I Co 7.28)

Mas, se vier a casar-se, não comete pecado; e, se uma virgem se casar, também não comete pecado. Mas aqueles que se casarem enfrentarão muitas dificuldades na vida, e eu gostaria de poupá-los disso.

Os casais que esperam (até ao casamento) para fazer sexo têm benefícios futuros

Uma pesquisa divulgada na revista Family Psychology mostrou que os casais que esperaram até o casamento para ter relações sexuais são mais satisfeitos que os “apressadinhos”.

Além disso, os relacionamentos dos que esperaram têm mais estabilidade, qualidade de sexo e mais comunicação que os outros.

Mais de 2 mil pessoas casadas responderam a uma pesquisa sobre quando iniciaram a sua vida sexual com o parceiro atual e os aspectos do relacionamento.

Os resultados mostraram que aqueles que demoraram mais para fazer sexo tiveram benefícios futuros.

Os casais que esperaram, de acordo com a pesquisa, tiveram uma taxa de estabilidade 22% maior que os demais, a satisfação no relacionamento foi 20% maior, a qualidade do sexo também apresentou um nível 15% maior e a comunicação foi classificada com 12% de vantagem.

Quando o casal esperou mais do que a média, mas não até ao casamento para fazer sexo, os níveis mencionados caem para metade, mas ainda assim são mais altos do que daqueles que quiseram “testar” o parceiro na cama antes de se comprometer por mais tempo.

Como os valores religiosos podem influenciar na escolha de esperar para fazer sexo, os pesquisadores controlaram a religiosidade dos participantes. E viram que independente desse fator, quem espera mais desenvolve mais aspectos relacionados à comunicação, o que ajuda a aumentar a estabilidade e satisfação na relação.

Por Que Sexo Antes Do Casamento É Pecado?

A resposta simples é: porque a Bíblia diz. No entanto, diferentemente de outros mandamentos, a proibição de fornicação (sexo antes do casamento) é difícil de ser simplesmente aceita.

Não ouvimos por aí ninguém questionando porque devemos não matar, roubar, ou mesmo amara ao próximo como a si mesmo.

Quando se fala em se manter virgem até o casamento, até mesmo cristãos de verdade (muitos só se dizem cristãos) têm seus questionamentos. Não que alguém duvide que seja errado, só não se sabe bem por que.

De fato, como obedecer algo que não entendemos é muito mais difícil muitos caem em tentação pela ignorância de não compreenderam a maravilhosa vontade de Deus.

Há algum tempo atrás, quando sua avó se casou, por exemplo, essa dúvida nem seria trazida à baila.

Tão claro como hoje as pessoas sabem que não deve se matar ou roubar, se sabia que o sexo era para depois do casamento (ao menos para as mulheres).

Hoje em dia, fazer sexo fora do casamento é "normal" e ter uma vida sexual ativa é aclamado como sendo necessário para que a pessoa seja saudável e "de bem com a vida".

No entanto, esse mandamento veio diretamente de Deus e, ainda que o mundo cada vez mais tente levar-nos a crer que guardar-se para o casamento é sem sentido e ultrapassado, tem em si a perfeição que tudo que vem de Deus possui.

Muitas pessoas não sabem nem ao menos onde se encontra na Bíblia esse mandamento. Então vamos começar por aí. Dependendo da tradução as palavras mudam, mas você pode encontrar esse mandamento em Atos 15:20, 15:29, 21:25.

"mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, das relações sexuais ilícitas, do que é sufocado e do sangue. At. 15:20

"Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e das relações sexuais ilícitas; e destas coisas fareis bem de vos guardar. Bem vos vá.

At. 15:29

"Quanto aos gentios que creram, já lhe transmitimos decisões para que se abstenham das cousas sacrificadas a ídolos, do sangue, da carne de animais sufocados e das relações sexuais ilícitas." At 21:25

Mas o que a Bíblia diz sobre o sexo:

1. Deus é a favor do sexo. Ele o criou puro, limpo, bonito e deseja que suas criaturas o desfrutem plenamente no casamento.

2. O propósito do sexo é:

A. Procriação - a extensão do amor dos pais na concepção dos filhos.

B. Comunicação - unidade conjugal.

C. Recreação - o prazer conjugal.

3. Deus planejou o sexo para o casamento.

Confira em Gn 1:28 Hb 13.4 ; 1 Ts 4. 3-8 ; 1 Co 6. 12-20.

"Então Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra."( Gn 1:28)

"Honrado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; pois aos devassos e adúlteros, Deus os julgará." (Hb 13:4)

"Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição, que cada um de vós saiba possuir o seu próprio corpo em santidade e honra, não com desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém iluda ou defraude nisso o seu irmão, porque o Senhor é vingador de todas estas coisas, como também antes vo-lo dissemos e testificamos.

Porque Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santificação.
Portanto, quem rejeita isso não rejeita ao homem, mas sim a Deus, que vos dá o seu Espírito Santo. "( I Ts 4. 3- 8).

Vejamos agora os 20 motivos porque se manter virgem até o casamento:

1. Não permanecem amigos depois do sexo

2. Não permanecem amigos depois do sexo.

Psicanalistas declaram que as pessoas não continuam sendo boas amigas depois que param de ter relações sexuais.

Se eles não permanecem amigos, eles ficam cada vez mais distantes um do outro.

Em certas situações, assim como freqüentando o mesmo colégio ou a mesma igreja, este relacionamento "distante" pode criar conflitos entre pessoas próximas deles, dentro de suas classes.

Na tentativa de manter um relacionamento distante, o ex-casal pode acabar desenvolvendo uma relação de "ódio".

Um exemplo deste ódio após a relação sexual foi o do Príncipe de Israel Amnon e a sua meia irmã Tamar.

Depois do sexo, "seu amor tornou-se ódio, e agora seu ódio por ela era maior que o amor que antes sentia." (2 Sm 13.15).

Então ao invés do sexo construir relações "amorosas", ele pode construir relações de "ódio". Se você quer evitar relações de "ódio", evite o sexo antes do casamento. (Com relação a igreja, este ódio pode levar um ou os dois para for a da igreja...

Para longe dos braços de Deus... Pode causar a perda da vida eterna. Assim, sexo entre adolescentes ou mesmo jovens faz com que muitas pessoas percam a vida eterna.)

2. Perda de laços especiais

A relação sexual é um laço especial que mantém casais unidos. Mas este laço é enfraquecido se o ato sexual não é exclusividade entre duas pessoas.

Se um dos dois ou ambos praticaram sexo antes do casamento, o laço sexual entre eles não é tão forte.

Estatísticas mostram que as taxas de divórcio são maiores entre casais que praticaram sexo antes do casamento.

Então se você quer ter fortes laços matrimoniais, evite o sexo antes do casamento.

3. Fica difícil de resistir

Uma vez perdida a virgindade, é difícil resistir a tentação de ser promíscuo. Você pode estar pronto para resistir a uma tentação sexual quando você é virgem, mas é muito mais difícil resistir a uma tentação sexual quando você já perdeu a virgindade.

Sexo é a criação de um hábito. Você pode ter um forte sentimento de amor pela pessoa com a qual você fez sexo pela primeira vez, mas depois que você tende a fazer sexo mais pessoas sua afeição por elas irá diminuir.

Então, deixe o sexo ser algo reservado para um relacionamento fechado.

3. Nomes se espalham

Em alguns colégios de ensino médio, garotos dizem para outros garotos quais garotas já perderam sua virgindade.

Então estes garotos querem ter um "tempo bom" sendo amigos de garotas que não são virgens.

As garotas pensam que o garoto gosta delas, mas isso não é verdade. Assim, uma garota perde sua virgindade com alguém que ela gosta.

Mas isto a torna apenas um "brinquedo" para outros homens.

5. Sozinho em Casa depois do sexo

No velho testamento, um marido recém casado não podia ser chamado para o exército durante os 12 primeiros meses depois de casar.

Marido e esposa ficavam juntos aproveitando os privilégios de estar na companhia um do outro.

Isto era tão importante que mesmo se o país fosse invadido, era respeitado que os 2 permanecessem juntos durante os 12 meses.

Não importava o quanto eles faziam sexo, o marido e a mulher ficavam juntos até o próximo pôr-do-sol. (Eles ficavam juntos "até o próximo pôr-do-sol" e não podiam ser acompanhados por nenhuma outra pessoa.)

Portanto o ato sexual era freqüentemente acompanhado de um longo período de união.

Mas no sexo entre adolescentes e jovens, após a relação o casal vai para casas separadas.

Portanto, o período de companheirismo que tinha por objetivo ser parte do ato sexual, é perdido.

Quando vocês não podem passar o próximo dia juntos, vocês podem desenvolver um ato sexual padrão, não passando de uma breve sensação de prazer. Isto faz com que se perca muito do verdadeiro significado do sexo.

6. Sexo não é necessariamente amor

Algumas pessoas consideram a relação sexual como sendo um sinal de amor.

Eles às vezes se "dão" para alguém com o propósito de mostrar quanto o amam.

Entretanto, talvez a outra pessoa não tenha a mesma atitude.

Talvez para ela, o ato sexual não signifique necessariamente amor.

Portanto alguns estão se "dando" para mostrar o seu amor, mas na verdade estão muitas vezes praticando um gesto vazio, já que o gesto não é interpretado da mesma forma pela outra pessoa.

7. Pode o desqualificar para algumas carreiras.

Adolescentes e jovens que praticam sexo podem se sentir desqualificado para algumas futuras carreiras profissionais.

Profissionais assim como médicos, assistentes sociais e ministros podem precisar de tempo para ficar sozinhos com pessoas do sexo oposto.

Se as barreiras naturais entre o sexo são quebradas por uma história de sexo na adolescência ou juventude, pode ser difícil lidar com estas situações.

São freqüentes os casos onde um comitê médico exclui um bom médico devido à existência de intimidade sexual com seus pacientes.

Muitos ministros e assistentes sociais perdem seus empregos por problemas com intimidade sexual. Adolescentes e jovens promíscuos acabam, devido a este risco, evitando estas profissões.

E este poderá ser um preço muito alto a se pagar se aquela é a ocupação que você mais quer ou lhe trás mais satisfação.

8. O hábito pode continuar depois do casamento

Adolescentes e jovens que tem relações sexuais com seus amigos íntimos do sexo oposto antes de casar, são tentados a continuar com este hábito depois do casamento.

Se antes do casamento, em todos os momentos eles quase se relacionam com uma pessoa do sexo oposto, isto poderá conduzir a relação sexual, podendo continuar mesmo depois de casado. Para parar esta tentação, muitas pessoas casadas evitam ter amizades com pessoas do sexo oposto.

Não ter amigos íntimos do sexo oposto (com exceção de sua esposa) pode ser um alto preço a se pago por ter praticado sexo durante a adolescência ou juventude.

A melhor solução para isso é não fazer sexo com amigos íntimos do sexo oposto durante a adolescência ou juventude.

Isso ajuda a desenvolver um hábito padrão que irá deixá-lo ter amigos íntimos do sexo oposto, com os quais não fará sexo, mesmo depois do casamento.

9. Risco de doenças

Você pode contrair varias doenças sérias através de relações sexuais. Isto inclui AIDS, herpes, gonorréia, sífilis e até mesmo câncer.

Não é divertido ter que na flor da idade encarar um médico que lhe diz que você tem AIDS ou câncer vaginal -- por causa de alguém que fez sexo com você.

Realmente não é algo digno perder sua saúde (ou perder sua vida) por uma noite de prazer barato.

10. Bons relacionamentos não se perdem

Um bom homem ou uma boa mulher raramente tem perdido algo por se recusar a fazer sexo.

Na realidade, muitos homens dizem que tem muito respeito pelas mulheres que resistem ao sexo.

Desta forma, ainda existe um "mistério" sobre a mulher, ainda existe "algo mais" que pode ser obtido quando o relacionamento flui completamente dentro do casamento.

Qualquer parceiro que puser em risco o fim do relacionamento por não haver ou se não houver um relacionamento sexual está basicamente dizendo que seu relacionamento vale muito pouco.

11. Destrói a confiança

Fazer sexo antes do casamento pode reduzir a confiança do casal durante o casamento.

Sexo é um ato físico que está partindo de uma relação mental, física, social e espiritual.

Confiança é o coração de um relacionamento.

Confiança é parte do relacionamento matrimonial em todos os segundos do dia, mas sexo é parte do relacionamento apenas uma pequena parte do tempo.

Talvez você nunca tivesse uma completa confiança em seu cônjuge se vocês tivessem feito sexo antes do casamento.

Se a confiança é danificada ou enfraquecida, você pode se tornar mais solitário no casamento. Este isolamento só aumentará pelo resto de sua vida.

12. Complexos de culpa

Fazer sexo antes do casamento freqüentemente leva a mentira, com objetivo de esconder o fato.

Isto pode levar a culpa e insegurança.

Pessoas que são totalmente honestas em tudo o que fazem não tem a consciência pesada e tudo está claro em sua mente.

Eles não têm que ficar guardando um pouco de tudo o que passou -- tentando lembrar aquela mentira que disseram a alguém. Devido a terem uma mente clara, eles têm acesso a quase qualquer situação sem culpa e insegurança.

13. Degradação sócio-sexual

Um parceiro pode estar pronto para sobrevier de forma relativamente intacta ao sexo antes do casamento, mas isso pode destruir ao outro.

Qualquer pessoa que faz sexo antes do casamento normalmente não consegue saber que danos isto pode trazer para a outra pessoa, mas isso pode deixá-los com cicatrizes psicológicas para a vida toda.

Isto pode levá-los a uma decadência a qual poderá conduzi-los a um relacionamento matrimonial arruinado, uma vida arruinada e uma chance de eternidade arruinada.

14. Mudando a ênfase

Para muitas pessoas, só o ato sexual antes do casamento não é uma grande emoção.

A emoção está em avançar o ato sexual. Desenvolver o hábito de avançar é algo importante para eles.

Entretanto, o avançar termina no casamento. Já como um hábito padrão formado, no casamento o sexo se torna menos desejado.

A pessoa ainda quer avançar e assim vai para fora do casamento -- desta forma faz com que o casamento termine.

Se o "avançador" permanece fiel no casamento, ele pode achar o sexo no casamento frustrante.

O ato sexual em si deixa de ser prazeroso. Então, gozar do sexo antes do casamento pode levar a pouco ou nenhum prazer durante o casamento.

15. Sexo sem amor

O sexo sem casamento é normalmente sexo sem amor.

Deus é amor.

E satanás corrompeu o amor para fazer o ato sexual perder seu lado amoroso.

O movimento feminino finalmente tornou-se contra isso. A experiência mostrou que aquele era um amor vazio.

O movimento feminino agora tem uma forte ênfase contra o "animalismo" durante a relação sexual.

Por experiência, as membros do movimento concordam que o sexo precisa de amor genuíno para ser satisfatório. É um erro chamar o sexo antes do casamento de "fazer amor".

Na maioria das vezes o amor não faz parte do sexo antes do casamento, ele pode ser luxuria, pode estar usando alguém.

Então, ele pode não ser amor. O amor tenta conquistar alguém especial. Sexo antes do casamento geralmente tenta adquirir algo. O amor é permanente (I Co 13:13).

Sexo antes do casamento é temporário.

16. Uma pobre direção para casais

Quando mais sexo você fizer, melhor nisso você ficará.

Assim que dois virgens se casam eles aprendem um com o outro os prazeres do sexo e eles irão melhorar nisso -- juntos.

Entretanto, alguns pensam que quem é bom em sexo antes do casamento é a melhor opção para casar.

Isto não é verdade. A pessoa boa em sexo provavelmente é alguém que teve muitos parceiros sexuais, mas muitos de nós sabemos identificar que aquela pessoa que teve muitos parceiros sexuais será uma pobre escolha como companheiro para a vida.

Sendo assim é melhor tem um parceiro sexual sem experiência a um com muita experiência.

17. Você pode engravidar

Um dos principais objetivos do ato sexual é gerar bebês, mas muitos adolescentes e jovens se esquecem disto quando fazem sexo.

Uma gravidez indesejada é um alto preço a se pagar por alguns minutos de prazer, e isto não é apenas um alto preço a se pagar pelo pai e pela mãe, é um alto preço para o bebê.

Um bebê merece o melhor, merece um relacionamento estável e não o que um casal adolescente, que não gostaria de estar naquelas condições, pode oferecer.

18. Dezesseis anos de penalidade

Em alguns países, o pai é obrigado a pagar por estar tendo um filho sem que haja casamento.

Em meu país (Austrália), um garoto adolescente que engravida uma garota paga por isso todas as semanas, até que o filho atinja 16 anos de idade. Entre $50-$100 é descontado do salário dele todas as semanas para que seja usado no bem estar do filho.

Ele pode nunca mais ver o bebê ou a mãe do bebe novamente, mas todas as semanas o dinheiro será automaticamente sacado do seu pagamento antes dele recebê-lo.

Mesmo que depois ele tenha sua própria família, o bebê receberá o dinheiro todas as semanas.

19. Quebra o relacionamento familiar

Quando já perderam sua virgindade, adolescentes e jovens normalmente não contam isso para seus pais.

Isto alimenta o hábito de não contar aos pais sobre os importantes acontecimentos de sua vida.

Entretanto, os anos da adolescência são os anos em que é mais importante para a pessoa ter amizade e manter conversas com seus pais, já que a adolescência é o período da vida em que mais se precisa de ajuda.

Este é o momento em que você mais faz "suas coisas", toma mais decisões sozinho. Então, é ai que você precisa estar pronto para usar a sabedoria de seus pais para ajudar nestas decisões.

Entretanto, muitos adolescentes não conversam livremente com seus pais porque eles fizeram sexo e sentem-se envergonhados em contar a seus pais. O melhor que eles podem fazer é contar a seus pais.

A cultura cria jovens que não conversam com seus pais sobre acontecimentos importantes de sua vida. Esta cultura tende a aumentar entre os jovens, não só entre os que fizeram sexo.

Muito do sexo antes do casamento vem da cultura. Nós poderíamos claramente ser melhores sem ela.

20. Pouco sexo no casamento

Aqui está uma preciosa estatística.

Casais que se casam virgens fazem sexo muitos mais freqüentemente do que os casais que não se casam virgens.

Quem se casa virgem não só faz sexo mais freqüentemente, eles têm maior prazer no sexo.

Na verdade, os maiores níveis de satisfação sexual das pesquisas são notados nas esposas de ministros.

Então, fazendo sexo alguns poucos anos antes do casamento, você pode ter muitos anos de pouco sexo durante o casamento.

Sexo sempre é pecado e nunca é pecado.

Sexo não é nada e é tudo.

O que faz do sexo pecado ou algo santificado, são os seus praticantes.

Desse modo, quando há amor, nunca há sexo antes do casamento.

Quando há amor o sexo é o casamento.

Se há “casamento”, mas não há amor, o sexo é pecado.

Portanto, sexo “antes ou sem” casamento, é sexo onde dois transam sem amor.

Mas sexo sem amor durante o “casamento” é pecado também.

O pecado é sexo sem o casamento no amor.

E casamento não é algo que aconteça de fora para dentro.

Só acontece de dentro para fora.

É como tudo mais que tem valor para Deus: procede do coração.

O “casamento” é como o “batismo”—um símbolo visível de uma realidade invisível, e que o precede como símbolo a fim de que seja verdadeiro.

“Batizar-se” sem que já se tenha sido antes batizado pela “fé em Cristo”, é um rito sem sentido—pura e boba religião!

“Casar-se” sem casamento é a mesma coisa.

Diante de Deus é tudo igual.

Para os homens é que não é pecado alguém se batizar na “igreja” sem ter sido batizado no Espírito, num ato invisível e particular.

O casamento, todavia, recebeu esse estigma da religião.

Eu, todavia, creio sempre naquilo que é. E acho que o valor do que se faz como simbolização exterior, sempre tem que ser precedido por uma verdade interior.

Assim, sexo não é nada, e é tudo.

Depende de quem o faz, de como o faz e de com que atitude o faz.

Sem amor nada disso me aproveitará.
Inclusive transar!

Fiquem com Deus e a Paz do Senhor!

O jovem cristão deve Namorar, noivar e se casar ou ficar e transar?


Por: Jânio Santos de Oliveira
Presbítero e professor de teologia da Igreja Assembléia de Deus Taquara - Duque de Caxias - RJ
janio-estudosteolgicos.blogspot.com
 
Ser pai ou mãe em nossa cultura atual é uma tarefa nada fácil. Primeiro porque é necessário assumir, diante de tantos outros, um caminho pelo qual deve-se pontuar a autoridade e as decisões tomadas com relação aos filhos.

Depois, porque a desgastada comparação com o passado já era. Os caminhos são outros, os educadores são outros, os adolescentes são outros.

Neste panorama e nesta fase da vida, o namoro atinge níveis de comportamentos que preocupam muito os pais e os educadores.

Algo que deveria ser natural, belo, prazeroso e educativo, passa a ser um drama quando encarado como proibido para a idade ou como uma caixa de surpresas: companhias, sexo, gravidez e doenças.

O dicionário Aurélio define NAMORAR como:

1) Procurar inspirar amor;

2) Andar de namoro com;

3) Enamorar-se (que por sua vez significa deixar-se possuir de amor, apaixonar-se).

FLERTAR significa namoro rápido, namorico.

Até bem pouco tempo o namoro era algo pré-nupcial, com regras bem definidas e padrão comumente aceito.

Alguém, ao sentir-se atraído por outrem de sexo oposto, procurava-o, propondo-lhe namoro. Este consistia de encontros constantes, com diálogos sobre os dois, momentos de romance, abraços e beijos limitados, com considerável reserva e planos para o futuro.

Os encontros eram feitos na casa da moça, com a presença de familiares, na sala, ou no portão, até às 22 horas no máximo. Seus limites foram ampliados.

I. ETAPA NECESSÁRIA

O namoro é uma etapa importante e necessária no desenvolvimento do ser humano. E é na adolescência que se inicia esta atração pelo sexo oposto, acompanhado por tudo aquilo que já apresentamos em artigos anteriores: mudanças físicas, psicológicas e sociais.

“Namorar é uma coisa boa”, afirma a psicóloga clínica Helena Dagnino, pois a paixão experimentada pelos namorados produz energia e entusiasmo pela vida, contribuindo, inclusive, para a formação da personalidade.

A possibilidade de dar e receber amor alimenta a auto-estima, conduzindo os jovens ao equilíbrio emocional.

Além de ser benéfica para o amadurecimento do adolescente, a paixão é saudável também para o corpo “Namorar faz bem ao coração e a outros órgãos do corpo, como também ao sistema nervoso e ao equilíbrio...”.

Como vemos, há muitas coisas boas no namoro. E qual pai ou mãe não se lembra de como foram boas suas primeiras paqueras?

II. ESTÁ NA HORA?

É freqüente ouvirmos pais dizerem a seus filhos, principalmente às meninas: “Não está na hora ainda de namorar, primeiro os estudos!”.

Contudo, no ambiente escolar, no grupo de amigos ou até mesmo no convívio com os amigos de catequese da crisma, o papo é outro. E se forem proibidos, se encontrarão escondidos.

Para a especialista na área, Terezinha Cruz, do Comitê de Adolescência da Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro (Soperj), o namoro é “um momento de experimentação, de treino, durante o qual o adolescente passa da fase da infância, quando recebe passivamente o afeto, à fase adulta do envolvimento afetivo-sexual.

Idade exata para se iniciar um relacionamento não existe. O ideal é que, no próprio contexto familiar, se aprenda a respeitar o outro, a tolerar as diferenças, a valorizar a vida e as pessoas”.

III. Namoro: vantagens e perigos

A Bíblia nada nos fala sobre namoro, a razão é porque nos tempos bíblicos os costumes eram outros, o pai era quem escolhia a noiva para seu filho.Uma vantagem no namoro de hoje é o conhecimento mútuo e a liberdade para poder acabá-lo.

Um perigo se encontra nas carícias íntimas e outro em achar que se pode namorar o quanto mais, melhor.

Os prejuízos acarretados por uma pessoa assim reflete em uma imagem bastante depreciada, tempo sacrificado, constante exposição à sensualidade.

Namoro misto e separação
Separação: um dos princípios básicos das Escrituras. Baseando-se nos princípios de separação existe uma exigência divina em que os crentes não devem ter uma comunhão íntima com os não-crentes (Gn 12.1; 2Co 6.14-18).

Paulo indica que pessoas diferentes, ou seja, um crente e um descrente, que se encontram ligados entre si, sujeitos as mesmas obrigações e responsabilidades, constitui uma união não aprovada por Deus, um par desigual.

Na relação entre crente e descrente o que se requer é: nada de jugo desigual, sociedade, comunhão, harmonia, união ou ligação.Existem relacionamentos que são aprovados entre o crente e o descrente: amizade comum, transação comercial, profissional, grêmios culturais e esportivos em colégios.

Da mesma forma os não aprovados: sociedade comercial, casamento, comunhão espiritual. Em uma amizade íntima de um crente com um descrente há três grandes perigos:

1. Esse tipo de amizade desenvolve uma forte influência de um para com o outro.

2. O crente sente-se de várias formas tentado a se comportar de forma não recomendável para acompanhar o seu amigo descrente.

3. Esse tipo de amizade toma muito tempo do crente. O namoro desigual colide com outros princípios bíblicos.

Mais três princípios:

Namoro Misto e o Propósito das Ações
Um namoro cheio de propósitos puros gera automaticamente atitudes corretas (1Sm 10.7b).

O propósito de todo namoro deve ser o casamento e quando esse propósito não está na mente dos namorados, então o namoro fica distorcido.

IV. Namoro Misto e a Pureza do Crente

No namoro, o sexo mesmo sendo entre crentes, constitui-se em uma das áreas mais delicadas da vida cristã. Sabemos que o sexo em si não é de forma alguma pecaminosa, pois foi dado por Deus, porém este deve ser praticado exclusivamente entre casados.

Entre o casal de namorados há sempre uma forte atração sexual. Deve-se cuidar com carinhos que no início são sempre ingênuos, logo avançam e transformam-se em intimidades sexuais.

Paulo incita aos crentes a fugirem de toda sorte de imoralidade.

Existe uma probabilidade bem grande do crente contaminar a sua pureza com o descrente.

Deus exige que seus filhos mantenham-se incontaminados e o descrente dificilmente contribui para isso.

Namoro Misto e o Bom Testemunho

O namoro misto para o crente, provoca mau testemunho e sofrimento para sua igreja.

Ele afeta o testemunho para com os de fora, ocorrendo então vários comentários e cobranças para com o crente.

Para com os de dentro o crente pode influenciar recém-convertidos a seguirem o seu exemplo.

Paulo nos fala que o crente deve ter um testemunho digno para com todos.

Argumentos? Muitos procuram arranjar bons argumentos para lhes servirem de “tábua de salvação”.

Entre os vários estão: “Eu não namoro para casar”, porém esquecem que estão deturpando o significado do namoro.

“Eu não consigo acabar o namoro”, muitos culpam a Deus por não conseguirem terminar tal namoro, porém esquecem que ‘Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças’.

O problema é evidenciado na falta de forças para enfrentar a vida sem aquele namoro.

O que estes devem fazer é: primeiro, acabá-lo; segundo, e depois serem capacitados a suportar as conseqüências.

Talvez alegam que gostam mais da namorada ou namorado e não suportaria ficar longe dela, amando mais a ela do que a Cristo; ou alegam que a namorada o ama tanto e sofreria com o seu fim.

Mas Cristo nos amou muito mais, sendo cuspido por amor de nós, esbofeteado no rosto, humilhado e escarnecido publicamente e ainda como se não bastasse morreu em uma cruz, tudo por amor a você.

“Estou evangelizando a minha namorada”, mas esquecem que se não estão obedecendo a Deus, como esperar que ela o faça? “Muitos namoros desiguais já deram certo”, porém se esquecem que fatos isolados não nos dão condições para conclusões definidas.

Algumas vezes é a misericórdia de Deus por esse filho, apesar do namoro irregular. “Dificilmente conseguirei um crente para namorar e casar”, porém esquecem do poder e do cuidado de Deus por seus filhos e que Ele pode providenciar tudo, inclusive uma namorada.

“Já sou muito fiel em outras áreas”, dizendo assim se esquecem que Cristo quer que guardemos todos os seus mandamentos.

“Já fui disciplinado, agora é que eu namoro mesmo”, mas esquecem que a disciplina é para o crente sentir o peso do pecado e voltar para os passos de Cristo; reagir negativamente é acrescentar pecado sobre pecado. Vale a Pena?

V. O homem um ser social

O ser humano foi criado para viver em comunhão: primeiro, com o seu Criador (relação vertical); e, depois, com os seus semelhantes (relação horizontal). Na verdade, esse é o plano divino para nossas vidas.

Foi o próprio Senhor Deus quem declarou: "Não é bom que o homem esteja só..."(Gn. 2: 18). Lemos, ainda, na Sua Palavra que "Melhor é serem dois do que um..." (Ec 4:9). Portanto, a solidão se opõe ao plano divino, e, por isso mesmo, resulta em várias feridas na alma, tais como: sentimento de desconforto, de inutilidade; auto-estima baixa; depressão; ausência de laços afetivos; prostração; e, até mesmo, saudade.

Para vencer a solidão, precisamos de amizade, simpatia, empatia, cooperação, namoro, casamento.

Sentimos necessidade de amizade verdadeira, de alguém que chegue quando todos saem, isto é, alguém que permaneça ao nosso lado quando mais ninguém está.

Mas, por outro lado, a solidão não pode levar a pessoa a aceitar qualquer tipo de relacionamento.

Quantas vezes já se ouviu: "Ruim com ele (ela), pior sem ele (ela)..." ? Obviamente tal afirmativa não pode expressar uma verdade, não é mesmo?

"Se você realmente me ama, poderá esperar pelo casamento.”

Muitos jovens cristãos acabam cedendo às pressões da mídia , dos colegas, dos amigos e começam a achar que o que todo mundo faz é que está certo e que eles não podem se apresentar como seres alienígenas. Passam a viver "uma vida dupla: na igreja, são os ‘certinhos‘; fora dela, agem conforme seus desejos mandarem."

Mas a Palavra de Deus condena o "transar", pois afirma que a relação sexual é um privilégio do casamento. Na verdade, ela é a terceira etapa, e não a primeira.

"Em Gn. 2:24, lemos: ‘Por isso deixa o homem pai e mãe, e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.‘ Desde Adão e Eva, o próprio Deus ordenou que houvesse uma formalização do compromisso matrimonial, através do ‘deixar pai e mãe‘, com a bênção destes que são autoridades, sobre nós, enquanto solteiros.

Além destas autoridades, devemos obediência às leis do nosso país. Num segundo passo, o homem ‘se une à sua mulher‘.

A referência é àquela mulher com quem vai se casar, e não a qualquer mulher que se olhar na rua. Assim, numa terceira etapa, os dois serão ‘uma só carne‘.

Só após as duas primeiras terem sido cumpridas, é que vem a hora da relação sexual, e não antes.

Esta idéia existe tanto no Velho como no Novo Testamento, pois este versículo é citado por Jesus (Mt. 19:5) e por Paulo (I Co. 6: 16)."

Deus não estimula, de jeito algum, a "transa". Muito pelo contrário. Várias passagens bíblicas, condenam o relacionamento sexual fora do casamento: At. 15:29; 21 :25; I Co. 6: 13-18; II Co. 12:21; I Ts. 4:3- 5.

Entretanto, Hb. 13:4, Deus valoriza o casamento. Lemos ali: "Digno de honra entre todos, seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros".

Deus também aprova a relação sexual dentro do casamento.

"Para o povo judeu, a relação sem pecado, era aquela em que as pessoas entravam virgens para o casamento, como descrito em Dt. 22:13-21."

Querida jovem, sei que você precisa de muita força para enfrentar tudo o que o mundo está exigindo e oferecendo para você.

Entretanto, procure se fortalecer com a Palavra de Deus, ocupar sua mente e seu tempo com coisas boas e aceitar o desafio de ir contra a maioria.

Lembre-se de que quando sabemos que somos amados pelo que somos, e não pelo nosso físico, tornamo-nos mais saudáveis mentalmente e nos expressamos mais livremente, porque já não tememos a rejeição. já não precisamos nos preocupar em como vamos agradar o nosso companheiro.

Lembre-se.

Também do que dizem as Escrituras em Eclesiastes 12:1 "Não deixe o entusiasmo da mocidade fazer com que você esqueça seu Criador.

Honre a Deus enquanto você é jovem, antes que os dias maus cheguem, quando você não vai mais ter alegria de viver."

VI. A oração ainda é essencial

Depois de considerar, racionalmente e não emocionalmente apenas, se a pessoa que você escolheu é alguém com quem você gostaria de passar toda a sua vida leve o assunto para Deus em oração.

Há um hino que diz que não precisamos perder a paz quando levamos nossos problemas ao nosso amigo Jesus, pois Ele sempre nos atende em oração. Espere pelo Senhor (Sl 27: 14). Ele sempre sabe o que é melhor para você.

Nunca tome uma decisão nunca inicie um envolvimento sem ter certeza de que Deus está abençoando esse relacionamento, de que é aprovado por seus pais e de que você ama realmente aquela pessoa. Com certeza, você será bem sucedida na escolha que fizer.

VII. O fim do namoro é o casamento

A finalidade, o objetivo do namoro é o casamento; mas o casamento não é o fim do namoro. Na verdade, o namoro deve continuar pelo resto da vida a dois.

O namoro continua sendo muito importante dentro do casamento. Quando o fim do namoro é o casamento, grandes são as chances desse casamento desmoronar.

É interessante que, durante o período de namoro, muitas são as juras de amor eterno, os presentes, os programas, as roupas bonitas, os penteados cheios de cuidados, os perfumes, as gentilezas.

Entretanto, aqueles que consideram que o fim do namoro é o casamento, abandonam todas ou quase todas essas práticas e passam a agir de modo totalmente inverso!

Essa é uma das razões pela qual os casamentos acabam durando muito pouco. É preciso continuar perdoando, amando, protegendo e valorizando o cônjuge. Muitos maridos passam a agir exatamente como agiriam após haverem "transado" com a namorada - isto é, passam a tratar a esposa com indiferença, sem qualquer interesse nela.

Por outro lado, as mulheres também, muitas vezes, perdem todo o encanto, pois já não se arrumam como se arrumavam, já não usam aquele perfume que o namorado tanto apreciava (quando não ficam mal-cheirosas), esquecem-se de que o seu corpo é "o templo do Espírito Santo" e deixam de cuidar dele, tornam-se relaxadas com tudo.

Tanto o marido como a mulher precisam estar atentos para que o namoro tenha sua continuação no casamento. Esposas continuam gostando de ganhar um presente, de receber flores, de sair para jantar, de ouvir elogios sobre sua aparência.

Exatamente como quando eram namoradas. Os esposos, por sua vez, continuam gostando de ver sua "namorada" com os cabelos penteados, limpas, cheirosas, de comer algo feito especialmente para ele, de ouvir palavras de amor.

"Lembre-se de que a frase Eu amo você! , dita sincera e freqüentemente, afofa o terreno do relacionamento e pré-dispõe o aprofundamento de raízes.

Com o passar dos anos o namoro continuou em processo de mutação. O império da AIDS (doença fatal sexualmente transmissível), trouxe uma transformação na aceleração da libertinagem juvenil. Os preservativos entraram na lista de materiais comuns da lista de compras dos adolescentes, como a pílula na década de 70.

Parte desta população resolveu "dar um tempo", "se cuidar". Nos Estados Unidos da América, uma igreja batista iniciou, junto aos seus adolescentes, uma campanha intitulada "QUEM AMA, ESPERA". Grande parte daquela região aderiu.

Porém, uma nova modalidade de namoro surgiu.

Como a adolescência é uma idade instável, o desejo de independência provocou um novo tipo de relação: FICAR.

Pesquisando entre adolescentes, cheguei a 6 conclusões sobre o que significa para eles o FICAR:

1) FICAR É NAMORAR DE BRINCADEIRA

2) FICAR É PRATICAR PARA VER SE VAI DAR CERTO

3) FICAR É SUPRIR PROVISORIAMENTE A CARÊNCIA AFETIVA E SEXUAL

4) FICAR É CURTIR TODO MUNDO NUMA BOA, SEM COMPROMISSO

5) FICAR É NAMORO AVANÇADO, ONDE VALE TUDO


6) FICAR É A MODA ENTRE JOVENS E ADOLESCENTES

Quero discutir estes conceitos com vocês, apontando o que a bíblia diz sobre os princípios envolvidos no assunto.

Espero que com isto, possa haver um esclarecimento considerável e um sólido desejo de praticar o ensino das Escrituras Sagradas.

1) FICAR É NAMORAR DE BRINCADEIRA

Você gosta de brincar com ratoeiras, cobras, bombas, botijões de gás ou facas? Não, não é mesmo? São brincadeiras perigosas e de mau gosto.

Brincar com os sentimentos dos outros, ou mesmo arriscar os seus, também é errado. A Bíblia diz: "Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?" (Jr 17.9).

Sentimentos são preciosidades.

Não se gosta ou se deixa de gostar de brincadeira. Ademais, sempre se sai ferido de uma relação fingida.

Tudo quanto o cristão faz, pensa ou intenciona é para a glória do Senhor, devendo ser feito com responsabilidade e dedicação. Diz a Bíblia: "Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios e sim como sábios"(Ef 5.15). "Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens."(Cl 3.23).

2) FICAR É PRATICAR PARA VER SE VAI DAR CERTO

Deus não criou a família pelo sistema empírico (experimental). Pelo contrário, o Seu desejo sempre foi agir em prol do homem, dando-lhe uma pessoa adequada para sua felicidade.

Veja o exemplo de Adão (Gn 2.22) ou de Isaque (Gn 24.51). Deus tem um plano para a união de dois corações, e pode conceder bênçãos maravilhosas!

"Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede, recebe; o que busca, encontra; e, a quem bate, abrir-se-lhe-á"(Mt 7.7,8).

Cabe ao adolescente e ao jovem estar atento às pessoas ao seu redor, consultando o seu coração e a Palavra de Deus.

"Esperei confiantemente pelo Senhor; ele se inclinou para mim."(Sl 40.1a).

O jovem cristão deve escolher alguém debaixo da orientação de Deus e que seja também uma pessoa cristã.

Do contrário, está pecando: "Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo? (II Co 6.14-16).

• Namorar é conhecer alguém no sentido básico da palavra: gostos, temperamento, procedimentos, personalidade, reações.

O restante está reservado para o casamento.

Jovens: como escolher uma namorada? Procure com sabedoria, lembrando que o que a garota é hoje com os pais dela ou em relação a Deus, ela o será amanhã com você também.

Leia Provérbios 31.10-31 e repare nos sábios conselhos de uma mãe ao seu filho solteiro, para que se casasse com alguém digna.

Procure uma moça cujos princípios sejam semelhantes a estes.

Adolescentes: Como escolher um rapaz: O Salmo 1.1-3 aponta o comportamento do homem bem-aventurado. As bem-aventuranças trazem um perfil ideal para o esposo preparado por Deus: humilde de".

Espírito, manso, parecido com Jesus, limpo de coração, pacificador (Mt 5.3-9). Peça ao Senhor, abra seus olhos e esteja atenta.

Deus lhe mostrará e dará uma rica oportunidade de encontro.

"Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós, a ele seja a glória"(Ef 3.20,21a)

3) FICAR É SUPRIR PROVISORIAMENTE A CARÊNCIA AFETIVA E SEXUAL 

Este argumento é falho. O ser humano sempre foi carente de afeto, seja pela falta sentida na infância, seja pela solidão circunstancial, e nunca houve necessidade de existir um relacionamento de o tipo FICAR.

Há um amor maior que nos conforta e supre a carência: O AMOR DE DEUS. Diz a Bíblia: Nós amamos porque Ele nos amou primeiro “(I Jo 4.19).

Nosso amor por Deus deve ser maior que qualquer outro amor humano, mesmo por alguém que é objeto de nossos sentimentos: "Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim, não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim."(Mt 10.37).

Martinho Lutero, o mais importante líder da Reforma Protestante, declarou, em seu hino CASTELO FORTE: "Se temos de perder os filhos, bens, mulher, embora a vida vá, por nós Jesus está, e dar-nos-á Seu reino!".

Para gozarmos constantemente deste abundante amor, devemos estar em comunhão constante com Ele, por meio da leitura bíblica, da oração e do testemunho diante de todos.

Tenha certeza de que Ele é provedor: "E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades". (Fp 4.19).

Muito cuidado! Abraços e beijos podem se tornar uma armadilha do inimigo. Cumprimentar outrem com um ósculo santo, um beijo na face, é uma coisa. Exceder-se na saudação, dando lugar à licenciosidade e sensualidade, é outra.

Cuidado! Fuja do pecado e da aparência do mal: "Abstende-vos de toda a forma do mal"(I Ts 5.22)

4) FICAR É CURTIR TODO MUNDO NUMA BOA, SEM COMPROMISSO

Este pensamento é anti-cristão. É uma afirmação, no mínimo, irresponsável. É fruto da carência de normas no ambiente familiar.

A palavra CURTIR tem diversos significados, mas aqui é utilizada no sentido de namorar, "transar".

Sinceramente, você se casaria com alguém que já FICOU com todo mundo e que, na realidade, nunca "ficou" comprometida com ninguém? Você aceitaria que sua irmã ou sua mãe se comportasse deste jeito? Ora, se isto é escabroso quando imaginado em alguém que nos é preciosa, que nos é querida, por que faz e acha interessante com as pessoas de outras famílias?

Lembre-se do sábio Salomão, que, em sua velhice, exclamou com veemência: "Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais dirás: Não tenho neles prazer."(Ec 12.1).

Igualmente o apóstolo Paulo lembra algo muito importante a Timóteo, o seu filho na fé: "Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza."(I Tm 4.12)

O cristão é um ser comprometido com Deus e com o ser humano. É alguém que "veste a camisa", que "lança mão do arado e não olha para trás.".

Não ter compromisso efetivo com a pessoa querida é pecado, falto de caráter, fruto de uma educação distorcida e de um coração sem sentimentos.

O que deve unir alguém à outro é o amor, e este é poderoso e permanente: "O amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta; o amor jamais acaba"(I Co 13.8,9a).

5) FICAR É NAMORO AVANÇADO, ONDE VALE TUDO

Sendo um relacionamento mundano, fruto de uma sociedade sem Deus, FICAR não serve para nós. Simular um comportamento afetivo com quem não se ama? Ter comportamento de pessoas casadas estando solteiro? Fazê-lo com pessoas estranhas? Isto é perversão, hipocrisia e mentira.

Tolo é aquele que crê nas mentiras, crê no carinho do estranho, no amor de quem não está nem aí com os sentimentos alheios.

Tal pessoa está caindo na armadilha de Dalila, que trocou afetos, carinhos e atos conjugais pela destruição do infeliz Sansão (veja Juízes, capítulo 16).

Quem age assim não merece você. Deus tem alguém especial, alguém que não lhe tenha como "estepe", como "quebra-galho", mas sim como alguém de fundamental importância.

Se você já se comportou mal assim, Deus tem um remédio para seu erro: arrependimento! "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça"(I Jo 1.9)

"...Não sabeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo, constitui-se inimigo de Deus.. (Tiago 4.4); "Não ameis o mundo, nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele."(I Jo 2.15).

Deus tem outra moda. A moda dele é melhor. Se ligue em Seus caminhos.

O cristão que pratica “o ficar” pode correr o sério risco de tomar conhecimento do arrebatamento da Igreja através da mídia quando então tais pessoas ficarão para serem marcadas pelo Anticristo.

A minha oração a Deus é no sentido de que isso jamais ocorra com você que neste momento medita nesta mensagem; para isso você e eu, cada um de nós devemos vigiar no limite máximo da nossa temperança, mantendo um domínio próprio sobre os nossos impulsos sexuais.

Pois só assim poderemos ouvir o soar das trombetas quando subiremos aos céus para habitar para sempre com o Senhor, amém!