terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Como elaborar sermão


Como elaborar sermão

renda a fazer um esboço de pregação:
          Os esboços de pregação não têm uma forma rígida. Podem variar muito, mas aqui vão algumas dicas que podem servir como base para sua elaboração.
A estrutura do esboço é a mesma da pregação.
O esboço será então um roteiro para o pregador não se perder durante a pregação, ou mesmo para não se esquecer dos pontos mais importantes da mensagem. Em outras palavras, é um mapa com alguns pontos de referência.

Em resumo, o esboço PODERÁ ter:
1- Tema e título da mensagem
2- Texto base
3- Introdução
4- Tópico 1
5- Tópico 2
6- Tópico 3
      - Ilustração (?)7- Conclusão

Vamos analisar cada parte:

Tema da mensagem
 É o titulo do assunto a ser tratado, ou o “nome da mensagem”. Em alguns casos pode-se falar o titulo na hora da pregação, outras vezes não é necessário. Mas, no esboço a gente coloca. É bom para se ter um rumo determinado na mensagem e também facilitar depois a escolha de um esboço entre muitos que se tem guardado.
Quem vai pregar deve ter claro o assunto que vai ser tratado. Não basta escolher um versículo e subir ao púlpito. Isso pode até acontecer, e Deus pode usar, mas não deve ser a regra. Pode ser que o pregador comece a falar sobre um assunto e dali mude para outro e para outro, e, no fim, não passou nada de consistente. Então, vamos escolher um tema definido.
Exemplo de tema: O AMOR DE DEUS

Texto base: Toda pregação precisa ter um texto bíblico como base. Este é o fundamento que vai dar autoridade a toda a mensagem. Normalmente, o texto é pequeno: 1 versículo ou 2, ou 3. Raramente se deve utilizar um capitulo todo. Só quando o capitulo estiver todo relacionado ao mesmo assunto. Se eu for falar sobre a oração do Pai Nosso, não preciso ler todo o capitulo 6 de Mateus.
Exemplo de texto base: João 3.16

Introdução: É o início da pregação. Existem inúmeras maneiras de se começar uma pregação. Por exemplo: "Nesta noite, eu gostaria de compartilhar com os irmãos a respeito do assunto tal..." ou "No texto que acabamos de ler, temos as palavras a respeito..."
Para muitas pessoas, a primeira frase é a mais difícil. Apesar de muitas alternativas, o ideal é que a introdução seja algo que prenda logo a atenção dos ouvintes, despertando-lhes o interesse para todo o restante da mensagem.
Pode-se então começar com uma ilustração, um relato interessante sobre algo que esteja relacionado com o assunto da pregação. Outro recurso muito bom é começar com uma pergunta para o auditório, cuja resposta será dada pelo pregador durante a mensagem. Se for uma pergunta interessante, a atenção do povo estará garantida até o final da mensagem.
Exemplo de introdução: Você já parou para pensar como é grande o amor de Deus? Tudo o que Deus criou foi por amor a nós. Ele nos ama tanto que não quis nos deixar sozinhos e enviou seu Filho par nos salvar. Você já sentiu o amor de Deus em sua vida?

Tópicos - Os tópicos são as divisões lógicas do assunto, ou a divisão mais lógica possível. Existem outros modos de pregação como a expositiva que segue a ordem do texto bíblico.
A divisão em três tópicos é aconselhável por ser um número pequeno, de modo que o povo tenha facilidade de acompanhar o raciocínio do pregador, sem perder o “fio da meada”. Podemos até mudar esse número, mas o resultado pode ser uma mensagem complexa. Os tópicos devem ser organizados numa ordem que demonstre o desenvolvimento natural do tema, de modo que os ouvintes vão sendo levados a compreender gradualmente o assunto até a conclusão.
Em algumas mensagens, os tópicos podem ser argumentos a favor de uma idéia que se quer defender com o sermão. Será bom se eles estiverem organizados de maneira que os mais interessantes ou mais importantes sejam deixados por último, de modo que, a mensagem vai se tornando cada vez mais significativa, mais consistente e mais interessante a cada momento até chegar à conclusão.
Na transição de um tópico para outro utilize perguntas sobre o que foi falado para o ouvinte refletir sobre o tópico em sua vida pessoal e seguida à pergunta faça uma ‘afirmação do tópico’, por exemplo: ‘Você tem fé?’ ‘Creia, pois tudo é possível ao que crê!’. Certamente você ouvirá muitos ‘améns’ após esta parte e estará pronto para o próximo tópico.
Não demore muito em um tópico. Se você usar seu melhor argumento logo no início, sua mensagem ficará fraca no final. Em alguns casos, o próprio texto bíblico já tem sua própria divisão, que usaremos para formar nossos tópicos.
Um exemplo de divisão natural é João 3.16:
1 - Deus amou o mundo. Falar sobre o amor de forma geral e sobre o amor de Deus.
2 - Deu o seu Filho Unigênito - O amor de Deus em ação. Deus não ficou na teoria.
3 - Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna – falar sobre o objetivo da ação de Deus.

Esse versículo é riquíssimo. Podemos elaborar várias mensagens dentro dele. É importante prestarmos atenção a esse detalhe. Se tivermos um entendimento muito profundo a respeito de um versículo, é melhor elaborar mais de um sermão do que tentar colocar tudo em um só, fazendo uma mensagem muito longa ou complexa, principalmente quando o texto permitir vários ângulos de abordagem, ou contiver mais de um assunto. Só para termos alguns parâmetros, sugerimos a duração de trinta ou quarenta minutos para um sermão. Já um estudo bíblico pode durar uma hora aproximadamente. É claro que o Espírito Santo pode quebrar esses limites, mas precisamos ter certeza de que é ele mesmo quem está fazendo isso.

Ilustrações - Ilustrações são pequenas histórias que exemplificam o assunto da mensagem ou reforçam sua importância. Como alguém já disse, as ilustrações são as "janelas" do sermão. Por elas entra a luz, que faz com que a mensagem se torne mais clara, mais compreensível. Muitas vezes, os argumentos que usamos podem ser difíceis, ou obscuros, mas, quando colocamos uma ilustração, tudo se torna mais fácil para o ouvinte.
Existem muitas “historinhas” por aí que não aconteceram de fato e são usadas para ilustrar mensagens. Não há problema em usá-las. Podemser comparadas às parábolas bíblicas. Entretanto, é importante que o pregador diga que aquilo é apenas uma ilustração.
As ilustrações são muito importantes, porque despertam o interesse dos ouvintes, eliminam as distrações e ficam gravadas na memória. Pode ser que, na segunda-feira, os irmãos não se lembrem de muita coisa do sermão de domingo, mas será bem mais fácil lembrar das ilustrações, dos casos contados como exemplo, e, juntamente com essa lembrança, será também lembrado um importante ensinamento.
Outro detalhe a se observar: não é bom usar muitas ilustrações na mesma mensagem, pois a mesma perderia sua consistência e seria mais uma coleção de contos. Como dissemos, ilustração é luz, e luz demais pode ofuscar a visão.

Conclusão - A conclusão será o ápice da mensagem, o fechamento. Não basta fazer como aquele pregador que disse: "Pronto! Terminei." A conclusão é a idéia ou conjunto de idéias construídas a partir dos argumentos apresentados no decorrer da mensagem. Nesse momento pode-se fazer uma rápida citação dos tópicos, dando-lhes uma "amarração" final. Nessa parte, normalmente se convida para o posicionamento dos ouvintes em relação ao tema. Ainda não é o apelo.
O pregador incentiva as pessoas a tomarem determinada decisão em relação ao assunto pregado. Depois desse incentivo, dessa proposta, o assunto está encerrado e pode-se fazer o apelo, se for o caso, e/ou uma oração final.
Exemplo de conclusão: O amor de Deus é incondicional. Ele sempre nos amou e sempre nos amará. É um amor infinito. Desde a criação da humanidade quando por amor nos criou à sua semelhança, até a encarnação de Jesus para morrer em nosso lugar e eternamente Deus nos amará.

ESQUEMA PARA ESBOÇO:
Deixo um esqueleto para você copiar e preencher com seu conteúdo.
Uso cores para destacar na visualização da mensagem e não ter que se esforçar muito para localizar.

-Tema:    
Título
Texto bíblico
-Introdução:

Pergunta de transição?
Transição para os tópicos:

1- tópico 1versículo base
Argumentação.
(citações bíblicas)
Afirmação do tópico!
                              
2- tópico 2versículo base
Argumentação.
(citações bíblicas)
Afirmação do tópico!

3- tópico 3versículo base
Argumentação.
 (citações bíblicas)
Afirmação do tópico!

Afirmação conclusiva!
-CONCLUSÃO:
Argumentação resumindo o sermão.

CONCLUSÃO:
O esboço deve ser o menor possível. Pode-se, por exemplo, usar uma frase para cada parte. Pode haver determinado tópico representado por uma única palavra. O esboço é o "esqueleto" da mensagem. Coloca-se o que for suficiente para lembrar ao pregador o conteúdo de cada divisão. Se uma palavra ou uma frase não forem suficientes, pode-se colocar mais, mas com o cuidado de não se elaborar um esboço muito grande, de modo que o pregador poderia ficar perdido no próprio esboço na hora de pregar. Então, o recurso que deveria ser útil torna-se um problema. Opcionalmente, o pregador pode fazer o esboço, bem pequeno e, em outro papel, fazer um resumo da mensagem.
No púlpito, só o esboço será usado. O destino do resumo será o arquivamento. Em outra ocasião, quando o pregador for usar o mesmo sermão, o resumo será muito útil. Se ele tiver guardado apenas um esboço muito curto, este poderá não ser suficiente para lembrá-lo de todo o conteúdo de sua mensagem.

O que determina o poder da mensagem é a vida de oração do pregador.

Bons estudos e boas mensagens!

INTERPRETAÇÃO BÍBLICA

Para uma boa mensagem é preciso primeiro entender o texto Bíblico e para isso é necessário fazer uma interpretação do contexto. As perguntas abaixo ajudam na elaboração de uma boa interpretação. Praticamente em todos textos Bíblicos pode-se encontrar a resposta destas perguntas:

Passe o texto por uma prova de INTERPRETAÇÃO com as perguntas básicas:
-O quê? De que assunto trata o texto ou o que aconteceu.
-Quem? As pessoas que são faladas no texto. Você pode copiar os nomes delas fazendo uma lista ou grifar no próprio texto.
-Quando? Se texto mostra em que momento aconteceu ou que período estava sendo falado.
-Onde? Local onde aconteceu o fato ou foi escrito o texto.
-Como? Alguns detalhes de como aconteceu tudo ou o que está sendo dito no texto.
-Por quê? O objetivo da mensagem ou seu significado prático para a época e para as pessoas que são faladas no texto e como pode servir para nós hoje.

Quem é quem na Igreja


Quem é quem na Igreja

-Tema: EVANGELIZAÇÃO
Atos 1.8
-IntroduçãoTenho boas e más notícias. Qual você quer ouvir primeiro?
BOA NOTICIA: Deus ama a sua vida e a todos que você conhece!
MÁ NOTICIA: desprezamos o amor de Deus quando não amamos ao próximo.
O texto de Atos 1.8 afirma que quem recebe o Espírito Santo se torna testemunha de Jesus por onde quer que for. Sem testemunhar o evangelho de forma viva não podemos ganhar vidas para Deus.
O versículo áureo da Bíblia: João 3.16 diz que devemos evangelizar "porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna". Será que ‘todo aquele’ já ouviu falar do amor de Jesus? Se você ouviu então deve falar de Jesus para outras pessoas.
Você sabe qual é a sua identidade espiritual?
Vejamos 4 coisas que já sabemos mas precisamos aprender a cumprir:
1) O que é EVANGELHO: Lucas 2.10,11
Evangelho é novidade ou a boa notícia de Deus para todos.
O termo EVANGELHO não surgiu através dos cristãos, já era um termo conhecido na época de Jesus. Quando CEZAR, o imperador romano, era vitorioso em suas batalhas e ao publicar um decreto enviava mensageiros que saíam por todas as suas províncias e aonde chegavam gritavam: "Evangelho de César!", ou seja: "Boas notícias de Cezar!". O termo foi assimilado pelo cristianismo primitivo. Jesus é o verdadeiro Rei e de toda a terra (e não César) e a boa notícia é que deu sua vida pela salvação dos homens.
Quando vivemos o “evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê (Romanos 1.16), tudo se faz novo em nossa vida e sempre temos uma boa notícia de Deus. Não podemos esquecer que o evangelho é algo simples e por complicá-lo é que muitas vezes não o vivemos, pregamos e vidas não se convertem (leia II Coríntios 11.3).
Você já ouviu a Boa Nova do Evangelho?
Jesus tem boas notícias de salvação para sua vida!

2) Quem é EVANGÉLICO: Mateus 9.9
Evangélico é a pessoa que conhece e aceita essa Boa Nova.
Como Mateus fez, precisamos aceitar o chamado do Mestre imediatamente deixando tudo se for preciso. Damos a nossa vida pra Jesus não só quando nos convertemos, mas também quando entregamos nosso viver para sua obra.
O mundo está cheio de más notícias de perdição, mas um verdadeiro cristão deixa o mundo e assume a Boa Nova como parte de sua vida. Ser evangélico é vestir a camisa do evangelho de Jesus assumindo ser um verdadeiro cristão.
Apenas gostar de música gospel e participar de eventos ou shows gospel não garante que a pessoa seja um evangélico. A forma de viver do evangélico demonstra sua semelhança com Jesus.
Você é um evangélico?
Deixe o mundo e assuma sua fé!

3) O que é EVANGELIZAR: João 1.40-45
Evangelizar é contar essa boa notícia para aqueles que não a conhecem.
João Batista anunciou para seus discípulos que Jesus era o Cordeiro de Deus (João 1.29), então André foi seguir Jesus e chamou Pedro, depois Felipe chamou Natanael para conhecer a Jesus. Deste modo devemos falar de Jesus para todos que conhecemos.
Um ditado popular diz que ‘notícia ruim anda rápido’. Quando alguém fica sabendo de um 'furo' ou uma bomba corre e conta pros outros. O povo brasileiro tem uma cultura fofoqueira, talvez por isso, o sucesso dos Realities shows. A TV explora as notícias ruins de forma sensacionalista. Por isso estamos acostumados com más notícias.
Como evangélicos não podemos nos conformar a isso. Precisamos contar para as pessoas aquilo que sabemos sobre Jesus. Só quem conhece uma Pessoa pode apresentá-la a outra. Porque a melhor notícia do mundo demora tanto para sair de nossos lábios? Porque muitas vezes estamos ocupados divulgando as más notícias do mundo.
Você tem evangelizado?
Conte uma Boa Nova para alguém!

4) Quem é EVANGELISTA: Mateus 10.5-8
Evangelista é a pessoa que além de conhecer, divulga essa boa nova.
Jesus enviou primeiramente seus doze discípulos chamando-os de apóstolos (enviados), mas “depois disto, o Senhor designou outros setenta; e os enviou de dois em dois, para que o precedessem em cada cidade e lugar aonde ele estava para ir (Lucas 10.1). Então o grupo de evangelistas de Jesus cresceu de 12 para 70.
Interessante notar que somente os 4 escritores dos evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas e João) são chamados de EVANGELISTAS, embora Marcos e Lucas não fossem diretamente discípulos de Jesus. Isso mostra que a evangelização é tarefa de todos.
Cada cristão é um evangelista! A Igreja alcançou o mundo não através de iniciativas da instituição ‘igreja’ e sim de pessoas leigas que para onde iam levavam a sua fé.
Temos a terrível mania que querer que tudo seja INSTITUCIONALIZADO e deixamos de fazer naturalmente a nossa tarefa cristã esperando decisões de uma organização eclesiástica.
Você é um evangelista?
Fale de Jesus para as pessoas!
Cumpra o seu papel na Igreja!
-Conclusão:
Precisamos seguir estes quatro passos:
-Evangelho é a Boa Nova de Salvação;
-Evangélico é quem assume a fé cristã;
-Evangelizar é a tarefa de anunciar Jesus;
-Evangelista é quem cumpre o chamado missionário.
Uma pessoa pode ouvir o Evangelho e não se tornar Evangélico. Mesmo uma pessoa que se diz Evangélica, se  não cumprir sua tarefa de Evangelizar não será um Evangelista.
Falar sobre evangelização na igreja virou rotina, mas a 'moda' de evangelizar ainda não pegou. Certa vez ouvi uma frase que dizia ‘um coração que aceitou a Jesus é um coração missionário e um coração que ainda não aceitou a Jesus é um campo missionário’. Da mesma forma que um dia aceitamos o evangelho devemos também aceitar a tarefa da evangelização.
Aceite o Evangelho e torne-se um Evangélico!
Evangelize e seja um Evangelista!

Pr. Welfany Nolasco Rodrigues

Quebra de maldições na família


Quebra de maldições na família


-Tema: FAMÍLIA
Provérbios 26.2
-Introdução: Vivemos em um tempo em que as pessoas assumem o compromisso de um lar sem estar preparados para isso. Juntam-se duas pessoas sofridas e imaturas resultando em ferimentos mútuos. Com o tempo um começa a falar coisas desagradáveis com o outro e isso pode se tornar uma maldição para a família.
O texto de provérbios compara a maldição com um pássaro que foge sem saber para onde vai. Isso porque na hora de falar ‘besteira’ a pessoa está apavorada e nem percebe para onde está fugindo. É como um passarinho que não sabe par aonde ir. Também como uma andorinha que voa errante parecendo não entender o que está fazendo e sem destino correto. Ambas as comparações mostram que a maldição sem motivo ou causa não tem poder sobre nossas vidas.
Então se alguém te amaldiçoou sem motivo, não há porque você se preocupar, pois está maldição não encontrará lugar em sua vida. Mas o problema é que muitas vezes as pessoas dão oportunidade ou brecha para receber maldições. É por isso que precisamos vencer tudo isso com as palavras de bênção das Escrituras.
Como quebrar as maldições na família?
Vamos aprender como quebrar maldições na família:
1- O que é uma maldiçãoProvérbios 18.21
Maldição é uma palavra ‘mal dita’ ou atos que trazem consequências ruins.
Existem pais que falam palavras pesadas com os filhos sem saber que isso irá repercutir no seu futuro. Na hora da cabeça quente a pessoa fala sem pensar, mas não tem como voltar atrás.
Jesus disse que “a boca fala do que o coração está cheio” (Lucas 6.45), então se a pessoa fala maldições, palavrões e coisas desagradáveis é porque está assim por dentro. Por isso é importante orar e profetizar sobre a família para colher o que a boca diz. Isso não é confissão positiva, mas é a Palavra de Deus que diz que “como fruto dos seus lábios criei a paz, paz para os que estão longe e para os que estão perto, diz o SENHOR, e eu o sararei (Isaías 57.19).
Você tem semeado palavras de bênção ou de maldição sobre sua família?
Profetize bênçãos e colha vitórias para seu lar!
                              
2- Como surge a maldiçãoÊxodo 20.5,6
A maldição vem pelo pecado através das gerações.
Na própria família a pessoa herda problemas, desvios de comportamento, dívidas e até enfermidades. Infelizmente isso é inevitável. Recebemos herança genética, material e comportamental de nossos antepassados, sem contar os problemas espirituais. Mas Deus delimitou isso para que não perdure mais que quatro gerações para que qualquer maldição seja encerrada no tempo de Deus. Contudo, a bênção tem duração infinita simbolizada por‘mil gerações’.
Mas conforme já entendemos a maldição só encontrará lugar se houver pecado, senão mesmo que seja lançada terá que voltar por não achar brecha em sua vida. A desobediência é a causa de todas as maldições, por isso Moisés exortou ao povo escolher entre a bênção e a maldição: “Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência (Deuteronômio 30.19). Ser abençoado é uma escolha!
O profeta Daniel, um homem santo e justo, pediu a Deus perdão pelos pecados de seu povo e de seus familiares reconhecendo que “todo o Israel transgrediu a tua lei, desviando-se, para não obedecer à tua voz; por isso, a maldição e as imprecações que estão escritas na Lei de Moisés, servo de Deus, se derramaram sobre nós, porque temos pecado contra ti (Daniel 9.11).
Você tem escolhido a bênção ou a maldição?
Escolha a bênção e seja livre de toda maldição!

3- Como ser livre das maldiçõesGálatas 3.10,11
Pela Graça somos livres da maldição da lei.
Se antes houvera uma lei que determinava que a maldição atingisse até a quarta geração de uma pessoa, hoje sabemos que pela Graça de Jesus podemos ser livres de todo mal. Não estamos mais debaixo da lei e sim da Graça (Romanos 14.6) que é Dom gratuito de Deus (Romanos 6.23).
Jesus nos deu autoridade para expulsar todo mal (Lucas 10.19) e para que tudo o que ligarmos na terra seja ligado nos céus e o que desligarmos na terra seja desligado nos céus (Mateus 18.18) então temos poder para desligar toda maldição e ligar as bênçãos da Palavra de Deus.
Quando ouvir alguém dizer algo que não edifica, seja ousado para declarar em seguida uma palavra de vitória e não perca oportunidade para abençoar. Mantenha sua família sustentada na Graça de Deus que te protege de todo mal.
Você já se desligou de toda maldição e já se ligou nas bênçãos?
Use a autoridade que tem em Jesus para abençoar e quebrar maldições!

4- Como manter a família livre de maldições?Malaquias 4.6
Jesus é o elo de amor que mantém a família abençoada e também como uma muralha de proteção para que a família seja livre de todo mal.
Existem famílias que fisicamente estão unidas, mas emocional e espiritualmente estão separadas. Prova disso é que nas casas existe uma TV para cada um e até mesmo um computador para cada pessoa. As pessoas não conseguem compartilhar. O individualismo domina as famílias e gera maldições. Jesus veio para unir os corações.
Antes de Jesus vir, as famílias estavam sob a maldição da lei, mas como Deus falou por meio de Malaquias, através de Jesus os filhos se converteram aos pais e estes aos seus filhos. Ou seja, uma família onde cada um era por si, quando Jesus entra na casa tudo muda e um passa a procurar mais o outro. Os caminhos que estavam separados agora se encontram em um único CAMINHO que é Jesus (João 14.6) a fonte de todo amor.
Se há alguém em sua casa que está longe de você, procure esta pessoa e peça a Jesus para unir vocês. Não permita brechas que possam atrapalhar sua família de ser abençoada. Edifique sua família com sabedoria porque “A mulher [homem] sábia edifica a sua casa, mas a insensata, com as próprias mãos, a derriba” (Provérbios 14.1). Procure preservar o Amor que é Deus (I João 4.8) porque se uma família tem Deus, tem que ter amor. Nunca perca a comunhão com o Senhor que te dará todas as bênçãos.
Você tem mantido as bênçãos ou perde facilmente?
Procure perseverar na bênção e resistir as maldições!

Jesus quebra toda maldição em sua família!
-CONCLUSÃONeemias 13.2
Mesmo que sua família seja sofrida e já tenha enfrentado tantas maldições, creia que Deus pode transformar tudo em bênçãos e “Em lugar da vossa vergonha, tereis dupla honra; em lugar da afronta, exultareis na vossa herança; por isso, na vossa terra possuireis o dobro e tereis perpétua alegria(Isaías 61.7).
Lute para que haja lugar para a bênção e nunca haja brechas para maldições em sua família. Não aceite maldições em sua família. Ore e quebre toda maldição semeando bênçãos e vitória sobre o seu lar.
Há alguma história de maldição em sua família?
Ore e repreenda todo mal em sua casa!

Pr. Welfany Nolasco Rodrigues

Conceito de Felicidade para Jesus


Conceito de Felicidade para Jesus
-Tema: PROSPERIDADE
Mateus 5.1-12
-Introdução: Vivemos em um tempo em que o conceito de Felicidade está distorcido. Ser Feliz tem sido considerado baseando-se no que a pessoa tem, faz ou aparenta exteriormente. Contudo sabemos que Felicidade é um estado de espírito muito além de circunstâncias exteriores. Não estou dizendo que as situações externas não influenciem em sentimentos e emoções. Mas ser feliz supera o estar triste ou nervoso.
Jesus foi o maior exemplo de pessoa que não considera a felicidade baseada em fatores externos. Deixou os céus em glória e majestade, veio a este mundo cheio de dificuldades, nasceu em uma família pobre, viveu em um lugar humilde, trabalhou e lutou muito para sobreviver. Você acha que Jesus foi infeliz por isso? NÃO! Jesus viveu feliz aqui porque realizou o propósito de Deus para sua vinda.
Será que a conhecida TEOLOGIA DA PROSPERIDADE ensina sobre Felicidade?
Quem disse que ser feliz é ter tudo? É possível ser feliz e se contentar mesmo quando lhe falta alguma coisa. Se a nossa felicidade for refém do que acontece ao nosso redor nos tornamos muito vulneráveis. Por isso Jesus quis deixar para nós um conceito próprio Dele para o que é ser Feliz.
Bem-aventurança é ter ‘boa aventura’, viver bem cada momento se realizar apesar das desventuras que somos humanamente suscetíveis.
O que é ser feliz?
Vamos aprender com as palavras de Jesus nas Bem-aventuranças, o que é ser feliz em três condições que podemos definir em nossas vidas:


1- TEMPERAMENTO felizv.3-4
O temperamento de uma pessoa pode direcionar sua vida para a Felicidade ou afastar dela. Cada um tem um temperamento próprio e precisamos definir o temperamento para conviver com as pessoas. O temperamento demonstra a disposição da pessoa em viver bem. Por isso Jesus falou algumas características de temperamento que nos ajudam a ser feliz.
Jesus enumerou três características de temperamento que ajudam a ser feliz:
a)      HUMILDADE“Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus.” v.3
A humildade promove a felicidade porque a pessoa aprende a se contentar como que tem como testemunhou o apóstolo Paulo sobre sua felicidade dizendo “Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez” (Filipenses 4.12). Interessante que esta afirmação antecede a famosa frase “tudo posso naquele que me fortalece” (Filipenses 4.13). Ou seja, o apóstolo sabia viver bem em qualquer situação e o que acontecesse de bom ou ruim não interferia na sua condição de felicidade porque era humilde.
Quando a pessoa constrói um padrão de felicidade muito elevado, exigindo muitas condições, mais difícil se torna ser feliz. Mas quando é humilde aprende a aceitar o que vem e se contentar. A riqueza de quem é humilde consiste no Reino dos céus.
b)      SENSIBILIDADE: “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.” v.4
Esta afirmação parece contraditória. A tristeza e o choro podem fazer parte da felicidade? Uma pessoa feliz pode chorar e se entristecer? SIM! A prova maior disso é que Jesus chorou (João 11.35). O choro mostra um temperamento sensível.
Chorar é muito importante chorar para desabafar toda tristeza que houver no coração. O choro é um escape para a angústia. A felicidade vem quando somos consolados por Deus por isso não precisamos temer o choro que “pode durar uma noite, mas a alegria vem ao amanhecer” (Salmos 30.5).
c)      MANSIDÃO: “Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra.” v.5
Mansidão é uma virtude que faz a pessoa ser feliz. Ser manso não significa comportamento apático, e sim saber controlar seus sentimentos e impulsos nas horas de nervosismo.
Jesus disse que precisamos aprender com Ele sobre mansidão (Mateus 11.29) que é um fruto do Espírito Santo (Gálatas 5.22) para a vida do crente.
Uma pessoa que se irrita facilmente perde muitas oportunidades que podem vir com o tempo. Já quem é manso tem condições de esperar, negociar e combinar com pessoas difíceis e sai sempre ganhando porque espera a sua vez. Isso que Jesus quis dizer ao declara que os mansos herdarão a terra.

Você tem sido Humilde? Tem Chorado? É Manso?
Aprenda a ser humilde, chore se preciso e seja manso para ser Feliz!

2- SENTIMENTOS felizesv.6-8
A vida é cheia de sentimentos. O que sentimos nos orienta desde o dia em que nascemos e sentimos o ar entrar pelas vias respiratórias pela primeira vez causando tamanha dor que provoca o choro abrindo mais ainda a respiração e exercitando o pulmão. Esse é primeiro sentimento ao nascer.
Jesus enumerou três sentimentos que nos fazem felizes por mais contraditório que pareça:
a)      JUSTIÇA: “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos” v.6
Sentimento de justiça é algo que não deve ser sentido em tom de arrogância e sim como inspiração em cada atitude da vida. Tudo o que fizermos deve ter como alvo o que é correto e bom para todas as pessoas. Por isso Jesus ensinou que “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas” (Mateus 7.12).
Cumprir o que é justo faz a pessoa ser feliz porque quem é correto com seus afazeres não tem de que se arrepender ou envergonhar. Jesus prometeu que os misericordiosos serão fartos principalmente porque tudo o que faz vai dar certo e receberá a justa recompensa do que semeou (Gálatas 6.7).
b)      MISERICÓRDIA: “Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia” v.7
Misericórdia tem a ver com colocar seu coração (cardia) na miséria do próximo. Ou seja, colocar-se em lugar de alguém.  Quando vemos pessoas que estão sofrendo verdadeiramente com problemas graves, como doenças, por exemplo, entendemos que somos felizes.
A misericórdia equilibra a justiça. Uma completa a outra. Justiça sem misericórdia se torna rigidez excessiva. Misericórdia sem justiça pode ser assistencialismo sem propósito.
Jesus prometeu que as pessoas que se colocarem no lugar dos outros para ajudar, do mesmo modo também vão alcançar misericórdia. Quem não tem dó do seu próximo não consegue ser feliz porque é egoísta demais para isso. A Felicidade é um dom que precisa ser compartilhado com quem sofre. Então quem é misericordioso é feliz por receber igual retribuição.
c)      PUREZA: “Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus” v8
A pureza pode ser não sentir mal com o próximo. Não absorver coisas ruins ou interpretar mal as pessoas. A malícia é um veneno que estraga muitos relacionamentos.
Jesus prometeu que os limpos de coração “verão a Deus”, ou seja, ao invés de ver coisas negativas, contemplam a beleza da presença de Deus em suas vidas. Pessoas maliciosas não conseguem ver coisas boas, mas são ávidos em perceber um defeito por menor que seja.

Ter sentimentos felizes para Jesus, precisa de justiça, misericórdia e pureza.
Você tem buscado ser justo, misericordioso e puro?
Seja feliz fazendo o que é justo, compadeça das pessoas e seja puro de coração!

3- RELACIONAMENTOS felizes: v.9-12
Jesus ensinou sobre felicidade nos Relacionamentos, além de sentimentos e temperamento. O ser humano é relacional e precisa conviver com as pessoas à sua volta. Isso é um desafio que se constrói a cada dia do viver com o próximo. Estamos sempre aprendendo a compartilhar. Somos moldáveis e na convivência um com o outro nos transformamos. Dependendo da disposição pessoal de cada um, pode melhorar ou piorar.
Jesus citou alguns desafios para construir relacionamentos felizes:
a)    PACÍFICO: “Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus” v.9
Ser pacífico é ser um promotor da paz. Uma pessoa pacífica tenta apaziguar situações de conflito. Serve como um elo para unir pessoas ao invés de separar. Como precisamos de pessoas conciliadoras nos dias atuais!
Uma coisa que precisamos aprender como pacificadores é não se deixar levar pelos problema dos outros e só ajudar ou edificar sempre que tiver oportunidade.
Jesus prometeu que os pacificadores serão conhecidos como filhos de Deus. Esta é a maior felicidade que alguém pode ter. Como filhos do Rei devemos servir ao próximo apagando incêndios e acalmando tempestades.
b)      PERSEGUIDO: “Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.” v.10
Embora isso também pareça contraditório, Jesus considera a perseguição como um sinal de felicidade. Como se diz no ditado ‘ninguém atira pedras numa árvore que não dá frutos’. Uma pessoa em destaque por sua felicidade certamente também atrai inveja e indisposição de pessoas que não se realizam e não se conformam com o sucesso alheio.
Jesus prometeu aos perseguidos que quando não conseguissem reconhecimento das pessoas, teriam o reconhecimento de Deus. A promessa de felicidade para quem sofre perseguição é ter o Reino dos Céus.
c)    INJURIADOS: “Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós” v.11,12
Ser injuriado, também não impede a felicidade segundo o pensamento de Jesus. Injúria é uma acusação injusta e mentirosa, quando falam que você fez ou falou algo que não é verdade. Muitas vezes na vida passamos por isso e ficamos realmente injuriados.
Jesus deixa uma promessa lembrando dos profetas que tiveram a felicidade de ser usados por Deus num tempo que o Espírito Santo era privado da maioria por causa da lei. Jesus manda alegrar-nos mesmo assimPara Jesus, o ser injuriado é motivo de alegria porque a pessoa tem a honra de se assemelhar aos grandes homens de Deus e ao próprio Mestre.
Quem crê em Jesus como se Advogado, sabe que não precisa temer a injúria ou mentira, porque no juízo final Deus nos julgará e fará justiça.

Jesus nos ensina a não deixar que problemas dos outros, nem mesmo perseguições ou injúrias impeça nossa felicidade.
Você tem sido pacificador? Tem enfrentado perseguição e injúria?
Seja pacífico como Filho de Deus, suporte perseguição e vença a injúria!

Você pode ser feliz!
-CONCLUSÃOI Coríntios 15.19 “Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens”
Jesus não disse que a vida feliz seria livre de problemas. Mas prometeu que venceríamos estes obstáculos para ser finalmente felizes.
Você acha que Jesus foi feliz aqui na terra? Com certeza! Contudo, Ele foi uma pessoa de temperamento humilde, manso e até chorou. Teve sentimentos de justiça misericórdia e pureza acima de todas as injustiças, individualismo e pecado ao seu redor. Relacionou-se com pessoas e foi o tempo todo pacificador suportando perseguições e injúrias. Mesmo assim Ele foi feliz porque não estava focado na circunstância ao se redor e sim na promessa de Deus.
Então o que é ser feliz para Jesus?
É ter um temperamento feliz:
         Ser humilde, buscando recompensa de Deus e não dos homens;
         Ser sensível, chorar confiando no consolo de Deus.
Ser manso, com paciência para conseguir tudo no tempo certo.
É ter sentimentos felizes:
            Justiça, não se conformando com o que está errado.
            Misericórdia, colocando-se na situação do próximo.
Pureza, não se deixando contaminar.
É ter Relacionamentos felizes:
Como pacificador diante de conflitos amenizando problemas.
Vencer a perseguição sabendo que Deus está vendo tudo.
Suportar injúria confiado de que isso nos assemelha a Jesus.

A Felicidade ensinada por Jesus supera as circunstâncias!

A Fé de Abraão


A Fé de Abraão

-Tema: FÉ
Romanos 4.3
-Introdução: Sabemos que Abraão é o pai da fé. Mas que fé era esta? A palavra de Deus nos diz que a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus (Romanos 10.17). Abraão ouvia a voz de Deus e as palavras do Senhor eram a base de sua fé. Confiado nas promessas de Deus ele direcionou toda sua vida. À medida que o Senhor falava com ele sua fé era alimentada e mais confiante se tornava.
Gostaria de ter fé como Abraão?
Vamos refletir sobre sete palavras que Deus deu a Abraão, sobre as quais firmou sua fé:
1- RENÚNCIA“sai de tua terra” Gênesis 12.1
A primeira Palavra de Deus para Abrão foi sobre Renúncia. O Senhor o mandou sair de sua terra e do meio de sua parentela. Isso significava deixar sua área de conforto e partir para um lugar incerto aos olhos humanos, mas sob a certeza da dependência de Deus.
Foi assim que Abrão deixou a terra de Ur em busca da sua promessa. Foi preciso fé para fazer uma longa caminhada por lugares desconhecidos. A cada horizonte que olhava meditando onde seria a terra da promessa até que o Senhor lhe mostrou. Mas para ganhar uma terra que fosse de Deus, pela fé, precisou deixar sua própria terra.
Muitas pessoas querem ter mais fé, porém não estão dispostas a renunciar. Prazeres, pecados e até mesmo direitos naturais como estar entre família, no caso de Abrão, podem ser requisitados pelo Senhor para renunciarmos.
Para ter mais fé você estaria disposto a renunciar?
Renuncie o que for preciso para ter mais fé!
                              
2- CARÁTER“sê tu uma bênção” Gênesis 12.2
A segunda Palavra de Deus para Abrão foi sobre seu caráter. Enquanto caminhava em busca da promessa, sua personalidade precisou ser moldada. Duas vezes Abrão errou dizendo que sua esposa seria sua irmã (Gênesis 12.13-19 e 20.1-16). Por isso seu caráter precisava ser transformado por Deus.
O Senhor definiu que o caráter de Abrão deveria simplesmente ser uma bênção. Ou seja, tudo o que falar ou fizer teria que ser abençoado. Para isso deveria fugir de tudo o que não fosse bom ou proveniente do Senhor.
Para ter mais fé é preciso deixar o Senhor modificar o nosso caráter. Precisamos procurar ser imitadores de Cristo (I Coríntios 11.1) para ter um caráter abençoado até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo” (Efésios 4.13).
Para ter mais fé você está disposto a deixar o Senhor moldar o seu caráter?
O caráter precisa ser transformado para receber mais fé!

3- PROMESSA: “em ti serão benditas todas as famílias da terra” Gênesis 12.3
A terceira Palavra de Deus para Abrão foi uma promessa. Ele já havia renunciado sua terra em prol da que o Senhor lhe daria. Seu caráter já estava sendo forjado pelo Senhor. Agora ele já podia receber uma promessa de Deus.
O Senhor prometeu a Abrão que teria filhos e uma família abençoada. Além disso, também abençoaria todas as famílias da terra através de sua fé. Sua fé seria tão grande o suficiente para sua família e todas as outras.
Muitas vezes buscamos fé para abençoar nossas famílias apenas. Deus quis dar a Abrão a fé para abençoar todas as famílias da terra. Tales seja por querermos bênção somente para nossas casas é que não recebemos a fé necessária para vencer.
Há uma promessa do Senhor para nossas famílias, mas isso precisa ser compartilhado com outras pessoas também.
Para ter mais fé você estaria disposto a compartilhar a promessa com outras pessoas?
Receba a promessa do Senhor e abençoe todas as famílias também!

4- SONHO“conta as estrelas” Gênesis 15.3
A quarta Palavra de Deus para Abrão foi para que sonhasse. Embora estivesse bem acordado, Deus o conduziu até fora de sua tenda e lhe mandou contar as estrelas. Enquanto contemplava o céu estrelado, os olhos espirituais de Abrão foram abertos e começou a sonhar. Imaginou uma multidão de pessoas inumerável como as constelações.
A partir daquele momento a vida de Abrão mudou muito. Um velho de noventa anos, com olhos já cansados agora, mesmo na escuridão da noite, tinha o brilho de um sonho no olhar. Foi este sonho que motivou a vida de Abrão pelo resto de sua vida.
Certa vez aprendi que ‘um homem sem um sonho é um homem morto’. Os sonhos dinamizam a vida de qualquer pessoa. Uma pessoa frustrada não consegue mais sonhar.
Se a fé é é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não veem” (Hebreus 11.1) e se também devemos andar por fé, e não por vista” (II Coríntios 5.7), então precisamos aprender a sonhar. Deus nos deu a mente com capacidade para imaginação para criar pensamentos e sonhos abençoados. Esta é uma maneira de alimentar a fé.
Faça como Abrão, conte estrelas. Imagine você recebendo o milagre que tanto sonha. Feche seus olhos e veja seu ente querido recebendo Jesus. A pessoa que tanto ama sendo curada ou liberta pelo poder de Deus. Enquanto oramos devemos imaginar somente isso par fortalecer nossa fé.
Para ter mais fé você tem sonhado com o que pede ao Senhor?
Sonhe a cada momento com o que você crê!

5- SANTIDADE: “anda na minha presença e sê perfeito” Gênesis 17.1
A quinta Palavra de Deus para Abrão foi sobre Santidade. Para que Deus realizasse seu propósito em sua vida, precisaria santificar sua vida totalmente ao Senhor. Sarai sua esposa não havia entendido a promessa sobrenatural de Deus e quis ajudar ao Senhor cumprir sua promessa dando filho a Abrão através de sua empregada (Gênesis 16.1-15).
Com este ato, pararam de sonhar espiritualmente para agir carnalmente. Por isso Deus precisava santificar a vida de Abrão preparando-o para receber o propósito Deus para sua vida. Esta situação embaraçosa entre Sarai e Agar era um empecilho para que a família de Abrão fosse abençoada por Deus.
Em nossas vidas também precisamos nos santificar antes de receber o milagre de Deus. Como o Senhor ordenou a Josué “santificai-vos hoje porque amanhã o Senhor fará maravilhas no meio de vós” (Josué 3.5). Deus já nos deu “toda sorte de bênçãos nas regiões celestiais” (Efésios 1.3) só falta estarmos prontos para receber. Por isso Deus quer santificar nossas vidas nos preparando para ser abençoados.
Para ter mais fé você está disposto a santificar sua vida?
Santifique-se hoje para que sua fé aumente e receba o milagre amanhã!
                              
6- ALIANÇA“será contigo a minha aliança” Gênesis 17.4
A sexta Palavra de Deus para Abrão é uma Aliança. Aliança é um compromisso, pacto ou contrato. Deus garantiu para Abraão que lhe daria sua promessa. Da mesma forma que Deus garantia a Abrão, ele também deveria ter compromisso com Deus.
A partir de agora o nome de Abrão foi mudado para Abraão que significa “pai de numerosas nações” (Gênesis 17.5). Para não esquecer, Deus lhe deu um novo nome e todas as vezes que seu nome Abraão fosse dito, estaria lembrando-se da promessa.
Muitas pessoas querem ser abençoadas, mas não estão dispostas a assumir o compromisso de uma Aliança com Deus. Ao nos convertermos, passamos a ter um novo nome, fazemos tudo não em nosso nome, mas no nome de Jesus. Cada cristão deve carregar neste nome a promessa de ser um servo de Cristo.
Para aumentar sua fé é preciso ter uma Aliança de compromisso com Deus e usar a autoridade do nome de Jesus como garantia da promessa (Atos 4.12).
Para ter mais fé, você está disposto a fazer uma aliança com Deus?
Deus já tem um pacto com você, basta assumir compromisso com ele!

7- ABENGAÇÃO: “toma teu filho, teu único filho” Gênesis 22.2
A sétima palavra de Deus para Abraão foi sobre Abnegação. Abnegação significa negar-se a si mesmo (Lucas 9.23), deixando vontade e prazeres em prol da soberania do Senhor.
Deus já havia dado um filho a Abraão. Isaque significa sorriso e alegria (Gênesis 21.6). De fato este filho era o maior prazer para Abraão. Deus lhe fez uma prova de fé e abnegação porque a promessa que havia feito não era de lhe dar um filho apenas, mas multidões.
Até aqui o sonho de Abraão já estava cumprido. Mas a promessa de Deus era muito maior. Para saber se Abraão estava pronto para fazer parte do propósito Divino, precisava ser provado em sua fé. Se abrisse mão de seu sonho em prol do propósito de Deus, receberia muito além do que imaginava. Abraão aceitou o desafio. Abriu mão de sua alegria (Isaque) e recebeu a felicidade completa.
Quantas vezes queremos que Deus realize apenas nosso querer, sendo que se aceitássemos a sua vontade tudo seria muito maior e melhor. Por isso Jesus disse que se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me” (Marcos 8.34). É preciso abnegação para receber o que Deus tem para nossas vidas. Uma mão fechada não está pronta para doar e nem para receber.
Para aumentar sua fé, você estaria disposto a abrir mão de sua alegria?
A abnegação é a maior prova de fé que alguém pode enfrentar!

Aumente sua fé!
-CONCLUSÃO:
Jesus é o “autor e consumador da fé” (Hebreus 12.2). Por isso devemos pedir a Ele que nos dê a fé que precisamos, “aumenta-nos a fé” (Lucas 17.5).
Como fez Abraão, precisamos basear nossa fé nas palavras de Deus para nossos corações. Deus pode usar pessoas para falar conosco. Pode falar diretamente em cada coração. Mas fala principalmente pela leitura da Bíblia e pela Pregação do Evangelho. Quem deseja crescer na fé precisa estar sempre atento e “sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos” (Tiago 1.22).
Você tem recebido palavras do Senhor para sua vida?
Baseie sua fé nas Palavras de Deus para sua vida!