segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Edir Macedo compara dízimos a Jesus

Edir pregando contra os demais pastores
O bispo Edir Macedo afirmou em seu programa de rádio que os dízimos e ofertas são tão sagrados quanto o próprio Deus, pois teria recebido essa revelação do Espírito Santo.
Em seu programa de rádio o fundador da Igreja Universal do Reino de Deus afirmou que “só podem enxergar os dízimos, ofertas e sacrifícios como coisa sagrada, santa, santíssima aqueles que tiveram a revelação da fé pelo Espírito Santo”.
Usando a passagem bíblica de Jeremias 2, o bispo Macedo afirmou que Israel era uma espécie de contribuição divina para o mundo nos tempos do Antigo Testamento: “Israel, naquela altura, era o dízimo de Deus, mas representava o dízimo que Deus havia dado ao mundo para salvá-lo, que é Jesus. Jesus foi o dízimo de Deus para nós. Deus nos deu o dízimo, para que todos que n’Ele creem, não pereçam, mas tenha a vida eterna”.
Conhecido por difundir a teologia da prosperidade de forma enfática, Edir Macedo afirmou ainda que “aquilo que você coloca no altar representa a sua vida no altar de Deus. O dízimo representa o seu primeiro amor, a sua lealdade e a sua fidelidade a Deus”.
Para o líder da denominação neopentecostal, “dízimos, ofertas e sacrifícios são tão sagrados, tão santos como o próprio Deus porque eles representam Deus […] Israel era consagrado ao Senhor e era as primícias (sic) da sua colheita”.
O cerne da teologia da prosperidade é pregar que um fiel pode alcançar privilégios divinos através da doação de valores e bens materiais. Edir Macedo é um dos principais difusores dessa teologia no Brasil e no mundo.
No entanto, teólogos e líderes evangélicos que adotam linhas teológicas tradicionais se opõem frontalmente a esse tipo de pregação. Em resumo, a oposição á teologia da prosperidade é formada pelo mesmo princípio que deu origem à Reforma Protestante, movimento que defendeu a tese de que as indulgências vendidas à época pela Igreja Católica não garantiam salvação aos fiéis. Nos dias de hoje, os opositores à teologia da prosperidade defendem a ideia de que nenhuma contribuição material ou financeira tem poder de atrair bênçãos ou garantir a Salvação, pois esta só pode ser alcançada pela fé na graça do sacrifício de Jesus.
Extraído do site gospelmais.com.br em 11/11/2014

Nenhum comentário: