sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Sexualidade no casamento: o que posso no meu casamento?

ESTUDO PARA HOMENS
A VIDA SEXUAL DO CASAL CRISTÃO

Ir Gerbson Almeida
Fundador do grupos de Evangelismo Semeadores da Fé e Evangelho Verdadeiro, paginas na internet
A gra ça e a paz do nosso senhor e Salvador esteja convosco

Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo. (1Co.6:20)
Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei TUDO para a glória de Deus. (1Co. 10:31)
Maridos, amai vossa esposa e não a trateis com amargura. - (Cl. 3:19)
Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, 
Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama. (Ef.5:25,28)
Antes de entrarmos diretamente no Estudo sobre a Vida Sexual do Casal Cristão, traremos uma palavra sobre este assunto que teve uma implicação direta na vida dos casais dos tempos bíblicos:

CIRCUNCISÃO
"Esta é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós e a tua descendência: todo macho entre vós será circuncidado.
Circuncidareis a carne do vosso prepúcio; será isso por sinal de aliança entre mim e vós. 
O que tem oito dias será circuncidado entre vós, todo macho nas vossas gerações, tanto o escravo nascido em casa como o comprado a qualquer estrangeiro, que não for da tua estirpe. 
Com efeito, será circuncidado o nascido em tua casa e o comprado por teu dinheiro; a minha aliança estará na vossa carne e será aliança perpétua." - (Gn. 17:10-13)


A CIRCUNCISÃO é a retirada de todo o prepúcio. É necessária em casos mais sérios de fimose. Para fins de saúde, se houver necessidade de circunsisão total é necessário operar pois pode a longo prazo trazer problemas como a PARAFIMOSE que é o estrangulamento da glande pelo prepúcio de orifício estreito, bem como dificulta a higiene local. Ou até câncer no local.
Já a retirada do freio do pênis é somente para possibilitar o indivíduo ter relação sexual sem dor.O freio do pênis é uma película que liga o prepúcio a glande. A necessidade de retirar esse freio ou parte dele se dá quando o homem não consegue expor a glande quando o pênis está ereto ou se o faz, produz dor. Como é feita a operação? O tipo de operação depende de exame médico.

A CIRCUNCISÃO NA BÍBLIA Tinha dois propósitos fundamentais:

1 - A MARCA DA ALIANÇA - Na aliança que Deus fez com Abraão, Ele ordenou que fosse feita a circuncisão de todos os machos, aos oito dias. Era como se Deus dissesse: "Abraão, todo aquele que for gerado pelo seu aparelho genital deverá Ter na sua carne, a marca da minha aliança.

2 - HIGIENE E SAÚDE PARA OS HOMENS E MULHERES
- Quando não existe maneira de limpeza ddiária do pênis, existe o perigo de sujeira e infecções, que poderão ser transmitidas para as mulheres. Isso não acontece se for tirado o prepúcio.
Os homens não-circuncidados precisam diariamente lavar a glande pois o prepúcio retém poeira e urina e outras substâncias que facilitam a proliferação de bactérias formando entre a glande e o prepúcio uma massa esbranquiçada chamada esmegma.
A permanência dessa substância no local causa a BALANITE e a BALANO-POSTITES que são inflamações no prepúcio e na glande.
Calcula-se que no mundo, 1 em cada 7 homens são circunsidados.

Para o indivíduo que tem o prepúcio retirado adaptar a glande ao contato com meio externo é preciso deixá-la exposta.
Por exemplo, ao colocar a cueca sentirá um incômodo muito forte mas é preciso suportá-lo, após uns 2 minutos esse incômodo começará a diminuir e em uns 10 minutos já não haverá mais nenhum incômodo pois a glande já terá se adaptado ao "novo ambiente".

PROBLEMAS MASCULINOS MAIS COMUNS EM RELAÇÃO AO SEXO:
1. Ejaculação Precoce
2. Impotência

O QUE É EJACULAÇÃO PRECOCE 
Do ponto de vista clínico, existem vários conceitos para rotular um homem como ejaculador precoce, mas somente um deles deve ser considerado:
O ejaculador precoce é aquele que não consegue controlar o processo ejaculatório por tempo suficiente de contenção intravaginal de modo a satisfazer sua companheira em pelo menos 50% dos atos sexuais.
Se a parceira sofre de algum tipo de trauma ou é anorgásmica, por razões outras que não a rapidez do processo ejaculatório do homem, esta definição se torna inválida.
Em geral quem reclama da resposta de ejaculação precoce é a  mulher. Se o homem ejacula regularmente durante o jogo sexual preparatório, ou durante as tentativas de introdução, ou ainda, com os primeiros movimentos depois da penetração , dificilmente existirão chances de expressão sexual feminina efetiva, ou seja, a mulher não terá chances de ter seus orgasmos, consequentemente poderá sofrer num futuro breve de problemas sexuais também

O QUE É A IMPOTÊNCIA
Pesquisas atuais revelam que de 10% a 30% dos homens no mundo sofrem ou irão sofrer de problemas sexuais ao longo de suas vidas, um destes problemas é a impotência.
Na verdade a impotência é a falta de resposta sexual no controle da ereção do pênis. Ela pode apresentar-se de duas maneiras. Orgânica: Em geral em torno dos 5% a 10% de casos encontrados. Comum em pacientes que apresentam um quadro degenerativo, por uso de certos medicamentos, uso de drogas, alto índice de colesterol, e outros ( veja tabela na ultima página)
Psicológica, mais comum e em geral está a cerca dos 90% dos casos. Causas como stress, falta de recursos materiais, tensão, conflitos e outros estão geralmente associados.
As classificações da impotência.a) Impotência Primária: é considerado impotente primário aquele indivíduo que nunca apresentou nenhuma resposta sexual em nenhum tipo de relação sexual, ou seja, aquela pessoa que nunca conseguiu realizar um ato sexual. É muito raro e de difícil tratamento.
b) Impotência Secundária: a mais comum, mais encontrada no mundo, é as pessoas que em algum tempo possuía sua potência sexual normal e por algum motivo não apresenta mais resposta sexual
c) Impotência Situacional: Como o nome já sugere, é o homem que por algum motivo em sua situação de vida está apresentando o problema, ou seja, um homem com problemas financeiros graves, com depressão, por tristeza ou outro motivo que o leve a não ter mais desejo e vontade sexual. Um homem que esteja tomando medicamentos que impeçam o bom resultado sexual. Um exemplo claro de problema sexual que apareceu em uma determinada época no Brasil foi no confisco da poupança, os consultórios viviam lotados com casos de impotência situacional, isso tudo derivado do stress que o momento financeiro exigia.
Como identificar o tipo de impotência que se sofre?
Existem meios de uma pessoa entender se seu problema está com algum comprometimento físico ou se seu problema é na verdade de fundo psicológico. Pode ser facilmente observado pelo paciente sem necessidade de uma consulta. Se você conseguir algum tipo de potência sexual, mesmo que seja dormindo (excitação espontânea) ou é capaz de produzir algum tipo de ereção em determinadas situações, certamente você não está sofrendo de nenhum problema físico, pois para que isso ocorra, você teria que apresentar a impotência 24 horas do dia e não de vez em quando.

A sexualidade e sua auto estima
Temos que entender que existe uma regra na sexualidade, que vale para todos. Todo ejaculador precoce com o passar do tempo transforma-se em um impotente, mas nem todo impotente passa pelo problema da ejaculação precoce.
A Impotência é um quadro erroneamente interpretado pela maioria dos homens, pensa-se que é normal um homem chegar aos seus 50 - 60 anos de idade e tornar-se um impotente, mas isso é puro mito. O homem tem que ser potente até o dia de sua morte, ou seja, se ele não sofre de problemas físicos ou não utiliza-se de medicamentos que interferem na potência sexual, não tem porque tornar-se um impotente.
O problema é que os homens apóiam sua auto-estima no seu desempenho sexual; quando há perda da potência passa-se por períodos difíceis em sua vida sexual e pessoal. Muitos casos de agressões são relatadas nestes casos, separações e outros comportamentos que afastam o homem do convívio afetivo e muitas parceiras agravam ainda mais a problemática com certos tipos de cobranças sexuais.
Temos que entender, que a impotência pode ter origem até mesmo no tipo de relação existente em casa, por isso a avaliação do profissional é muito importante.
Algumas mulheres "castram" seus maridos, comportando-se de forma destrutiva na situação sexual, outras, por sua vez, são tão "famintas" por sexo que se comportam de forma compulsiva, exigindo de seus maridos que hajam da mesma forma. Isso cria um ambiente cheio de tensões para o homem, servindo para agravar ainda mais o problema. A excitação sexual não pode ser exigida, tem que acontecer naturalmente e espontaneamente ao desejo e à estimulação.
Não deixe de procurar o atendimento se caso estiver sofrendo deste problema, em geral o tratamento é muito rápido e com uma eficácia elevadíssima em pouco tempo. Independente de sua idade, não havendo problemas físicos não tem porque não ter potência sexual.

AS DIFERENÇAS NA INTIMIDADE
- O tempo para ficar excitado é diferentte entre homem e mulher. A mulher demora mais para ficar "no ponto", e por não conhecer esse detalhe muitos homens acabam forçando a mulher sem ela estar pronta. - Se ele tiver paciência a relação poderá ser mais intensa.
- A motivação também é diferente, as mullheres geralmente não se excitam em ver o homem sem roupa, palmadas ou beliscões, mas com carinhos e palavras românticas. As palavras e o toque no corpo podem "acender" o prazer da esposa.
- Quando termina a relação, a mulher demmora para "esfriar", já o homem quando termina o ato sexual, deita para o lado e já não está mais sentido nada, enquanto a mulher ainda está sentindo prazer.

É IMPORTANTANTE SABER QUE:
· O PRAZER É PARA OS DOIS - Controlar o tempo e esperar para que a mulher também sinta prazer.
· A HIGIENE É FUNDAMENTAL - Banho e limpeza localizada antes da relação. Os homens costumam ser preguiçosos nesta parte, e querem que a mulher os aceite de qualquer maneira.
· A SEGURANÇA DA RELAÇÃO - Local trancado e longe dos ouvidos de estranhos. Geralmente a mulher se sente insegura se o local não é totalmente adequado. Cuidado com o ouvido das crianças.
· NUDEZ - O corpo do homem e da mulher são uma só carne. Não há problema ver a nudez do outro.
· IMPUREZA "Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus". (1Co. 6:9-10)

"Fugi da impureza. Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do CORPO; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo." (1Co. 6:18)
· SEXO ORAL - O sexo oral é um acordo entre o casal. Você pode beijar a sua mulher da cabeça até o pé, e ela a você, desde que isso aumente o prazer para os dois.
O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido. A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher. 
Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e, novamente, vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência. (1Co.7:3-5)

· RESPEITO AO CORPO
O meu amado é para mim um saquitel de mirra, posto entre os meus seios. - (Ct. 1:13)
Os teus dois seios são como duas crias, gêmeas de uma gazela, que se apascentam entre os lírios. (CT 4:5)
O teu umbigo é taça redonda, a que não falta bebida; o teu ventre é monte de trigo, cercado de lírios. (CT 7:2)

- Conhecimento do Corpo da Mulher
- Existem lugares que são sensíveis ao ttoque e poderão estimular o prazer.

· SEXO NAQUELES DIAS - (Mulher menstruada) - O problema é mais higiênico do que espiritual. Nestes dias a mulher além de apresentar uma irritação natural, dificultando qualquer clima, ela sente-se muito insegura quando procurada. Segundo a Bíblia, nestes dias a mulher está imunda. "A mulher, quando tiver o fluxo de sangue, se este for o fluxo costumado do seu corpo, estará sete dias na sua menstruação, e qualquer que a tocar será imundo até à tarde." (Lv.15:19)
- A mulher do fluxo de sangue não ousou tocar em Jesus, mas apenas na Sua veste, para não ocorrer no erro de "contaminar" Jesus. (Mt. 9:20)

· BESTIALIDADE - É o sexo com animais, totalmente condenado na Bíblia. - ..."e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis". (Rm. 1:23)

DEUS ABENÇOA O AMOR VERDADEIRO ENTRE O HOMEM E A MULHER
Beija-me com os beijos de tua boca; porque melhor é o teu amor do que o vinho. - (Ct. 1:2)

Levantei-me para abrir ao meu amado; as minhas mãos destilavam mirra, e os meus dedos mirra preciosa sobre a maçaneta do ferrolho. - (Ct. 5:5)

As muitas águas não poderiam apagar o amor, nem os rios, afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens da sua casa pelo amor, seria de todo desprezado. - (Ct. 8:7)
Um casal cristão pode cultivar fantasias sexuais? Até onde um casal evangélico pode ir com suas fantasias sexuais?

Antes de tudo, as fantasias sexuais pertencem ao imaginário sexual de todo homem e mulher e elas  envolvem os cinco sentidos: o olfato, a visão, o tato, o paladar e a audição.


A fantasia sexual na Bíblia

O sexo é uma criação de Deus. Quando Deus criou homem e mulher, ele dotou a cada um de nós de glândulas e órgãos sexuais. Embora a Bíblia seja a carta de amor de Deus ao homem, nela encontramos vários textos que ressaltam a beleza do sexo na vida de um homem e de uma mulher. O livro de Cantares de Salomão, por exemplo, é um livro que descreve a beleza da sexualidade entre um homem e uma mulher.

Na relação daquele casal havia espaço para as fantasias sexuais envolvendo o olfato (Ct 4.10), as carícias (7.3) e lugares diferentes (7.12,13).

Os limites bíblicos
Muitos desenvolvem fantasias sexuais que não são permitidas para um casal cristão. Desejar participar de sexo grupal, que é uma fantasia sexual, a Palavra de Deus é contrária.

Deus instituiu o sexo para ser desfrutado dentro do casamento e com o cônjuge exclusivamente (Lv 18.20; Pv. 5.15; Hb 13.4).

A presença de terceiros na relação sexual do casal, mesmo que seja virtualmente, como nos casos de filmes ou revistas pornográficas, Deus não se agrada e não é de Sua vontade.
A Bíblia também condena o sexo entre pessoas do mesmo sexo (Lv 18.22), com animais (Lv 18.23) e com parentes próximos (Lv 18. 6-18).

Outros limites
Há privacidade?
Há constrangimento no outro?
Há liberdade entre o casal?
Traz risco para a saúde?

Quando uma fantasia sexual fere o princípio da privacidade visual ou auditiva, deve ser evitada. A relação sexual é algo que deve ser compartilhada a dois e não para terceiros verem ou ouvirem.

Os cônjuges devem também respeitar os limites um do outro. Se o marido deseja fazer sexo com sua esposa sobre a mesa da sala, mas para a esposa é constrangedor, esse deve respeitar sua esposa como prova de amor.

Sexo no casamento deve ser associado a prazer de ambos, expressão de carinho e não de dor e constrangimento ao cônjuge ou a terceiros.

Cuidado!
Embora sejam, até certo ponto, saudáveis para a vida sexual do casal, as fantasias sexuais podem ser perigosas. Se um casal, em todas as relações sexuais, precisar de uma fantasia isso pode ser um sinal de anomalia.

Se para ter prazer sexual é preciso receber tapas, ser amordaçado ou chicoteado, é sinal de que algo não está bem no aspecto psicológico. Nesses casos é preciso ajuda de um profissional, de um terapeuta para ajudar o indivíduo e o casal na busca das razões desses comportamentos sadomasoquistas.

Portanto, no cultivo da fantasia sexual todos esses pontos devem ser levados em conta. Quando um casal mantém um diálogo aberto sobre sua vida sexual, busca a vontade de Deus e procura respaldar suas práticas sexuais à luz da Bíblia é plenamente ser feliz e realizado sexualmente.

As questões relativas a sexualidade sempre foram vistas como tabu, assunto secreto, que não deve ser compartilhado em público e nas raríssimas vezes em que era compartilhado sempre era as escondidas e com meias palavras. Mas o tempo mudou e hoje em dia até mesmo uma criança fala sem cerimônias sobre sexo. Fala-se tanto sobre o sexo que o que estamos vendo é a vulgarização de um tema tão importante.

Entendo que a discussão suscitada a partir da enquete do site click família, se crentes casados – é bom deixar isso bem claro – devem ou não freqüentar o motel, coloca em questão se na vida conjugal há espaço para a realização de fantasias sexuais. Se não fosse isso entendo que não existe razão para discutir se a um casal crente, casado, é lícito ou não freqüentar um motel?

Cristão pode frequentar motel?

Sexo tem a ver com fantasias. Até porque antes da relação sexual o que há é a fantasia, e durante a atividade sexual o que também está em questão é a fantasia. Mas você pode perguntar: sexo não tem a ver com amor? Sem dúvida que sim! Ainda mais se tomarmos como referência os textos bíblicos. Mas não será a fantasia um dos componentes do amor? É possível amar sem fantasiar?

Não precisa ser nenhum conhecedor ou estudioso de história para saber que no início da era cristã, por ocasião do domínio do império romano, existiam muitos “motéis” espalhados pelas cidades de Roma, Corinto e outras, só não tinham o nome. Eram casas com banhos aromatizados, água quente, piscina e muito mais onde os homens compareciam para a satisfação dos seus desejos sexuais. Essas casas atendiam a diversas práticas: hetero e homossexuais, e as mulheres que freqüentavam esses espaços não eram as esposas dos ilustres cidadãos romanos.

Os “motéis” do império romano eram lugares de prostituição. O pensamento machista da época era que o homem deveria ter pelo menos duas mulheres: uma para cuidar da casa e criar os filhos, e outra para satisfazer os seus prazeres mais íntimos. Tal pensamento perdura por séculos e séculos – as mulheres são vistas como meros objetos de satisfação sexual do homem.

Bem mais pertinho da nossa realidade, na década de sessenta do século passado, o que observamos é um movimento por parte das mulheres onde elas reivindicam o direito ao prazer sexual – não querem mais ser meros objetos de satisfação sexual do homem. Sutiãs são queimados em praça pública como forma de protesto.

Nada mais justo e bíblico que as mulheres busquem a satisfação sexual. Na primeira carta aos Coríntios o Apóstolo Paulo responde sobre as questões relativas ao casamento diz que por causa da prostituição o homem deveria ter sua própria mulher, ressaltando que o marido deve “pagar” a mulher o que é devido, e que, de igual modo a mulher deve “pagar” ao marido o que é devido (1 Co 7.3).

A tradução da NVI é mais clara e diz que tanto marido como mulher devem “cumprir os seus deveres conjugais”. É assim mesmo – sexo só é bom quando é bom para os dois!

Qual o entendimento do Apóstolo Paulo em relação a satisfação sexual? – até porque há quem diga que esse era o seu espinho na carne. Estaria ele considerando a fantasia na relação sexual?

Suponhamos que estivesse, pois ele era um homem entendido, esclarecido, de cultura, que abordava temas importantes de forma bem aberta e transparente. Será, então, que ele concordaria com o fato de que os casais casados da igreja de Corinto frequentassem os “motéis do império romano”, como forma de incrementar a vida sexual no casamento?

Veja bem, não estou e nem posso transferir a minha responsabilidade de comentar sobre a conveniência de um casal crente frequentar ou não o motel para o Apóstolo Paulo, até porque ele não está mais entre nós. Então, tire cada um a sua conclusão.

É também nesta primeira carta do Apóstolo Paulo aos Coríntios que encontramos a expressão: “Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém.” No capítulo 8, quando comenta sobre o comer ou não comer carne sacrificada a ídolos ele diz que não há problema algum e que se fosse só por conta disso os crentes de Corinto poderiam ficar tranquilos, mas – alguém já disse que sempre tem que ter um “mas” para estragar a história – se tal atitude viesse a escandalizar um irmão, então deveria ser evitado. O limite da liberdade é ditado pelo outro e não por nós mesmos.

Será que poderíamos aplicar a mesma regra a questão de um casal crente, casado, frequentar ou não um motel – a consciência do outro?

Mas se o problema é esse – a consciência do outro – não é difícil de ser resolvido. É só não comentar com ninguém a ida ao motel, pelo menos com aqueles que você sabe que não aceitam essa prática. Para ficar mais garantido quanto a isso outro cuidado a ser tomado seria o de ir a um motel num lugar distante de onde se mora, para não correr o risco de ser visto.
Isso não significa fazer as coisas escondido ou tomar precaução?
Levando em consideração, a consciência do outro. É preciso também destacar que nenhum casal equilibrado vive comentando sobre a sua vida sexual com outras pessoas, não é verdade?

Veja bem! Estou abordando a questão de ir ou não ir ao motel pelo lado da fantasia sexual. É preciso considerar que toda a fantasia cobra um preço – falo de dinheiro mesmo. Um motel, (acredito) bom não é barato . Um motel barato, não é bom. Imagina deitar numa cama suja, com um lençol que não foi trocado dado a grande rotatividade de um local tão bem frequentado! Tomar banho na banheira de hidromassagem, com uma água requentada, bem no ponto de conservar as bactérias que ali foram despejadas!!!

Há de se medir essas e outras consequências. Por vezes um hotel simples, num local aprazível, romântico mesmo, com uma higiene adequada é bem mais barato que um motel. Pode não ter uma cama redonda, espelhos por todos os lados do quarto, luz ambiente, banheira de hidromassagem, piscina, etc. Mas se tem um quarto com uma cama de casal com um lençol limpo, um banheiro com uma boa ducha de água quente, toalhas limpas e até serviço de quarto. Precisa de mais o quê?

Alguns dizem que um casal crente não deve ir ao motel porque ali é lugar de prostituição, de promiscuidade, de pecado. Em parte estão certos, só em parte. Porque se for levar esse pensamento ao pé da letra será preciso deixar de frequentar muitos outros lugares. Penso que se um casal casado crente tem vontade de ir ao motel, se é um desejo tanto do marido quanto da esposa, então devem planejar direitinho e ir, sem consciência pesada por conta de que estariam praticando algum pecado.

O Apóstolo Paulo disse “Tudo me é permitido, mas nem tudo me convém.”, entendo que com isso ele estava querendo dizer que numa determinada ação ou decisão é preciso levar em consideração os prós e os contras.

Cabe cada casal fazer esse exame e decidir se vale ou não vale a pena frequentar um motel. Até porque a vida cristã não pode ser entendida como um conjunto de regras a partir do binômio: pode isso / não pode aquilo – isso está mais para farisaísmo do que para cristianismo.


O livro dos Cânticos, por exemplo, é um livro que aborda temas eróticos, as metáforas empregadas pelo autor têm a ver com as fantasias sexuais, com o desejo sexual que Deus colocou no homem e na mulher. O motel, enquanto um espaço reservado para a prática do sexo tem a ver com esse lado erótico que o amor entre um homem e uma mulher comporta.

Eliminar o erotismo do casamento é a mesma coisa que acabar com o casamento, mesmo que o casal opte por continuar dormindo na mesma cama.

Se o motel contribui para manter o erotismo no casamento, então não vejo problema algum.

Agora, se é só através do motel que o amor erótico é satisfatório aí é problemático. Neste caso já entraria a questão dos pensamentos lascivos que é pecado

Mas afinal de contas um casal crente, devidamente casado, pode ou não pode frequentar um motel?
Você quer mesmo saber qual a minha posição sobre esse assunto?
Então vou dizer: não sou contra, e nem a favor, muito pelo contrário! (???) até porque penso que assuntos ligados a intimidade da vida sexual do casal são como os segredos da maçonaria e, portanto, não devem ser discutidos em público!!!

você decide!


Na igreja católica, o homem e a mulher são considerados como casal cristãos quando assumem o comprimisso através do sacramento do matrimônio, que se dá de forma pública diante de um ministro que representa a Deus abençoando a união. Eles fazem uma aliança diante do Senhor de permanecerem fiéis até que a morte os separe.

Se entende que o plano de Deus para a família seja de que ambos, homem e mulher se complementem mutuamente, ajudando-se, gerando filhos, um procurando fazer o outro feliz. Note-se que a concepção de felicidade no cristianismo não é a mesma do mundo moderno. Se confunde muito com a definição hedonista de felicidade: prazer, gozo, satisfação própria. Já na concepção cristã, a felicidade e liberdade se dá quando livremente se escolhe fazer o bem, a vontade de Deus que a revelou plenamente através de seu filho Jesus.

O amor conjugal cristão leva ao comprometimento, a preocupar-se com fazer o outro feliz, e o amor do mundo leva a um utilizar do corpo alheio para melhor gozo possível de prazer. Num extremo, o casal masturba-se a dois, um é objeto de prazer do outro, e quando o objeto não funciona mais, dando o mesmo prazer de antes, rompe-se a relação, os filhos ficam com o coração dividido, enfim, surgem vários traumas.

Dentro dessa perspectiva, o corpo, na visão cristã é templo de Deus, templo do Espírito Santo (1 Cor 6, 19). Os orgãos sexuais devem ser usados dentro de sua função natural estabelecida pelo Criador. Certamente que carícias são formas de demonstrar amor. Entretanto o tipo de relação que os homossexuais praticam são condenados.

Outra informação que pode lhe esclarecer é o vício capital da luxúria. Ela é o vício que leva os homens a realizarem o ato sexual fora do casamento ou contrariando as normas naturais estabelecidas por Deus para ele.
"Honrado seja entre vós todos os matrimônio e o leito sem mácula; pois aos devassos e adúlteros, Deus os julgará" (Hebreus 13:4).

Conforme já havíamos falado em outros cultos, nos estudos subseqüentes da "VIDA FAMILIAR CRISTÃ", iremos falar da vida sexual do casal, que poucos pastores e pregadores têm coragem de abordar. Naturalmente vamos tratar do assunto com muito respeito e seriedade. Trata-se da vida sexual dos cônjuges cristãos. Eu disse cônjuges cristãos, porque somente o casal crente é que pode, pela força e orientação do Espírito Santo, viver uma vida sexual sem mácula diante de Deus.Não devemos ter medo de falar sobre o sexo. A Bíblia, que é a Palavra viva de Deus, largamente discorre sobre o assunto. Quando Deus criou o homem e, mais tarde, observou que "...não era bom que o homem estivesse só..." (Gênesis 2:18); imediatamente Ele tomou providências para suprir a solidão do homem. Deus tirou uma das costelas de Adão e fez uma mulher que tivesse a capacidade de ajudar o seu companheiro, pois ela tinha os mesmos sentimentos e afeições do seu parceiro. Afinal, ela tinha saído das mais profundas entranhas daquele com quem devia devotar sua vida para sempre. Ao acordar do seu sono profundo, Adão exclamou assim: "Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; ela será chamada varoa, porquanto do varão fora tomada. Portanto deixará o homem seu a pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão uma só carne" (Gênesis 2:23-24).

Deus criou macho e fêmea, de acordo com o original hebraico (Gênesis 1:27). Deus não criou dois machos para que se envolvessem sexualmente, e muito menos criou duas fêmeas para este fim. Não devemos esquecer que o Senhor Deus jamais perdoará aqueles que desobedecem a esse plano divino para a raça humana. A não ser que se arrependam de seus pecados hediondos. Mas se não houver um genuíno arrependimento, os tais sofrerão uma terrível condenação. Veja o que Deus diz em sua Palavra: "Não te deitarás com varão, como se fosse mulher; é abominação" (Levítico 18:22). Deus ainda diz: "Se um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos terão praticados abominação; certamente serão mortos; o seu sangue será sobre eles" (Levítico 20:13). No livro de Romanos, no primeiro capítulo, podemos ver um retrato horrendo da situação do homem neste aspecto, Romanos 1:18-32. Os chamados gays e lésbicas vão se apresentar um dia diante de Deus para prestarem contas de seus atos abomináveis. Eis o que a Bíblia diz a respeito: "...Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Deus. Porque está escrito: Por minha vida, diz o Senhor, diante de mim se dobrará todo joelho, e toda a língua louvará a Deus. Assim pois, cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus" (Romanos 14:10-12). "Porque é necessário que todos nós sejamos manifestos diante do tribunal de Cristo, para que cada um receba o que fez por meio do corpo, segundo o que praticou, o bem ou o mal" (II Coríntios 5:10).

No último capítulo da carta aos Hebreus, o escritor diz que o matrimônio (vida conjugal) deve ser honrado. O escritor fala do leito sem mácula. Creio que o autor se refere a certas aberrações sexuais que os pervertidos praticam. No mundo não cristão, o sexo é praticado nas mais diversas modalidades. É como disse Paulo em sua carta aos Romanos: "...Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural no que é contrário à natureza; semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a devida recompensa de seu erro" (Romanos 1:26-27). Quando uma pessoa aceita Jesus em seu coração, por mais dissoluta que tenha sido a sua vida no passado, experimentará uma mudança profunda em toda a área de sua personalidade. "Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo" (II Coríntios 5:17). Deus promete perdão ao pior pecador do mundo e de todos os tempos, se, porém, esse pecador se arrepender de seus pecados e confiar no sacrifício expiatório de Jesus Cristo. I Timóteo 1:15-16.

Ainda o escritor diz que Deus julgará os devassos e adúlteros. Sim, Deus não pode ignorar o pecado do homem. O pecador que não aceita o pagamento de seus pecados pelo precioso sangue de Cristo, será punido rigorosamente pela justiça divina. Jesus mesmo disse esta verdade: "Quem crê Nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do Unigênito Filho de Deus" (João 3:18). Veja também João 3:36. Como crentes em Cristo, devemos evitar todo o tipo de imoralidade no casamento. O escritor diz que o matrimônio deve ser honrado (literalmente significa respeitado). O esposo deve respeitar a sua companheira em seus relacionamentos sexuais. Igualmente as esposas devem fazer o mesmo. Em relação a esse aspecto, a Bíblia é bem clara quando diz: "Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição, que cada um de vós saiba possuir o seu vaso (esposa) em santidade e honra, não na paixão da concupiscência, como os gentios que não conhecem a Deus..." (I Tessalonicenses 4:3-5). Creio que não se precisa de mais clareza. Paulo está dizendo que a vida sexual do casal crente deve ser pura. A passagem em foco dá a entender que até mesmo dentro do matrimônio, as paixões carnais podem dominar os cônjuges, se não tiverem o devido cuidado.

A vida sexual do casal crente

Primeiramente, o sexo é restrito ao relacionamento do casamento. Vivemos numa época em que tudo parece ser liberal. Em matéria de sexo, as coisas se complicam. O Diabo tem usado os diversos meios de comunicação para difundir o pecado sexual. É difícil viver hoje em dia fora da influência do sexo. Nos cartazes de paredes e muros; pelas propagandas, aparentemente ingênuas na televisão; nas ruas, onde a "mulherada" usa roupas apelativas; e até mesmo, infelizmente, nas igrejas mais santas, o sexo é mostrado. Aquilo que foi criado para ser uma bênção se transformou numa maldição que tem levado milhões à perdição eterna.

Os moços são taxados de tolos por nunca terem tido relações sexuais. Coitados dos nossos irmãos jovens que lutam pela fidelidade da pureza cristã!!! Eu bem sei o que eles sofrem por parte dos incrédulos, pois até recentemente, antes do meu casamento, eu sofria as mais impiedosas críticas dos defensores do chamado sexo livre. O Diabo se tem servido de homens e mulheres para atacar as pessoas castas. O inimigo dá a entender que todos os que não cariam em prostituição e adultério, são ingênuos, insensatos e bobos. Eu sofri esse ataque quando era jovem. Sei que a tática do Satanás continua a mesma. O nosso adversário continua implacável em seus ataques. Mas os jovens, moços e moças podem vencê-lo pelo poder da Palavra de Deus. "Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo com a Tua Palavra" (Salmos 119:9). "Escondi a Tua Palavra em meu coração, para não pecar contra Ti" (Salmos 119:11).

Com referência ao casal crente, a Bíblia tem lições preciosas em relação ao assunto. Paulo tinha que usar uma franqueza a respeito da questão, que não é encontrada em nenhuma outra parte das Escrituras. No capítulo sete de sua primeira carta aos Coríntios, o apóstolo diz, aos que sofrem tentação sexual, que a saída para não cair no pecado da prostituição ou do adultério é o casamento. Vamos ver então o que ele diz a respeito disso: "Ora, quanto às coisas de que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher; mas por causa da prostituição, tenha cada homem sua própria mulher e cada mulher o seu próprio marido" (I Coríntios 7:1-2). É importante observar que Paulo recebeu carta por parte dos Coríntios, perguntando sobre a questão da vida sexual. Paulo, respondendo, disse que seria bom se o homem não fosse casado, porém, se for para viver em adultério e prostituição, seria muito melhor que casasse. Prova evidente que o sexo está restrito aos casados e não aos solteiros.

Antes de prosseguir, é bom considerar que Paulo não era contra o casamento quando diz: "...bom seria que o homem não tocasse em mulher..." (I Coríntios 7:1) As Escrituras Sagradas não pregam o celibato em nenhuma de suas porções, seja no Velho Testamento, seja no Novo Testamento. Muito menos o apóstolo Paulo seria a favor do celibato, isto é, que as pessoas não casassem. Paulo conhecia muito bem a passagem que diz: "...Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora (esposa) que lhe seja idônea" (Gênesis 2:18). Paulo mesmo explica o porquê ele queria que o homem não tocasse em mulher. Vejamos a explicação: "Acho, pois, que é bom, por causa da instante necessidade, que a pessoa fique como está" (I Coríntios 7:26). O apóstolo está falando de um período difícil que o mundo daquela época estava vivendo. Era uma época extremamente difícil na vida dos casados. Talvez o mundo de então estivesse passando por uma forte recessão. Sabemos que, de acordo com os registros bíblicos, o mundo, no tempo apostólico, sofreu uma grande fome, quando Cláudio foi Imperador de Roma (Atos 11:28). Conforme a história, essa fome foi tão severa que muitos acreditavam que era punição divina. Talvez, quando Paulo diz da instante necessidade, está se referindo a este tempo de fome que assolou o mundo. Sabemos que numa época de fome e de inflação, fica extremamente difícil para um esposo cuidar de sua família, principalmente se tiver muitos filhos. Paulo, pensando nisso, estaria querendo ajudar os não casados a evitarem sofrimentos futuros.

Às respostas, aos casais que vinham tendo dificuldades em seus relacionamentos sexuais, ele foi bastante enfático quando disse: "A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido; e também da mesma sorte o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher. Não vos negueis um ao outro, senão de comum acordo por algum tempo, a fim de vos aplicardes à oração e depois ajuntardes outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência" (I Coríntios 7: 4-5). Creio que a resposta dada pelo apóstolo, resolve muitos problemas que casais (principalmente os não convertidos), têm sofrido em seus relacionamentos conjugais.

Cada cônjuge pertence ao outro

No versículo quatro, Paulo explicitamente diz dos deveres sexuais de cada cônjuge. E essa verdade é declarada tão enfaticamente, que somos informados que nenhum dos dois cônjuges exerce direito sobre o seu próprio corpo, mas, antes, o corpo de cada qual pertence ao outro cônjuge. Em outras palavras, a mulher não pode negar o seu corpo ao seu marido, pois ele tem total direito de usá-lo para satisfazer suas necessidades sexuais. Igualmente, o marido não pode negar o seu corpo à esposa, pois ela também tem pleno direito de usá-lo para sua satisfação sexual. É uma questão de dívida, ou seja, o marido tem esse crédito da parte da mulher, e a mulher semelhantemente tem crédito da parte do marido. Ainda entendemos por esse versículo que o contrato matrimonial confere pleno direito de relação sexual. No versículo três, essa verdade é melhor demonstrada no ensino de Paulo. "O marido pague à mulher o que lhe é devido, e do mesmo modo a mulher (pague) ao marido" (I Coríntios 7:3). Já fiquei sabendo de vários casamentos que foram à deriva devido a falta de entendimento neste aspecto. Quando a esposa nega o seu corpo ao seu companheiro, ela está cometendo uma das maiores loucuras em relação ao seu casamento. Ela esquece que seu "maridinho" trabalha em algum escritório, fábrica, comércio ou seja lá onde for, rodeado de mulheres bonitas, que muitas vezes tem sido uma tentação para ele. Muitos maridos têm se conservado fiéis às suas esposas, não porque são de "ferro", mas porque tem encontrado na sua amada um companheirismo e afetividade tal, que dispensa qualquer tentação externa. A mulher pode resistir galanteios por parte dos homens "malandros"; porém, o marido, como homem, é mais vulnerável aos galanteios ou charmes de uma mulher "malandra". Mas, se o marido for fiel ao Senhor, e encontrar em sua esposa uma colaboração em sua vida sexual, é impossível cair nos braços de estranhas. Contudo, não esqueçamos que por outro lado, a mulher também tem os seus pontos fracos. Se o seu marido não cumpre o seu papel em relação ao sexo; tem tratado sua companheira com aspereza, e a tem considerado como um simples objeto de seus caprichos, a esposa pode também cair nos braços de algum homem que se apresenta como alguém que "solidariza" com a situação. De maneira que aprendemos nas Escrituras Sagradas que o casamento não é somente um "conto de fadas", mas cada qual dos cônjuges tem deveres morais, espirituais e físicos para com o outro.

Os problemas relacionados ao sexo

Biológica e emocionalmente a mulher é diferente do homem, e consequentemente tem muitos problemas que o homem não tem. O corpo da mulher é diferente do corpo do homem. Em razão disso, o marido deve entendê-la quanto ao relacionamento sexual. Devido dos muitos problemas que a mulher sofre, em razão da complexidade de seu corpo, muitas vezes ela não encontra ânimo para ter um relacionamento sexual com seu marido. Sim, ela tem seus momentos críticos em relação ao seu corpo e emoções. O marido deve entendê-la e ser solidário com ela neste aspecto. Numa ocasião desta, o marido nunca deve forçá-la. Ele deve compreender que não é "pirraça" de sua esposa. A Bíblia diz que o esposo deve viver com sua esposa com entendimento, pois ela é fraca em muitos pontos. Vamos ler sobre isso na primeira carta de Pedro: "Igualmente vós, maridos, vivei com elas com entendimento, dando honra (respeito ou dignidade) à mulher, como vaso mais frágil, e como sendo elas herdeiras convosco da graça da vida, para que não sejam impedidas as vossas orações" (I Pedro 3:7). O que fazer quando surgirem as dificuldades sexuais? Será que deve "declarar guerra" um ao outro? Não, Paulo diz que o casal deve entrar em acordo e abster-se do sexo por algum tempo, para orar a Deus (até que o problema desapareça) e, então se ajuntarem (em ato sexual) para não cair na armadinha de Satanás. (I Coríntios 7:5). Eu entendo por meio desta passagem que muitos atritos conjugais seriam facilmente resolvidos se o casal crente buscar ajuda do Criador. Por outro lado, já presenciei muitos casamentos que estavam à beira do desastre devido ao marido não compreender sua esposa.

Portanto, é até compreensível a abstinência sexual dos cônjuges, quando alguns problemas surgem e impedem um envolvimento satisfatório, Quando isso acontece, nada melhor do que um diálogo entre o casal e a oração a Deus, pedindo ajuda para solução do problema.Mas a esposa não deve cair em erros de apresentar problemas ao esposo, quando realmente não os têm, só como mero pretexto para não servi-lo. Pois, além de estar pecando contra o marido, também está pecando contra Deus.

Deve haver cooperação mútua entre ambos. Ou seja, o marido deve compreender sua esposa, mas também, a esposa tem por obrigação compreender seu marido. Deve haver reciprocidade entre ambos.Eis aqui mais um conselho da Bíblia: "Vós, mulheres, submetei-vos a vossos maridos, como ao Senhor" (Efésios 5:22). "Vós, maridos, amai a vossas esposas, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela" (Efésios 5:25).Se a ordem acima for obedecida à risca, o casamento pode ser um sucesso na vida dos cônjuges.

Nenhum comentário: