terça-feira, 12 de maio de 2015

O DEVER DO MARIDO I (Dom Paulo Garcia)

O DEVER DO MARIDO I (Dom Paulo Garcia)
A palavra que caracteriza o deve da esposa para com o marido é a “submissão”. A palavra que caracteriza o papel do marido para com sua esposa é o “amor”. O marido nunca deve usar sua liderança para esmagar ou neutralizar a esposa. A ênfase bíblica não está na autoridade do marido, mas no seu amor por ela (Ef 5:25,28,33).

O que significa submissão? Submissão é entregar a alguém. O que significa amor? É entregar-se por alguém. Assim, submissão e amor são dois aspectos da mesma coisa.
O apóstolo Paulo escrevendo aos habitantes de Éfeso (5,24-33) usa cinco verbos para descrever a ação do marido em relação à sua mulher: 
1. Em primeiro lugar, ele usa o verbo “amar”. O marido deve amar a esposa como Cristo amou a Igreja. O amor de Cristo pela Igreja foi proposital, sacrificial, santificador, altruísta, abnegado e perseverante.
2. Em segundo lugar, Paulo usa o verbo “entregar-“. O marido deve amar sua mulher com um amor não egoísta, ou seja, um amor devotado.
3. Em terceiro lugar, Paulo usa o verbo “santificar”. O amor visa o bem da pessoa amada. A mulher que é amada pelo marido é protegida de muitas tentações e sua vida é santificada.
4. Em quarto lugar, Paulo usa o verbo “purificar”. O amor busca a perfeição da pessoa amada.
5. Finalmente, Paulo usa o verbo “apresentar”. O amor visa a felicidade plena da pessoa amada e com a pessoa amada. 
Além disso, o marido é responsável pela vida espiritual da esposa e dos filhos. Ele é o sacerdote do lar. O marido precisa buscar a santificação da esposa. Deve ser a pessoa que mais exerça influência espiritual sobre ela. Ela deve ser uma benção na vida dela (Pv 31:11,12,13,28,29).

O Dever do Marido II (Por Márcia Garcia).
Dom Paulo mencionou a carta de Paulo aos habitantes de Éfeso (5;24-23), na qual ele usa cinco verbos para caracterizar o dever ou ação do marido em relação a sua mulher e afirmou, também, que o marido é o responsável pela vida espiritual da esposa e dos filhos. 

Outras atitudes do marido devem ser:
1. Ele deve cuidar da vida emocional de sua esposa. O marido quando fere a esposa, está ferindo a si mesmo. Quando ele cuida dela, ele está cuidando de si mesmo. Um homem pode abusar de seu corpo comendo ou bebendo em excesso porque, ao maltratar o seu corpo, ele mesmo vai sofrer. O marido, de igual modo, que abusar ou maltratar a sua esposa é tolo. Ele machuca a si mesmo, quando assim procede. Um marido abusa da esposa ao ser rude com ela, não lhe dando tempo, atenção, carinho, quando utiliza palavras e gestos grosseiros ou não sendo fiel. 
2. O marido também não deve descuidar de sua esposa. Um homem pode descuidar de seu corpo. E se o faz é néscio e vai sofrer com isso. Quando o marido descuida da esposa, ele se priva dos mais excelentes privilégios. O marido descuida da esposa quando substitui o relacionamento pelo trabalho, quando passa o tempo disponível em frente à televisão, do computador ou em roda com os amigos. Há muitas viúvas de maridos vivos. Há maridos que desejam viver a vida de solteiros.
3. O marido deve cuidar da vida física da esposa. Como um homem sustenta o seu corpo? Por meio de alimentação e cuidado. Quando ingerimos nosso alimento não pensamos apenas nas calorias ou proteínas, mas também naquilo que nos dá prazer. Igualmente o marido deve tratar a sua esposa. Ele deve se preocupar com aquilo que a agrada e alegra. Ele deve ser criativo naquilo que traz deleite para ela. Todos sabemos que o exercício físico é fundamental para o corpo humano. O exercício essencial para o casamento é o diálogo. Existe a comunicação verbal e a não verbal (carícias, afagos, o tomar pelas mãos...). Todas as formas de comunicação são fundamentais para romper a rotina desgastante de um casamento. O marido precisa aprender a ser romântico, cavalheiro, gentil e cheio de ternura para com sua esposa.

Morte por Anemia (Arcebispo e Primaz das Américas do Sul e Central-Dom Paulo Garcia)

Morte por Anemia (Arcebispo e Primaz das Américas do Sul e Central-Dom Paulo Garcia)
A moça estava fraca. Tinha sinais de anemia. Tudo era possível ainda. Poderia haver total recuperação. Porém ela escolheu a morte. A morte por falta de vontade de recuperar-se. Sentia-se fraca e sem vontade de comer. Por não sentir vontade, deixou de se alimentar. Recusava todo e qualquer alimento. Quanto mais fraca, menos vontade de comer. E de fraqueza em fraqueza sucedeu-se a morte. Morte por anemia. 
Infelizmente, Deus morre por anemia no coração de pessoas, quando agem da seguinte maneira:
-Só oro quando tenho vontade.
-Só vou ao culto quando sinto necessidade.
-Não sinto vontade de ler a Palavra de Deus.
-Sinto uma angustia dentro de mim, mas vai passar, é questão de tempo.
-Sou cristão, mas não preciso frequentar qualquer igreja, faço minha oração em casa mesmo.
Se você sente ainda uma pequena vontade de orar, não esmague essa vontade, mas trate de alimentá-la.
Se você esta lendo somente leituras sensacionalistas, que em nada alimentam sua vida, penso que ainda existe vida na Palavra de Deus.
Se você sente momento de angústia, não deixe que ela tome conta de você. Deus pode preencher o vazio da sua nostalgia, fazendo com que Ele se torne para você um personagem real, do presente e não uma recordação simplesmente.
Precisamos, quase sempre, dominar nossa vontade, domá-la, pois ela só quer, na maioria das vezes, satisfazer os impulsos da carne.
Participar de uma comunidade cristão, comprometer-se com ela é fundamental para o crescimento e fortalecimento da fé. 
A morte por anemia é uma covardia. É morrer sem lutar. É desistir antes de começar.
RESSUSCITE EM VOCÊ UM DEUS QUE ESTÁ MORTO!

É BOM SER MAU (Dom Paulo Garcia)

É BOM SER MAU (Dom Paulo Garcia)
Uma das formas que temos de atrair rancores é através da tentativa incessante de sermos sempre "bonzinhos". A obsessão em oferecer justificativas ou explicações para cada um de nossos atos ou posturas elimina certas possibilidades de diálogo com os demais.
Muitas vezes é importante não sermos "bonzinhos" para abrirmos caminho para que os outros nos vejam como "malvados". Muitos pais aprofundam rixas com os filhos, pois não conseguem aceitar-se como "não bonzinhos" perante eles. 
Contudo, não ser "bonzinho" não significa estar errado ou assumir ser malévolo, mas, sim, abrir espaço para aqueles que, diante de uma presença marcante e forte, necessitam afirmar-se. Realizar isto, no entanto, não é nada fácil, pois para permitirmos não ser "bonzinhos", temos que suportar a carga que isto representa para nossa imagem. 
Aquele que permite não ser "bonzinho" no momento correto desvia muito rancor ou inveja a ele dirigidos, exatamente por conta do que representa ou simboliza para nossa imagem.
Permitir-se não ser "bonzinho" trata-se do direito de reconhecer que nenhum de nós é perfeito e que, portanto, por mais que saibamos ocultar nossas faltas, alguma critica far-se-á pertinente. 
Moisés viveu sua vida como um eremita e armava sua tenda fora do acampamento. Como consequência disto, seus críticos o condenavam por exclusivismo e indiferença. Aarão, por outro lado, dava-se ao trabalho de apaziguar todos os que discutiam e movimentava-se o tempo todo junto às pessoas no acampamento. Aarão foi criticado por ser democrático demais, sem se dar ao respeito da posição de honra que ocupava. Os oponentes de um homem importante irão condená-lo, não importa qual seja o seu comportamento. 
Uma vez sabido disso, talvez não seja necessário ao líder ou pessoa importante rebater certas críticas. Saber portar-se como "não bonzinho" é fundamental para dissipar certos resíduos de inveja. Devemos suportar este "falar mal" e seguir a diante.

Descanse no Senhor! (Dom Paulo Garcia)

Descanse no Senhor! (Dom Paulo Garcia)
Toda pessoa já enfrentou momentos difíceis na vida, como por exemplo: doença, problemas financeiros, falecimento de um ente querido, relacionamento desfeitos, contrariedades diversas...
Você está vivendo hoje alguma dificuldade? Experimentando tempos difíceis aparentemente insolúveis?
O rei Davi que viveu diferentes situações como: perseguição pelos inimigos, guerras internas no reino, traição e morte na família escreveu noSalmo 37,7: "Descanse no Senhor e espere Nele". Apesar de todos os contratempos, o rei superou as situações difíceis de sua vida.
O rei não procurou uma feiticeira na hora do desespero e da dor; não consultou necromantes ou cartomantes; não confiou nos deuses dos homens; nem depositou a confiança no poder, no dinheiro e na riqueza que possuía.
Davi confiou no Senhor da esperança. É o verdadeiro Deus todo poderoso que pode fazer mudar tudo. Ele é o Deus que se encarnou em Jesus Cristo, que deu sua vida para salvar os homens dos pecados, de suas consequências e inclusive do desespero.
O Senhor merece nossa confiança. Você pode entregar sua vida e seus problemas a Ele. Entregue suas dificuldades, problemas, incertezas, dores e espere a sua resposta em tempo oportuno. Quem espera e confia no Senhor não ficará desiludido, nem desesperado.
Olhe para a frente! Confie e espere no Senhor! Ele quer ajuda-lo nesta vida! Quer dar-lhe vida, e nova vida, aqui e agora e também no Céu

VIDA CRISTÃ ABUNDANTE! (Dom Paulo Garcia).

VIDA CRISTÃ ABUNDANTE! (Dom Paulo Garcia).
O encontro com Cristo transforma as pessoas. A partir do momento em que alguém abraça a fé cristã e a vive, ele passa a fazer parte do povo de Deus e sua vida, então, começa a ter outros referenciais. 

Neste sentido, o apóstolo Paulo faz uma comparação entre a vida de antes e depois desse encontro.
Veja a lista de virtudes a serem cultivadas por aqueles que passam a integrar o povo de Deus, em cujos corações Cristo começou a reinar. Estas virtudes estão registradas na carta de Paulo aos Colossenses, capítulo 3.
Quando Cristo é tudo:
1- nós nos revestimos de misericórdia, de bondade, de humildade, de delicadeza e paciência;
2- nós nos apoiamos e nos perdoamos mutuamente;
3- o amor se torna o elo de todos os nossos relacionamentos;
4- a paz de Cristo passa a ser o critério para nossos julgamentos;
5- a nova vida plena e transformada se torna exemplar para os outros;
6- em tudo o que fazemos, Deus é plenamente louvado e glorificado.
Deus nos acolheu e nos fez seu povo santo. E como povo santo de Deus, importa que cresçamos nas virtudes cristãs que, por si só, atestam de quem somos e a quem servimos.

“E DISSE O SENHOR A JOSUÉ: “NÃO TENHA MEDO DESSES REIS; EU OS ENTREGUEI NAS SUAS MÃOS. NENHUM DELES CONSEGUIRÁ RESISTIR A VOCÊ”!! (Josué)- As perspectivas não eram boas! Uma verdadeira coligação de inimigos ameaçava marchar sobre Josué e o povo de Israel! Aquele momento era uma espécie de encruzilhada: Uma via era a vitória e a outra o esmagador poderio dos inimigos! Só quem precisa decidir sabe das dores e incertezas num momento assim. O General Eisenhower, conta, que no dia anterior ao famoso “DIA D”, que antecedeu à Invasão da Normandia pelas forças aliadas na II Guerra Mundial, ele, o General, trancou-se em um quarto e de joelhos pediu forças para tomar um decisão. As informações davam conta de que ou seria no dia seguinte ou não haveria como se estabelecer outra data, em razão das condições meteorológicas. O momento de Josué era semelhante! A força do inimigo era desproporcional! Quantas vezes tem sido assim conosco queridos (as). As forças que marcham contra os nossos mais lindos projetos são, muitas vezes, desproporcionais, aparentemente arrasadoras e imbatíveis. Corremos o risco de perder a priori! De bater em retirada antes mesmo da luta! As análises humanas, lógicas e racionais, nos informam que a vitória é praticamente impossível. O coração é tomado pela dúvida, medo e insegurança! “Não dá”! “É loucura”! São as conclusões a que chegamos e, muitas vezes, escoradas por opiniões de peso! Isso ocorre com pais em relação a um filho (a); com um enfermo em relação à cura; com um empresário no que diz respeito a um investimento; com alguém que luta na justiça por algo que lhe foi tirado de forma obscura e mentirosa; com quem já vem orando há muito tempo, mas o horizonte continua escuro e carregado de pesadas nuvens, etc. Enfim, a chamada “sensatez” informa que é melhor conformar-se, desistir, abrir mão, assumir o fracasso. Exatamente nestes momentos e nestas encruzilhadas entre o AVANÇAR e o RECUAR, é que A Voz do Senhor irrompe acima de todas as impossibilidades dizendo: ‘NÃO TENHA MEDO”!! Ele surge, encosta, chega junto, alia-se, arregaça as mangas e o que parecia impossível acontece. Sabem queridos (as), neste exato momento, QUEM FOGE COM MEDO É O MEDO!! O fraco ganha forças! O débil e amedrontado torna-se imbatível. Literalmente o IMPOSSÍVEL ACONTECE! Lágrimas cessam, choro morre por falta de alimento, o desespero rende-se à esperança e a glória do Senhor Reina! Observe como Deus fala: “EU OS ENTREGUEI NAS SUAS MÃOS! NENHUM DELES CONSEGUIRÁ RESISTIR A VOCÊ”!! Deus não VAI ENTREGAR! DEUS JÁ ENTREGOU!!! Acalme-se, sua vitória já foi determinada por Deus. Agora é SÓ BUROCRACIA!!! PROTOCOLO!! Enquanto isso, prepare as vestes de festa e celebração. Quando Deus fala: “JÁ FIZ”, a chance de não ser É ZERO!! Continua a promessa: “NENHUM DELES CONSEGUIRÁ RESISTIR A VOCÊ”!!! É crer ou não crer! Se o seu critério for SENTIR, sente-se e aguarde! Se o seu critério for CRER, comece a dançar, pular de alegria! Confesso que quem está com vontade de pular sou eu!! Queridos, nada disso é historinha para ninar criança!! Tudo isto é Promessa do Nosso Eterno Deus!! Aleluia! Portanto, AVANTE!! Em Nome de Jesus de Nazaré, AVANTE!! Meu carinhoso abraço de boa noite!!! Dom Alexandre Ximenes.


“E DISSE O SENHOR A JOSUÉ: “NÃO TENHA MEDO DESSES REIS; EU OS ENTREGUEI NAS SUAS MÃOS. NENHUM DELES CONSEGUIRÁ RESISTIR A VOCÊ”!! (Josué)- As perspectivas não eram boas! Uma verdadeira coligação de inimigos ameaçava marchar sobre Josué e o povo de Israel! Aquele momento era uma espécie de encruzilhada: Uma via era a vitória e a outra o esmagador poderio dos inimigos! Só quem precisa decidir sabe das dores e incertezas num momento assim. O General Eisenhower, conta, que no dia anterior ao famoso “DIA D”, que antecedeu à Invasão da Normandia pelas forças aliadas na II Guerra Mundial, ele, o General, trancou-se em um quarto e de joelhos pediu forças para tomar um decisão. As informações davam conta de que ou seria no dia seguinte ou não haveria como se estabelecer outra data, em razão das condições meteorológicas. O momento de Josué era semelhante! A força do inimigo era desproporcional! Quantas vezes tem sido assim conosco queridos (as). As forças que marcham contra os nossos mais lindos projetos são, muitas vezes, desproporcionais, aparentemente arrasadoras e imbatíveis. Corremos o risco de perder a priori! De bater em retirada antes mesmo da luta! As análises humanas, lógicas e racionais, nos informam que a vitória é praticamente impossível. O coração é tomado pela dúvida, medo e insegurança! “Não dá”! “É loucura”! São as conclusões a que chegamos e, muitas vezes, escoradas por opiniões de peso! Isso ocorre com pais em relação a um filho (a); com um enfermo em relação à cura; com um empresário no que diz respeito a um investimento; com alguém que luta na justiça por algo que lhe foi tirado de forma obscura e mentirosa; com quem já vem orando há muito tempo, mas o horizonte continua escuro e carregado de pesadas nuvens, etc. Enfim, a chamada “sensatez” informa que é melhor conformar-se, desistir, abrir mão, assumir o fracasso. Exatamente nestes momentos e nestas encruzilhadas entre o AVANÇAR e o RECUAR, é que A Voz do Senhor irrompe acima de todas as impossibilidades dizendo: ‘NÃO TENHA MEDO”!! Ele surge, encosta, chega junto, alia-se, arregaça as mangas e o que parecia impossível acontece. Sabem queridos (as), neste exato momento, QUEM FOGE COM MEDO É O MEDO!! O fraco ganha forças! O débil e amedrontado torna-se imbatível. Literalmente o IMPOSSÍVEL ACONTECE! Lágrimas cessam, choro morre por falta de alimento, o desespero rende-se à esperança e a glória do Senhor Reina! Observe como Deus fala: “EU OS ENTREGUEI NAS SUAS MÃOS! NENHUM DELES CONSEGUIRÁ RESISTIR A VOCÊ”!! Deus não VAI ENTREGAR! DEUS JÁ ENTREGOU!!! Acalme-se, sua vitória já foi determinada por Deus. Agora é SÓ BUROCRACIA!!! PROTOCOLO!! Enquanto isso, prepare as vestes de festa e celebração. Quando Deus fala: “JÁ FIZ”, a chance de não ser É ZERO!! Continua a promessa: “NENHUM DELES CONSEGUIRÁ RESISTIR A VOCÊ”!!! É crer ou não crer! Se o seu critério for SENTIR, sente-se e aguarde! Se o seu critério for CRER, comece a dançar, pular de alegria! Confesso que quem está com vontade de pular sou eu!! Queridos, nada disso é historinha para ninar criança!! Tudo isto é Promessa do Nosso Eterno Deus!! Aleluia! Portanto, AVANTE!! Em Nome de Jesus de Nazaré, AVANTE!! Meu carinhoso abraço de boa noite!!! Dom Alexandre Ximenes. (Josué)- As perspectivas não eram boas! Uma verdadeira coligação de inimigos ameaçava marchar sobre Josué e o povo de Israel! Aquele momento era uma espécie de encruzilhada: Uma via era a vitória e a outra o esmagador poderio dos inimigos! Só quem precisa decidir sabe das dores e incertezas num momento assim. O General Eisenhower, conta, que no dia anterior ao famoso “DIA D”, que antecedeu à Invasão da Normandia pelas forças aliadas na II Guerra Mundial, ele, o General, trancou-se em um quarto e de joelhos pediu forças para tomar um decisão. As informações davam conta de que ou seria no dia seguinte ou não haveria como se estabelecer outra data, em razão das condições meteorológicas. O momento de Josué era semelhante! A força do inimigo era desproporcional! Quantas vezes tem sido assim conosco queridos (as). As forças que marcham contra os nossos mais lindos projetos são, muitas vezes, desproporcionais, aparentemente arrasadoras e imbatíveis. Corremos o risco de perder a priori! De bater em retirada antes mesmo da luta! As análises humanas, lógicas e racionais, nos informam que a vitória é praticamente impossível. O coração é tomado pela dúvida, medo e insegurança! “Não dá”! “É loucura”! São as conclusões a que chegamos e, muitas vezes, escoradas por opiniões de peso! Isso ocorre com pais em relação a um filho (a); com um enfermo em relação à cura; com um empresário no que diz respeito a um investimento; com alguém que luta na justiça por algo que lhe foi tirado de forma obscura e mentirosa; com quem já vem orando há muito tempo, mas o horizonte continua escuro e carregado de pesadas nuvens, etc. Enfim, a chamada “sensatez” informa que é melhor conformar-se, desistir, abrir mão, assumir o fracasso. Exatamente nestes momentos e nestas encruzilhadas entre o AVANÇAR e o RECUAR, é que A Voz do Senhor irrompe acima de todas as impossibilidades dizendo: ‘NÃO TENHA MEDO”!! Ele surge, encosta, chega junto, alia-se, arregaça as mangas e o que parecia impossível acontece. Sabem queridos (as), neste exato momento, QUEM FOGE COM MEDO É O MEDO!! O fraco ganha forças! O débil e amedrontado torna-se imbatível. Literalmente o IMPOSSÍVEL ACONTECE! Lágrimas cessam, choro morre por falta de alimento, o desespero rende-se à esperança e a glória do Senhor Reina! Observe como Deus fala: “EU OS ENTREGUEI NAS SUAS MÃOS! NENHUM DELES CONSEGUIRÁ RESISTIR A VOCÊ”!! Deus não VAI ENTREGAR! DEUS JÁ ENTREGOU!!! Acalme-se, sua vitória já foi determinada por Deus. Agora é SÓ BUROCRACIA!!! PROTOCOLO!! Enquanto isso, prepare as vestes de festa e celebração. Quando Deus fala: “JÁ FIZ”, a chance de não ser É ZERO!! Continua a promessa: “NENHUM DELES CONSEGUIRÁ RESISTIR A VOCÊ”!!! É crer ou não crer! Se o seu critério for SENTIR, sente-se e aguarde! Se o seu critério for CRER, comece a dançar, pular de alegria! Confesso que quem está com vontade de pular sou eu!! Queridos, nada disso é historinha para ninar criança!! Tudo isto é Promessa do Nosso Eterno Deus!! Aleluia! Portanto, AVANTE!! Em Nome de Jesus de Nazaré, AVANTE!! Meu carinhoso abraço de boa noite!!! Dom Alexandre Ximenes.

PROTEJA SEU CASAMENTO

PROTEJA SEU CASAMENTO
Muitas vezes um casamento vai bem, e acaba abalado por causa de um relacionamento inesperado com uma terceira pessoa. Começa de maneira inocente e agradável, torna-se cada vez mais envolvente. Por fim, traz complicações e desgraças para muita gente.
Não foi um acidente ou "um grande amor que surgiu". Foi um
relacionamento do qual o casamento deveria ter sido protegido. Não seja ingênuo pensando que isto só acontece com os outros. Muita gente boa já caiu exatamente por ser ingênua assim. Lembre-se de 1 Coríntios 10.12. Por isso, proteja seu casamento...
Eis algumas dicas
TENHA BOM SENSO COM SUAS COMPANHIAS
Evite gastar tempo desnecessário com alguém do sexo oposto. Muitos casos surgem por não se agir assim. Se um executivo precisa de aulas particulares de inglês e
contrata uma jovem professora. Contrate um homem. Não significa que cada contato com alguém do sexo oposto seja porta para o adultério. Significa evitar oportunidades para cair.
Companhia contínua cria intimidade. Intimidade com o sexo oposto traz problemas.
TOME CUIDADO COM AS CONFIDêNCIAS
A pessoa mais íntima de alguém deve ser seu cônjuge. Segundo a Bíblia, são "uma só carne", isto é, uma só pessoa. Se há aspectos de seu relacionamento que você não pode compartilhar com esposo(a) e compartilha com alguém do sexo oposto, a coisa está ruim. As pessoas tendem a se solidarizar com quem sofre e a proximidade emocional se torna perigosa. Um homem que se queixa de sua esposa para outra mulher está traçando um caminho perigoso. Isto vale para quem faz e para quem ouve confidências.
EVITE MOMENTOS A SÓS
Decida não ter momentos privados com alguém do sexo oposto. Se um(a) colega de trabalho pedir para ter um almoço com você, convide uma terceira pessoa. Se necessário, não se constranja em compartilhar os limites que você e seu cônjuge concordaram ter no seu casamento. É melhor ser visto como rude que vir a cair em pecado.
VIGIE SEUS PENSAMENTOS
Cuidado com o que pensa. Se você só se detém nos defeitos de seu cônjuge, qualquer outro homem ou mulher parecerá melhor. Faça uma lista das coisas que inicialmente lhe atraíram em seu cônjuge.
Aumente o positivo e diminua o negativo. Evite filmes, conversas, sites e literatura que apologizam o adultério. Lembre de Colossenses 3.2.
EVITE COMPARAçõES
Um homem trabalha com uma mulher perfumada, maquiada, bem vestida. Em casa encontra a esposa, com criança no colo, cabelo desfeito, banho por tomar. Uma mulher encontra um homem compreensivo com quem pode se abrir, e se sente mais à vontade com ele do que com o esposo. Ignoraram situações e contextos diferentes. Foram iludidos pelo irreal. Lembre-se do pródigo: o mundo lhe era fascinante, mas terminou num chiqueiro. As aparências iludem, porque o mundo em que vivemos em casa é o real. O mundo de relacionamentos fora de casa é sempre artificial.
EVITE A SíNDROME DO RETORNO
É a idéia de que a vida sentimental e sexual caiu na rotina, e agora, a pessoa "renasceu". Já vi inúmeros casos assim: "Eu
renasci", ou "Eu me senti jovem de novo". Não banque o adolescente.
Você é um adulto com responsabilidades e com uma pessoa com quem partilha a vida. Construa sua vida com seu cônjuge. Se sua vida conjugal se "fossilizou", há outros
caminhos. Revigore-a com seu cônjuge. Há pessoas que sempre se fossilizam e pulam de
relacionamento em relacionamento, procurando o que não produzem.
Temos o que produzimos.
PONHA SEU CORAçãO NO SEU LAR
A solidez do casamento vem pelo tempo que os cônjuges gastam juntos. Conversas, risos, passeios, programas comuns. Se você não sai com seu cônjuge, marque datas para os próximos meses. Vocês devem ter um ao outro como o melhor companheiro. Mantenham o clima de namoro: querer estar junto com a pessoa. Orem juntos.
Dificilmente duas pessoas que oram juntas brigarão entre si. Sejam parceiros espirituais.
INVISTA EM SEU CôNJUGE
O marido da mulher virtuosa é conhecido quando se levanta em público (Pv 31.23). A idéia é que ele está bem vestido e vê o caráter dela pela roupa dele. Uma boa esposa é um bom tesouro (Pv 18.22). De bom tesouro cuida-se e evita-se perdê-lo. Marido: mulher bem tratada é um grande investimento; o retorno emocional é garantido. Mulher: marido bem tratado é um grande investimento; o retorno emocional é garantido.
BUSQUE AJUDA
Havendo problemas, busque ajuda. Primeiro em Deus. Lembre-se de Tiago 1.5. Busque orientação de pessoas mais experientes ou do ministério. Evite que o problema se avolume. Evite conselhos de gente que não tem o que dizer. Os amigos de Roboão lhe deram maus conselhos (1Rs 12.6-12). Nesta busca de ajuda, evite por mais lenha na
fogueira. Evite também raiz de amargura (Hb 12.15). Busque ajuda e não um juiz a seu favor.
CONCLUSãO
Bons casamentos não acontecem por acaso. São produto de muito
trabalho e da graça de Deus. Boa parte do trabalho é investimento
emocional no relacionamento conjugal. Mas investir sem proteger é problemático. É preciso levantar cercas contra os problemas externos, porque os internos são mais vistos e os dois vivenciam.
Não permita brechas. Não dê armas ao inimigo.
Leiam com atenção.
Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho