quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Da Tristeza para a Alegria



Partes de um sermão de Charles Haddon Spurgeon, traduzidas e adaptadas pelo Pr Silvio Dutra.

“A sua tristeza se converterá em alegria." (João 16:20)

Nosso Senhor era muito honesto com os Seus seguidores quando se alistavam sob Sua bandeira. Ele não professa que eles iriam encontrar um serviço fácil se o tivessem por seu líder. Certa ocasião Ele parou alguns espíritos entusiasmados por ordenar-lhes que calculassem o custo; e, quando alguns disseram que iriam segui-lo onde quer que fosse, lembrou-lhes que, embora as raposas tivessem tocas e as aves do céu ninhos, Ele não tinha onde reclinar a cabeça. Ele nunca enganou qualquer homem. Ele contou toda a verdade a eles, e poderia honestamente dizer-lhes: "Se não fosse assim, eu vos teria dito."

Neste versículo Ele lembra o Seu povo que eles terão tristezas. A tristeza é uma parte designada para toda a humanidade, e há uma tristeza que é a bênção especial dos santos. Eles terão pesar se nenhum outro tiver.

Oh, espírito jovem, você acaba de encontrar um Salvador, e seu coração está muito contente. Seja feliz enquanto você pode, mas não espere que o sol sempre brilhará. Conte com os dias de chuva e dias de geada e de tempestade, porque eles virão.
Nosso Salvador, no verso diante de nós, não somente diz a Seus discípulos que eles terão tristezas, mas Ele os adverte que, por vezes, teriam uma tristeza peculiar. Quando o mundo se regozijasse, estariam aflitos.

"O mundo se alegrará", diz ele, "mas você deve chorar e lamentar." Agora isso às vezes é difícil para a carne e o sangue aceitar. Não podemos entender esse enigma - o povo de Deus suspirando e os inimigos de Deus rindo - um santo no monturo com os cães lambendo suas feridas e um pecador vestido de escarlata e saindo suntuosamente todos os dias - um filho de Deus suspirando e gemendo, castigado cada manhã, e um herdeiro do Inferno desfilando no mundo com sua alegria! Essas coisas podem ser assim? Sim, elas são assim, e se lermos este enigma pelo olho da fé, devemos entendê-lo. No entanto, veremos a Deus trabalhando mesmo nestas circunstâncias misteriosas.

Agora, nosso Senhor, a fim de sustentar os Seus servos sob as notícias de tristeza e de sofrimento especial, deu-lhes dois pensamentos. Primeira Ele o colocou nestas palavras - "um pouco de tempo." E há toda uma hortelã da consolação de ouro aqui - "um pouco de tempo." Quando as aflições são apenas temporárias, nós as suportamos.

Uma operação dolorosa tem que ser realizada, mas, quando o cirurgião nos diz que somente irá ocupar um minuto ou dois, nós nos submetemos a ele. "Um pouco" - que leva para fora da borda da tristeza. Se for senão um minuto, e em seguida, haverá interminável bênção que vem de fora, oh, então nos gloriamos na tribulação, e não a consideramos digna de ser comparada com a glória que há de ser revelada em nós. Aflitos filhos de Deus, confio a vocês essas palavras, "um pouco de tempo." Rogo-lhes para terem-nas em sua boca como um doce bocado quando sua boca estiver cheia do absinto da tristeza.

A outra reflexão que Ele lhes deu para o seu conforto é a que é feita por nosso texto, "a vossa tristeza se converterá em alegria." Que Deus o Espírito nos console enquanto pensamos sobre estas palavras.

O Senhor tinha falado sobre a Sua morte aos discípulos, quando estavam sentados em torno da mesa, e lhes tinha revelado o fato de que estava prestes a ser entregue nas mãos de homens ímpios e seria crucificado, e que isso iria fazê-los chorar e lamentar; mas referente a isto Ele diz: "a vossa tristeza se converterá em alegria." Temos também uma outra tristeza saindo dessa, ou seja, a tristeza que nosso Senhor ressuscitado tem ido longe de nós, subido o Monte das Oliveiras e deixado a Sua Igreja viúva; e ainda aqui a tristeza, também, é transformada em alegria. Falemos, então, sobre essas duas coisas.

Em breve verão diante de vocês, irmãos, um banquete sagrado. Estamos nos preparando para vir esta noite ao redor da mesa sobre a qual temos o pão e o vinho que celebra a morte de nosso Salvador. Agora, é um pensamento muito agradável que para celebrar a morte de Cristo não temos uma celebração que está cheia de tristeza. Não há nenhum mandamento que nos diga que devemos ir vestidos de luto, que devemos nos unir como a um funeral. Pelo contrário, o mandamento que comemora e manifesta a morte de Cristo é de alegria, se usado corretamente

Irmãos, não há motivo para tristeza quando olhamos para a cruz, pois Jesus está novamente vivo; Ele tem a glória sobre Ele que não teria, e não poderia ter tido, se Ele não tivesse se inclinado para vencer e inclinado a cabeça até a morte. O homem Jesus Cristo agora está assentado à destra do Pai exaltado muito acima dos principados e potestades, e de todo nome que é nomeado. Ele vê o fruto do trabalho de Sua alma, e ele está satisfeito, e em vez de lamentações tristes nos alegramos e o louvamos.

Além disso, irmãos, somos vencedores agora. É verdade - o nosso pecado está crucificado e extinto. Nosso pecado foi repudiado pela morte de Cristo. E agora o príncipe deste mundo foi expulso. Glória a Deus, chegamos ao memorial da morte de Cristo como a uma festa. Nossa tristeza é transformada em alegria.

É um grande ganho para nós não ter o Salvador aqui, pois Ele disse: "Se eu não for, o Consolador não virá para vós outros." Agora, é uma coisa mais nobre ter o Espírito de Deus habitando em nós do que ter Jesus Cristo habitando na terra. Pois, como já deu a entender, se estivesse na terra nem todos poderiam chegar a Ele; pois só podia estar em um lugar de cada vez. Mas agora o Espírito Santo está aqui. O Espírito Santo está sempre onde os crentes estão. "Não sabeis que Ele habita em nós para sempre?" E que não vemos nada, tudo isso é o melhor para nós. Uma vida de vista é para bebês; a vida com sensação é para crianças pobres, mas a vida de fé é para os homens em Cristo Jesus, e nos enobrece, tirando tudo o que é para ser visto e dando-nos poder para andar com o invisível. "Embora tenhamos conhecido Cristo segundo a carne", diz o apóstolo, "mas agora já não o conhecemos deste modo." Nós não temos Cristo entre nós segundo a carne, e estamos contentes de que assim seja, para que agora a nossa fé seja exercida e Deus ama a fé, e a fé torna os homens em verdadeiros homens aos olhos de Deus, e os enobrece tornando-os amigos de Deus.

Talvez eu esteja falando a algumas pessoas que estão sob muito graves aflições . Amado irmão, se o Senhor se manifestar em suas aflições, você ficará muito triste em se livrar delas; pois vai sentir que elas estão mesmo agora se transformando em alegria.

Eu também sei que a dor pode vir sobre você e graça pode vir com a dor, de modo que se sente grato por isso. Tenho ouvido santos de Deus dizerem que tiveram grandes perdas, mas que o amor de Deus foi derramado em suas almas, para que as suas perdas fossem contadas como ganhos. Temos ouvido falar de alguém que disse: "Deixe-me voltar à minha cama novamente, deixe-me ir para a minha dor de novo, porque eu tinha tanto de Cristo lá que eu, sinceramente, preferia estar sempre doente do que perder a doença e perder o amor do meu Senhor. "

Sim, amados, Ele pode, neste momento, transformar suas tristezas em alegrias. Se você tem uma grande porção de tristeza, você vai ter uma grande porção de alegria, pois Ele transforma tudo em alegria.
Leva um pouco de tempo para as nossas tristezas florescerem em doçura, mas elas irão.

E, marque isto, se não neste mundo, mas no País abençoado celestial a sua tristeza se converterá em alegria. Você estará entre os prazeres do céu, eu não duvido, para olhar para trás as tristezas da vida e ver como elas ministraram a nossa aptidão para uma pátria melhor.
Não vamos fazer canções de nossos suspiros e músicas de nossos lutos; somente esperemos e sejamos pacientes.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx


Visite os Blogs abaixos:

Veja tudo sobre as Escrituras do Velho Testamento no seguinte link:

livrosbiblia.blogspot

Veja tudo sobre as Escrituras do Novo Testamento no seguinte link:

livrono.blogspot.com.br 

A Igreja tem testemunhado a redenção de Cristo juntamente com o Espírito Santo nestes 2.000 anos de Cristianismo.

Veja várias mensagens sobre este testemunho nos seguintes links:

http://retornoevangelho.blogspot.com.br/ 

http://poesiasdoevangelho.blogspot.com.br/

A Bíblia também revela as condições do tempo do fim quando Cristo inaugurará o Seu reino eterno de justiça ao retornar à Terra. Com isto se dará cumprimento ao propósito final relativo à nossa redenção.

Veja a apresentação destas condições no seguinte link:

http://aguardandovj.blogspot.com.br/ 


Silvio Dutra
25dutra@gmail.com
Igreja Orgânica de Jesus na Abolição
Rio de Janeiro - RJ

Nenhum comentário: