domingo, 2 de agosto de 2015

Polícia é cúmplice da perseguição aos cristãos

Polícia é cúmplice da perseguição aos cristãos
Mais um episódio de perseguição a cristãos virou notícia na Índia. Um grupo de extremistas hindus invadiu uma reunião de oração em West Delhi, na capital do país. Mas o que surpreende no caso é a inércia da polícia: ao invés de defender os agredidos, os tratou como verdadeiros suspeitos de um crime.
O caso ocorreu no último dia 18, mas só veio a público esta semana. Três pastores, acompanhados de mais 13 cristãos, estavam em Nangloi, Nihal Vihar, na casa de Ayaid Prasad para orar pela filha deste, que estava doente. Foi então que extremistas hindus invadiram a casa, arrastando os crentes para a rua e espancando-os. Os mais de 50 agressores afirmavam que os pastores haviam forçado a família de Prasad a se converter ao cristianismo.
De acordo com informações do Morning Star News, ao chegar ao local, a Polícia não prendeu os agressores: antes, levou os três pastores para a delegacia, interrogando-os com perguntas inconvenientes. “A polícia nos fez perguntas desconfortáveis, como quanto em dinheiro nós oferecemos às pessoas para que elas se convertam ao cristianismo”, disse Harchand Singh, um dos pastores agredidos durante o ataque.
Os pastores foram liberados horas depois, sob alegações da Polícia de que eles haviam sido levados sob custódia “para sua própria proteção”.
Mas os problemas não pararam por aí. Outro grupo de cristãos, liderados pelo pastor Rajan Gill, foram até a delegacia para pedir pela libertação do grupo de detidos. Ao chegarem lá, o grupo de agressores hindus esperava por eles – e os espancou também. Rajinder Masih, um dos cristãos, apanhou por cerca de 15 minutos antes que a Polícia intervisse.
“A polícia simplesmente disse ao grupo que nós já havíamos apanhado o suficiente, e que nos levaria para dentro da delegacia também”, disse pastor Gill. “Eu perguntei a um policial por que eles não interviram quando o grupo nos espancou bem em frente à delegacia. Ele respondeu que não era seu dever intervir em assuntos fora da delegacia.”
No dia seguinte, mais de 400 cristãos protestaram na porta da delegacia, pedindo providências. Só então, a polícia iniciou o processo de investigação dos agressores.
A.C. Michael, ex-membro da Comissão das Minorias de Déli, afirmou que a comissão enviou um memorando ao vice-governador de Déli, pedindo por justiça no caso e prontidão nas ações policiais.
De acordo com a agência missionária Portas Abertas, a Índia possui cerca de 59 milhões de cristãos, o que corresponde a menos de 5% da população do país. O hinduísmo é a religião predominante, e os extremistas hindus são os maiores perseguidores da fé cristã no país. Ainda segundo o Portas Abertas, a Índia é o 21º país que mais persegue cristãos no mundo.

Por Mariana Gouveia, revisado por Samuel Oliveira

Nenhum comentário: