sábado, 5 de abril de 2014

Carismática

Antes de tudo, precisamos analisar um pouco a palavra "Carismática". Ela provém da palavra "charisma", a qual é traduzida, na maioria das vezes no Novo Testamento, como "dom". É baseada na raiz que significa "graça". Graça é um favor imerecido que recebemos de Deus, pelo qual nos vem tudo que temos experimentado.

Em 1976, o Bispo Michael Marshall já afirmava que, em dez anos, ou a Igreja seria carismática ou morreria. Isto não tem qualquer ligação, como alguns poderiam supor, com a prática adicional, às vezes estranha do tipo pentecostal, que tentamos enxertar nas nossas Igrejas. Se carismático significa "Dons da Graça", então não podemos ser uma Igreja cristã e não sermos carismáticos, pois tudo o que temos, vem a nós como um dom gratuito de Deus, pela Graça do Senhor.

A experiência carismática está subordinada a quatro coisas: 
1. ao ensino apostólico - devemos proclamar o ensino continuado dos Apóstolos, como encontramos no Novo Testamento.
2. à pregação bíblica - precisamos pregar a fé histórica dos apóstolos como se encontra nas Escrituras;
3. à adoração histórica - desde os dias dos apóstolos, a adoração dos cristãos está centrada na Ceia do Senhor. Após a Reforma protestante, outro tipo de adoração veio a acontecer e causou uma significativa mudança. Mas, adoração não se dá através de uma liturgia, cantando hinos ou lendo orações. Adoração é o oferecimento das nossas vidas ao Senhor em resposta a Ele;
4. à "experiência carismática" - uma coisa é sermos apostólicos em fé e doutrina, outra, é sermos apostólicos em vida e experiência.

Uma Igreja Carismática tem quatro marcas: 
1. é uma Igreja de adoração. O Espírito Santo abre nossos olhos para entendermos quem é Jesus e nos dá o desejo de adorá-lo;
2. é uma Igreja de ensino. Devemos adorar a Deus não apenas em espírito, mas em verdade. Jesus disse: "O Espírito Santo os guiará em toda verdade" (João 16:13)
3. é uma Igreja que cuida e que ama. O Espírito de Deus outorga a nós o fruto Espírito, descrito em Gálatas 5 e 6.
4. finalmente, a Igreja Carismática será sempre uma Igreja que serve. Não somos chamados para sermos senhores do povo, mas para sermos servos. Jesus, Ele próprio, deixou de lado seus direitos, tomou uma toalha e passou a lavar os pés dos seus discípulos (João 13).

Assim, uma Igreja Carismática adora, ensina, ama e serve. Seus membros se oferecem ao Senhor reconhecendo que não possuem em si nenhum merecimento, a não ser pela Graça de Deus. Apenas a Igreja que confia na Graça do Senhor é, verdadeiramente, CARISMÁTICA.

Nenhum comentário: