quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

O Movimento de Convergência

O Movimento de Convergência

Picture

A Igreja de Cristo permaneceu perfeitamente unida nos seus primeiros onze séculos de existência. Mas em 1054 sofreu um rude golpe com a separação da Igreja em Igreja ocidental e Igreja oriental. Na base daquilo a que se chamou “o grande cisma” estiveram pueris disputas de poder e de primazia entre o Patriarcado de Roma e o Patriarcado de Constantinopla que culminaram numa excomunhão mútua. O Ocidente virou as costas ao Oriente e o Oriente fechou-se sobre si próprio. Desde então a Igreja do Ocidente começou por ser designada Igreja Católica Romana e a Igreja do Oriente como Igreja Ortodoxa.[15] No século XVI iniciou-se a chamada Reforma Protestante que teve como cabeça de proa o monge agostiniano Martinho Lutero. O que começou como uma reacção piedosa aos excessos praticados pela Igreja de Roma culminou noutro tipo de excessos que levaram à rejeição de tesouros que a Igreja sempre estimou e aceitou. Daqui surgiu o Evangelicalismo com as Igrejas Luterana, Presbiteriana, Menonita, Baptista, etc, etc, deixando em tiras o já mutilado tecido da unidade.

A Igreja de Roma cerrou fileiras e contra-reagiu com o Concílio de Trento em 1545. Daqui resultou que a Igreja Católica de Roma exaltou sobremaneira a importância dos Sacramentos, nomeadamente da Eucaristia com a transubstanciação[16] e as Igrejas protestantes se escudaram atrás de uma interpretação da Sagrada Escritura redutora e desligada do Magistério da Igreja de Cristo.

No turbilhão do século XVI, cerca de 1534, por motivos políticos e sentimentais alimentados pelos acontecimentos no continente, também a Igreja de Inglaterra[17] decidiu cortar vínculos com o Bispo de Roma e seguiu o seu próprio caminho mas não de modo tão extremado. Manteve a sucessão apostólica, a celebração dos sacramentos e a estrutura de governo episcopal se bem que tendo à frente o monarca inglês.

Em meados do século XVIII surgiu um movimento do Espírito Santo de tipo pentecostal na Igreja Ortodoxa Russa que se expandiu por diversos países da Europa. Estes cristãos ortodoxos acabaram por ser perseguidos e fugiram para a Arménia e para os Estados Unidos. Pela mesma altura um grupo da Igreja Metodista, depois de terem estudado o livro dos Actos dos Apóstolos, oraram a Deus para que o Espírito Santo fizesse o mesmo que fez no Pentecostes com os Apóstolos. Deus respondeu e começaram então a falar em línguas. Estes metodistas foram expulsos da sua Igreja e alguns mudaram-se para Los Angeles onde já estavam arménios carismáticos. Foi assim que se deu início ao Reavivamento de Azuza Street e que culminou no movimento pentecostal e carismático actual.

Nos anos oitenta evangélicos americanos começaram a sentir a necessidade de descobrir as raízes da Igreja. Muitos iniciaram o estudo da liturgia e descobriram um elo que lhes faltava. Desses alguns milhares aderiram então à Igreja Ortodoxa de Antioquia dos Estados Unidos mas outros seguiram um caminho alternativo. Entre eles encontrava-se o pastor carismático Randolph Adler. Randolph Adler foi pastor de uma comunidade na Califórnia e foi pregador itinerante. Participou activamente em movimentos e manifestações anti-aborto. Numa dessas manifestações foi preso com outros cristãos, evangélicos e católicos romanos. Nestes últimos Randolph Adler viu uma capacidade de sofrimento, uma paciência e uma profundidade espiritual que lhe faltava a ele e aos seus companheiros evangélicos. Começou então a estudar História da Igreja, as obras dos Padres Apostólicos e Liturgia. Randolph Adler encontrou as suas raízes. A seu tempo constituiu com outros pastores a Igreja Episcopal Carismática. No dia 26 de Junho de 1992 Randolph Adler tornou-se o Patriarca e o primeiro bispo em sucessão apostólica desta pequena Igreja de três congregações. Segundo o último balanço feito em 2000 esse número aumentou incrivelmente para cerca de 1000 havendo em todo o mundo - Estados Unidos, Europa, África e Ásia – um milhão de membros. Isso deve-se ao facto de muitas congregações independentes e carismáticas mas também muitas outras anglicanas, metodistas e luteranas terem decidido juntar-se a esta parcela da Igreja Católica de Cristo.

Na Igreja Episcopal Carismática o cristão católico e o evangélico podem encontrar o poder do Espírito Santo em acção. Nela o cristão pentecostal pode encontrar os inestimáveis tesouros dos Sacramentos e da Liturgia. A Igreja Episcopal Carismáticaestá aberta a todos aqueles que se queiram juntar com toda a Criação num louvor e num culto vivos ao nosso Deus mediante Jesus Cristo na unção do Espírito Santo. Seja bem-vindo!


[15] Ortodoxo: que ensina a verdadeira e correcta doutrina, por oposição a heterodoxo.
[16] “Pela consagração do pão e do vinho opera-se a conversão de toda a substância do pão na substância do corpo de Cristo nosso Senhor, e de toda a substância do vinho na substância do seu sangue; a esta mudança, a Igreja católica chama, de modo conveniente e apropriado, transubstanciação”, in Catecismo da Igreja Católica, nº 1376, Gráfica de Coimbra, Coimbra. De modo que o pão e o vinho não são mesmo pão e vinho mas aparentam sê-lo. São visíveis, palpáveis e degustáveis como o pão e o vinho ordinários mas isso não passa de um acidente, diria mesmo de uma ilusão. A transubstanciação é uma especulação filosófica de índole racionalista e materialista que tenta explicar o que é inexplicável: um mistério sagrado.
[17] Mais conhecida como Igreja Anglicana, do Latim Ecclesia Anglicana (Igreja de Inglaterra).

Nenhum comentário: