sábado, 16 de novembro de 2013

CURSO DE DOUTRINAS BÁSICAS DA IGREJA EPISCOPAL CARISMÁTICA.

Comunhão Internacional da Igreja Episcopal Carismática
Seminário St. Michael
CURSO DE DOUTRINAS BÁSICAS DA
IGREJA EPISCOPAL CARISMÁTICA
Um manual para os seminaristas, Clero e membros da Comunhão
Internacional da Igreja Episcopal Carismática
“Tornando visível o Reino de Deus para as nações do mundo”
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
2
A IGREJA EPISCOPAL CARISMÁTICA
O movimento de convergência começou entre Evangélicos e
pentecostais que buscaram compreender como era a adoração na Igreja
Antiga. Os lideres deste movimento vieram da Igreja Católica Romana,
da Igreja Anglicana e das Igrejas Ortodoxas. A Igreja Episcopal
Carismática é composta de homens e mulheres que perceberam que
Deus estava fazendo algo único. Em 1992, com a consagração de Austin
Randolph Adler como Bispo na tradição histórica da Sucessão Apostólica
da Igreja nasceu a IEC.
Desde então a Igreja tem crescido em todo o mundo e agora esta
localizada na Ása, América do Norte, América do Sul, Europa e Africa.
Embora o nossa liturgia tenha variações de acordo com as tradições e
costumes locais, toda nossa Igreja segue a Antiga ordem, sendo
totalmente carismática, totalmente evangélica e totalmente sacramentalliturgica.
A teologia sacramental nos ensina que “rezamos o que cremos” ou seja
“a lei da oração é a lei da crença”. Isto é verdadeiro para a Igreja
Episcopal Carismática. Na medida em que começamos a usar as
liturgias começamos a compreender a teologia da Igreja antiga,
percebemos que na liturgia estava o pensamento da Igreja ensinado
durante esses dois milênios.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
3
Se é verdade que para ser católico é preciso acreditar no que foi
ensinado no início e em todos os tempos, então é verdade que
a Igreja Episcopal Carismática é parte da Igreja Una, Santa, Católica e
Apostólica.
Este programa de certificação foi originalmente projetado para comunicar
quem somos, o que acreditamos e o que fazemos para todos àqueles
que se interessarem e aos que já são nossos filiados. Ele já foi ensinado
em todo o mundo e em varias congregações, como um catecismo. É um
esboço fundamental do movimento de convergência, como é vivida em
comunhão.
Esta edição revista é resultado de anos do uso do programa nos vários
contextos das paróquias de igrejas norte-americanas, para a formação
do clero no Brasil e na África Oriental.
Atualmente, nossa intenção é formar instrutores modo que a mensagem
de convergência se espalhe mais rapidamente e outras pessoas possam
ouvir falar da obra gloriosa do Senhor tem feito
entre nós.
Sob a misericórdia divina,
Reverendissimo Craig Rev. W. Bates
Patriarca da Comunhão Internacional da Igreja
Episcopal Carismática
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
4
CONTEÚDO
• Uma Introdução à ICCEC
• PREFÁCIO
• CAPÍTULO 1
DESENVOLVENDO UMA VISÃO PESSOAL RELATIVA À REALIZAÇÃO
DO SEU DESTINO
Lição 01 Qual é o seu objetivo na vida? Por que você está aqui?
Lição 02 Qual é o seu propósito na vida? Qual o seu chamado?
Lição 03 Qual é a sua missão?
Lição 04 Quais os resultados /metas que você deseja atingir?
Lição 05 A quem e com quem você foi chamado a servir?
Lição 06 Onde você foi chamado a servir e assumir compromissos?
Lição 07 De que modo você tem sido treinado e assistido?
Lição 08 De que maneira sua família (natural e espiritual) tem confirmado o
chamado de Deus em sua vida?
Lição 09 De que maneira você reconhece o chamado de Deus na sua
vida? Qual é o seu chamado?
Lição 10 Como o seu chamado harmoniza-se com o seu Bispo, a sua
Igreja local e a visão da CIIEC?
• CAPÍTULO 2
COMO DEUS SE REVELA ATRAVÉS DE VISÕES SINAIS E SÍMBOLOS
Lição 11 Qual a visão da CIIEC?
Lição 12 O que significa adoração convergente?
Lição 13 O que significa revelação?
Lição 14 O que significa o Reino de Deus?
Lição 15 Quais são os sete sacramentos e para que são usados?
Lição 16 Por que a Eucaristia é o centro da nossa adoração?
Lição 17 Quais são os objetivos das vestes clericais e dos paramentos?
Lição 18 Qual é a importância dos sinais, símbolos e imagens?
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
5
Lição 19 Quais as características e propósitos da nossa liturgia?
Lição 20 Como é o calendário cristão, quais são suas cores e festas
principais?
• CAPÍTULO 3
AUTORIDADE DELEGADA POR DEUS NA TERRA
Lição 21 P o r que é necessária uma profunda compreensão da encarnação
para entender o governo de Deus?
Lição 22 Por que a compreensão da autoridade é uma grande controvérsia
no mundo?
Lição 23 Por que a ordem, a unidade e a autoridade são absolutamente
inegociáveis?
Lição 24 Por que a obediência é o princípio mais importante das
Escrituras?
Lição 25 Quais são as bênçãos da obediência e as maldições da
desobediência?
Lição 26 Quais são os ofícios das Sagradas Ordens?
Lição 27 De que consiste o governo por consenso?
Lição 28 Qual a definição da autoridade delegada por Deus nos casos a
seguir mencionados?
Lição 29 Quais as características bíblicas de um líder? (Como os pais da
Igreja as confirmam?)
Lição 30 Como as promessas de Deus são cumpridas? (Como funciona a
economia divina)?
• CAPÍTULO 4
A PALAVRA DE DEUS - O FUNDAMENTO DA NOSSA FÉ
Lição 31 De que consiste o Cânon das Escrituras? (Como foi
desenvolvido?)
Lição 32 Por que o Gênesis é a sementeira da Bíblia?
Lição 33 Por que as genealogias são importantes?
Lição 34 O que significa “Pentateuco” ou “Tora”? Quais são seus temas
principais?
Lição 35 Defina o termo “Aliança” e cite a sua revelação nas escrituras.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
6
Lição 36 O que revelam as diferentes designações de Deus sobre a sua
natureza?
Lição 37 Qual o propósito do ministério dos profetas na terra começando
por Abraão?
Lição 38 Qual o significado dos livros de Sabedoria e Salmos?
Lição 39 Qual o significado dos cinco primeiros livros do Novo
Testamento?
Lição 40 Quais são os principais temas das epístolas paulinas, pastorais e
católicas?
• CAPÍTULO 5
A SÃ DOUTRINA - DESENVOLVENDO UMA COSMOVISÃO CRISTÃ.
QUATRO MODELOS OCIDENTAIS DE PENSAMENTO RELIGIOSO
Lição 41 Quais são os três credos históricos da Igreja?
Lição 42 Qual a definição de trindade desenvolvida ao longo das
Escrituras a partir da narrativa da criação?
Lição 43 Quais são os Dez Mandamentos? Por que eles são relevantes
hoje em dia?
Lição 44 O que nos é revelado na oração que Cristo nos ensinou?
Lição 45 Qual a importância da salvação exclusivamente por intermédio de
Cristo?
Lição 46 Por que a ressurreição de Cristo é o fundamento da nossa fé?
Lição 47 Quais são as características da Igreja?
Lição 48 Defina a pessoa e o ministério do Espírito Santo.
Lição 49 O que significa escatologia?
Lição 50 O que significa vida eterna?
• ANEXOS
ANEXO 1 Decretos dos Concílios Ecumênicos.
ANEXO 2 Como a Cosmologia Cristã e a Teologia mudaram através dos
séculos.
ANEXO 3 Método Exegético para o estudo da Bíblia.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
7
PREFÁCIO
O programa de certificação é apresentado em conformidade com
Direito Canônico 5, C II, sobre a paróquia,
Antes de uma congregação ser recebida como uma plena comunhão da Paróquia, é
necessário que a liderança seja instruída pelo Bispo ou seu representante sobre
As três correntes da fé cristã (sacramental, evangélica, carismática), Princípios de
dízimos e ofertas, Governo por consenso, os cânones e a estrutura
organizacional da Igreja Episcopal Carismática
Em agosto de 2000, o Bispo Douglas Kessler, Diretor Acadêmico do St.
Michael's Seminary, comissionou o Bispo Michael Davidson para ir para o
Quênia e determinar os procedimentos para começar o St. Michael's Seminary,
na África. Pe. Robert Wills viajou com o Bispo Davidson.
Em 2002, o Bispo Dom Holloway Davidson e retornou ao Quênia e em Uganda
para ensinar este Programa para os Bispos e os Cônegos. As alterações e
simplificações posteriores foram feitas pelo Bispo Davidson, e resultaram na
atual estrutura do Programa de Certificação.
Embora o grupo-alvo inicial para este programa tenhja sido o Mundo em
Desenvolvimento, ele foi projetado para orientar qualquer grupo de pessoas
que procura saber quem nós somos, como a ICCEC. O programa também leva
a um estudo mais avançado oferecido pelo St. Michael's Seminary.
O Tema do Programa de Certificação é tornar o Reino de Deus visível.
Você pode ver o Programa de Certificação como um grande navio à vela. Paulo
usa a palavra teleios (Maduro, perfeito) em Colossenses 1:27 b-29, como uma
metáfora para um cristão maduro.
A imagem, em palavras, para Teleios, é um navio
totalmente equipado com brandais (cabos de
sustentação dos mastros) e velas içadas no lugar.
Cada parte do navio simboliza uma fase do
Programa. Isto explicará como você proceder.
Lembre-se que 'nave' significa barco / navio.
Este é um programa que irá orientar todos os que
vêm "a bordo" do navio ICCEC, navegando para as
nações do o mundo, tornando visível o Reino de
Deus.
A Deus seja a glória,
+ Davidson, Michael B.
Teleios!
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
8
ADENTRANDO NA IGREJA UNA, SANTA, CATÓLICA E
APOSTÓLICA
A palavra hebraica olam significa, intemporal, velha, encoberta, oculta, perpétua e
eterna. É um termo plural que fala de unidade e de diversidade. Conseqüentemente,
antigo, refere-se aos caminhos de Deus, caminhos eternos, os retos caminhos dos
divinos ancestrais de Israel, sua maneira de pensar e de agir. Ao perscrutarmos
seus caminhos, vemos que nos levam diretamente ao CAMINHO que devemos
trilhar para a salvação. Nós caminhamos com ele, seguindo o seu modelo, na
companhia dos santos, através da história (Sl 101). Olhe atentamente para trás, para
a história antiga (Dt.32.7) e veja como o sucesso e duradoura prosperidade
cessaram na vida dos seus ancestrais quando eles abandonaram os caminhos
traçados por Deus e seguiram o dos incrédulos (Dt.18.15). Aprenda que não há
outro caminho para bênçãos e salvação senão o temor de Deus (Dt 32.39-40). Esta
é uma caminhada sacramental e católica. Deus (espírito) faz-se visível (físico) nas
Sagradas Escrituras e na história. Iremos ver que nós nos tornaremos, somente na
medida em que nos transformarmos em Cristo, o caminho, a verdade e a vida. Este
é o objetivo do tempo que passaremos juntos: transformação em Cristo.
As lições seguintes o guiarão no processo de transformação. Do mesmo modo que
em qualquer outra jornada, haverá atalhos que não são bíblicos e que devem ser
rejeitados. Isto demandará uma decisão sua, uma escolha. Você vai completar a
jornada? Você vai demonstrar que entendeu o caminho cristão? Você vai se
comprometer com este caminho e demonstrar o seu comprometimento através de
uma vida transformada em Cristo? Você será fiel e leal a esta comunidade de
crentes? Nós teremos oportunidade de responder a todas estas questões.
Diz-se que a Igreja primitiva não correspondia à cultura do seu tempo; ela era uma
cultura em si mesma. Conseqüentemente, demorava-se até 3 anos para se tornar
um membro da Igreja. Atualmente nós somos por demais accessíveis na nossa
abordagem do cristianismo. Nós esperamos mudar isto. A Catedral deve ser
imponente. Deve levar a pessoa a pensar antes de entrar. A pessoa que vem à
Igreja pela primeira vez deve se sentir, de certo modo como “estranho no ninho”,
deve sentir que aquela comunidade está
engajada em práticas tão importantes que demandaram tempo para serem
aprendidas. O melhor que nós podemos oferecer aos que chegam é criar um
ambiente onde os visitantes sintam algo vital, a necessidade de aprender e
percebam que isto é uma disciplina. Poucas pessoas percebem isto atualmente. Mas
na Igreja primitiva este fato era muito bem percebido.
Conseqüentemente nós oramos ansiosamente para que a unção do Espírito Santo
torne visível um vazio em sua vida. O Deus Triuno é o Senhor de todas as coisas
visíveis e invisíveis. Ele dar-lhe-á a conhecer as coisas que o prejudicam e as que o
abençoam. Como resultado você perseverará em Cristo e na sua Igreja e realizará o
plano de Deus em sua vida. (Cl 1:27b-29).
Queira Deus abençoá-lo ricamente nos seus passos pelos antigos caminhos
conduzindo-o em amor. Juntamente com o Pai, o Filho e o Espírito Santo.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
9
DECLARAÇÃO DE IDENTIDADE DA ICCEC
Somos homens e mulheres de fé vindos de diversas origens em busca de uma igreja
que seja totalmente sacramental-liturgica, evangélica e carismática; uma igreja
submetida à autoridade das escrituras, como interpretada pelo testemunho
permanente da Igreja Antiga e dirigida por Consenso. Nossa adoração é bíblica,
litúrgica e cheia do espírito, antiga e moderna, santa e alegre. Nosso empenho é
fazer avançar o Reino de Deus para os pequenos, perdidos e solitários.
UMA IGREJA TOTALMENTE SACRAMENTAL-LITURGICA: O centro do culto é o
Sacramento da Santa Eucaristia (Ceia do Senhor), que acreditamos ser a presença
real de Cristo. Celebramos as formas históricas da liturgia da Igreja e os sete
Sacramentos: Batismo, Confirmação, Santa Eucaristia (Ceia do Senhor), Confissão,
Cura, Santas Ordens e Santo Matrimônio.
UMA IGREJA TOTALMENTE EVANGÉLICA: Somos uma Igreja que tem em alta
estima as Sagradas Escrituras do Antigo e do Novo Testamento, acreditando que
elas contêm todas as coisas necessárias para a salvação, e que nada pode ser
ensinado como necessário a salvação que não esteja nelas. Estamos empenhados
no cumprimento da Grande Comissão. Acreditamos que somos salvos apenas pela
Graça e justificados pela fé em Cristo, que nos chama para um relacionamento
pessoas com Ele.
UMA IGREJA TOTALMENTE CARISMÁTICA: Somos uma Igreja aberta ao histórico
trabalhar do Espírito Santo. Acreditamos que através do batismo do Espírito Santo os
crentes estão habilitados a participar plenamente do ministério. O Batismo do
Espírito Santo libera no crente os dons e frutos do Espírito para a edificação da Igreja
e o avanço do Reino de Deus.
GOVERNO POR CONSENSO: Somos uma Igreja dirigida pelos Bispos em sucessão
apostólica que são humildemente submetidos a direção do Espírito Santo e uns aos
outros. Somos uma casa de oração em todos os níveis de governo, desejando ouvir
a voz de Deus. As decisões são tomadas no conselho após chegarmos ao consenso.
A Igreja é administrada pelas ordens dos Bispos, sacerdotes, diáconos e leigos.
Todos os cristãos batizados são ministros da Igreja.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
10
Manual do Estudante
5 CAPÍTULOS – 50 LIÇÕES
Data Passo/Questão Período do
seminário
Cap. 1:
Como posso eu desenvolver Identidade, um
propósito, uma visão, uma missão e uma filosofia
de ministério?
Identidade
Conquista Pré-catecumenato
1. Qual é o seu objetivo na vida?
2. Qual é a sua visão?
3. Qual é a sua missão?
4. Qual é a sua filosofia de ministério (metas e
resultados)?
5. A quem você está sendo chamado a servir?
6. Onde você está sendo chamado a servir e
permanecer?
7. Como você está sendo treinado e assistido?
8. De que modo a sua família tem confirmado o
chamado de Deus?
9. Como você reconhece o chamado de Deus na sua
vida e qual é ele?
10. Como o seu bispo tem confirmado o chamado de
Deus na sua vida? Qual a visão?
NOTAS
CAP. 2:
Como Deus se revela através de visões, sinais e
símbolos?
Envolve
Conquista: 1 a 3 anos Pré-catecumenato
11.Qual é a sua visão da ICCEC?
12.Em que consiste a adoração convergente?
13. O que é revelação?
14. O que é o Reino de Deus?
15. Quais são os sete Sacramentos?
16. Por que a Eucaristia é o centro da nossa adoração?
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
11
17. Qual o objetivo das vestes clericais?
18. Qual a importância dos sinais, símbolos e ícones?
19. Qual a forma e o propósito da liturgia?
NOTAS
CAP 3:
Em que consistem o Governo por consenso e a
autoridade delegada por Deus?
Investimento
Compromisso/ ritual de aceitação Catecumenato
21. Por que é essencial a compreensão da
encarnação?
22. Por que a autoridade tem sido uma controvérsia
através dos tempos?
23. Por que a ordem, a unidade e a autoridade são
inegociáveis absolutos?
24. Por que a obediência é o princípio bíblico
fundamental?
25. Quais são as bênçãos da obediência e as
maldições da desobediência?
26. Quais são os ofícios das Sagradas Ordens?
27. Em que consiste o Governo por Consenso?
28. Qual a definição da autoridade delegada por Deus?
29. Quais as qualificações bíblicas para a liderança?
30. Como são cumpridas as promessas de Deus?
NOTAS
CAP 4:
Por que é a palavra de Deus o fundamento da
nossa fé?
Investimento
Adesão Rito de aceitação Catecumenato
31. Em que consiste o cânone das Escrituras?
32. Por que o Gênesis é a sementeira da Bíblia?
33. Por que as genealogias são importantes?
34. O que é o Pentateuco, ou Torah?
35. Defina Aliança?
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
12
36. O que as diferentes designações de Deus revelam sobre a Sua
da sua natureza?
37. Qual o propósito do ministério dos profetas?
38. Qual o significado dos livros da Sabedoria e da
Adoração?
39. Qual o significado dos cinco primeiros livros do
Novo Testamento?
40. Quais os principais temas das epistolas paulinas,
pastorais e Católicas?
NOTAS
CAP 5:
Em que consistem a Sã Doutrina e cosmovisão
cristã?
Crescimento
Preparação para o matrimônio/ rito de eleição Iluminação
41. Quais são os 3 credos históricos? Apresentação dos
credos e oração do
senhor
42. Qual a noção de Trindade que é desenvolvida nas
Escrituras?
1º escrutínio/
exorcismo
43. Quais são os dez mandamentos? 2º escrutínio/
exorcismo
44. O que nos é revelado na oração que Jesus
ensinou?
3º escrutínio/
exorcismo
45. Qual a importância da salvação somente em
Cristo?
46. Por que a ressurreição de Cristo é o fundamento da
nossa Fé?
47. Quais são as características da Igreja?
48. Defina o propósito e o ministério do Espírito Santo?
49. O que é escatologia?
50. O que é vida eterna?
51. O resto de sua vida?
NOTAS
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
13
Data ANEXOS Crescimento
1. Os decretos dos concílios ecumênicos.
2. Como a cosmovisão cristã mudou através dos
tempos?
3. Método exegético de estudo das Sagradas Escrituras.
4. Exames do Programa de Certificação e conteúdo
bíblico.
NOTAS
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
14
CAPÍTULO 1
UMA VISÃO PESSOAL DA REALIZAÇÃO DO PLANO DE DEUS NA SUA VIDA
O CAPÍTULO 1 é de natureza eminentemente pessoal. Nele você é desafiado
a sondar profundamente o seu coração. Qual é o fardo da sua vida e do seu
ministério? O que o Espírito Santo colocou em seu coração como desejo dele, para
ser visto pelo corpo de Cristo? Qual é o seu chamado pessoal?
Por exemplo, você pode dizer: ”Eu quero ser um soldado do Senhor”. Mas
existem várias maneiras de ser soldado, qual é a sua? Um fuzileiro naval, um piloto,
um enfermeiro? O Senhor deseja que, juntamente com o seu bispo, você defina o
seu objetivo e a sua missão. Você permitirá que ele o modele e que só o libere no
seu próprio tempo?
O CAPÍTULO 1 o ajudará a se conectar com o seu coração. Você escreverá
seus objetivos, sua visão, sua missão e sua filosofia de ministério. Em anexo você
encontrará um exemplo e uma folha para ser preenchida.
Debaixo de muita oração, faça todo o esforço possível para escrever o que o
Senhor colocou no seu coração. Faça isto junto com o seu Bispo ou com um
representante dele. O seu objetivo e visão devem ser compatíveis com os dele. Nós
ministramos interagindo, e não como indivíduos autônomos.
Sem a Iluminação do Espírito Santo, não se pode descobrir a verdade
celestial e a vocação. Isto deve ser iluminado a partir das Sagradas Escrituras e da
tradição dos antigos Pais da Igreja. Sem a visão de Deus para a sua vida e sem
orientação do seu Bispo, você caminhará no escuro e sem rumo. Onde não existe
rumo o povo perece.
A tabela abaixo vai orientá-lo a escrever seu propósito. visão, missão e
filosofia de ministério.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
15
Definição A que responde Orientação
Propósito Por que existo? Razão bíblico-teológica
Visão O que eu vejo para realizar Imagem visual mental
Missão
Como vou realizar o meu
propósito?
Objetivos e dificuldades do
plano
Filosofia de
Ministério
Por que eu faço o que estou
fazendo?
Resultados /metas
Quais virtudes modelam a
minha vida ?
Um objetivo sem uma visão é tedioso.
Uma visão sem uma missão é um sonho.
Um objetivo, uma visão e uma missão são vitória
LIÇÃO 1
QUAL O SEU PROPÓSITO? POR QUE VOCÊ ESTÁ AQUI?
Ter um propósito, ou significado na vida, é uma das características do ser racional.
Todos nós queremos ter um propósito nas nossas vidas. Todos nós queremos saber
“por que estamos aqui?” Certos que somos da existência de um Deus, não faz
sentido que querer agradar a ele seja o propósito supremo de todas as criaturas
inteligentes? Agora, Paulo entendia que a morte não era capaz de destruir este
propósito. Ela destrói o objetivo dos incrédulos, sendo, portanto temível para eles.
Mas não destrói os propósitos dos cristãos, para quem em todo tempo e lugar o
propósito principal é ser aceito por Deus, glorificá-lo e gozar para sempre a sua
presença.
Leia os textos a seguir:
2ªCo. 5:8-10 - Ex. 9:16 - Sl. 20:4 - Lc. 4:43
Alivie ataques violentos (de doença) por meio de medicações suaves. Em todas as
coisas sê ”sábio como a serpente e manso como a pomba”. Com este propósito
foste criado, na carne e no espírito, para que tu possas usar de ternura para com
aqueles (maléficos) que visivelmente se apresentam diante de ti. (Epístola de
Inácio a Policarpo: exortações Capítulo 2)
Encheu-se nossa boca de riso e a nossa língua de cânticos”, ao recebermos sua
carta informando que graças à ajuda daquele Deus, cuja inspiração os tem guiado,
vocês têm posto em prática os seus piedosos propósitos relativos à todas às nossas
santas ordens e, especialmente aquelas relativas à regular pregação de sermões
por presbíteros, por meio de cujas línguas impregnadas de amor, calarão mais fundo
nos corações do que a sua voz nos ouvidos dos homens. Graças a Deus.
(Agostinho: Carta XLI)
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
16
Qual dos escritos apresentados nos fala do nosso propósito na vida?
Por que você acha que é importante ter um propósito na vida?
Qual o seu propósito na vida?
EVIDÊNCIAS DA FALTA DE PROPÓSITO
Atitudes que podem
refletir a
FALTA DE PROPÓSITO
Generalizações e percepções
Indecisão Quando pessoa não tem metas objetivas de longo prazo,
pelas quais possa avaliar cursos de ação, torna-se difícil
tomar decisões.
Medo de fracasso
Quanto mais bem definidos forem as metas futuras de uma
pessoa, menos ela sentirá medo do fracasso. A pessoa
estará apta a traduzir os fracassos do presente em direções
mais precisas para atingir as metas do futuro.
Prioridades
equivocadas
Sem metas corretas torna-se difícil estabelecer prioridades
adequadas. Quando se defronta com exigências de tempo
e atenção, é necessário ter metas que determinem em que
se envolver.
Tédio
O tédio é experimentado pelo indivíduo que nada
desenvolve, nem integra as suas habilidades para um
objetivo.
Insegurança
Como o seu mundo se restringe às circunstâncias
imediatas, qualquer modificação lhe causa profunda
insegurança.
Preguiça
De fato, o que pode parecer preguiça é, na verdade, uma
fuga da sua esfera de responsabilidade.
Vaidade
Como tem o seu foco no presente mais do que no futuro, é
sempre mais fácil investir tempo, dinheiro e energia em
empreendimentos vazios, sem qualquer valor.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
17
Busca do prazer
Para afastar o tédio e escapar à falta de significados da
vida, e, ainda, para preencher o tempo disponível devido à
falta de objetivos, tenderá a buscar excesso de diversão
que lhe dêem prazer.
Murmuração
Quando ocorrem situações que causam inconvenientes, a
pessoa se ressente com as situações e com as pessoas
que as causaram, por privá-la da sua satisfação imediata.
Não vê como tais situações podem ser usadas para ajudálas
a atingir suas metas.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
18
LIÇÃO 2
QUAL A SUA VISÃO? O QUE VOCÊ ESTÁ SENDO CHAMADO A
FAZER?
A visão somente é autêntica na presença de um
imperativo de fé, associado ao privilégio da visão.
A fé age sobre a visão para preencher os propósitos
de Deus e tornar visível o seu Reino na terra.
Leia os textos a seguir:
Gn.15:1 1Sm.3.15 Hc2.2 At.18.9 Pov.29.18 Ap. 9.17
Com este propósito vós fostes feitos de carne e espírito; para que possais tratar com
ternura os maldosos que se apresentem visivelmente diante de vós. Em referência
aos que não são visíveis, pedi (a Deus) que os revele para que vós nada queirais, e
vos Sejam os dons abundantes. (Inácio: Epístola a Policarpo. Capítulo 2)
Porque ele não nos libertou com este propósito, (isto é) que nós não nos afastemos
d’ele (ninguém que estiver fora do alcance dos benefícios do Senhor terá forças para
por si mesmo buscar os meios de salvação). Mas, quanto mais recebamos sua
graça, mas deveremos amá-lo. Agora, quanto mais o houvermos amado, maior a
glória que ele nos concederá quando estivermos continuamente na presença do Pai.
(Irineu 10.3)
O que nos ensinam estes textos acerca da visão de Deus para o Cristão?
VISÃO é uma paisagem mental. Ore para que o Senhor lhe dê uma imagem do que você
está sendo chamado a fazer.
Por exemplo, Ele deu a Paulo a imagem de um navio a velas, como a imagem da
maturidade cristã (Teleios,Cl 1.27b-29). Teleios é uma vívida imagem mental que vai lhe
motivar a ser maduro, porque você pode VER com o que a maturidade se parece. Uma
pessoa é madura quando as velas estão enfunadas e o cordame em seu lugar.
O propósito e a visão se superpõem. Em alguns versículos citados o pensamento da
visão parece fora do propósito. Também tenha cuidado para todas as referências
bíblicas a SONHOS E VISÕES.
O que você Vê o Espírito Santo lhe mandando FAZER? Qual é a sua imagem mental da
sua vida e ministério? Qual o seu logotipo? Isto irá motivar a você e a outros a realizar o
seu propósito na vida.
O homem que insiste em
ver com perfeita clareza
antes de decidir nunca
decide.
Henri-Frédéric Amiel
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
19
Qual é a sua visão?
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
20
LIÇÃO 3
Qual é a sua missão
Como você vai realizar o seu propósito e visão em sua vida?
Antes de continuar, escreva o propósito e a visão do seu Bispo.
Leia os textos a seguir:
Rm. 9:11 Rm. 12:2 Rm. 15:32 2ªCo. 3:5-6 Ef.1:2 Cl. 4:12
Não, então, amados, Jesus Cristo, nosso Deus e Senhor, não ensinou isto apenas
em palavras, mas ele o fez também em atos. E porque ele disse haver vindo à terra
com o propósito de fazer a vontade do seu Pai; entre outras maravilhas de suas
virtudes, pelas quais ele mostrou as marcas de uma divina majestade, ele também
manteve a paciência e a perseverança em seu Pai . (Cipriano: Tratado 9.6)
Por esta razão. Então, o anjo diz a Daniel “feche (encerrar) as palavras, porque a
visão se manterá até o final dos tempos. Mas para Cristo não foi dito para fechar,
mas para descartar as coisas do passado, para então, pela sua Graça. Conhecer a
vontade do Pai, crer nele e crer que Jesus, nosso Senhor foi enviado para a
salvação dos homens”. (Hipólito de Roma: Comentário sobre Daniel: Capítulo 2,
parágrafo 21)
A MISSÃO é orientada para um objetivo. Ela responde à questão: como eu
vou, ou, como nós vamos, atingir um dado propósito e a visão que me foi dada,
ou que foi dada a nós.
Por exemplo, o Salmo 25 (LB) fala do Círculo de Bênçãos de Deus. O Círculo
pode consistir dos elementos bíblicos do ministério que devem ser trabalhados:
pregar–ensinar-serviço-adoração-fraternidade-equipagem e envio. Os detalhes
práticos devem ser resolvidos em cada uma destas áreas. Isto responderá o
COMO realizar o ministério.
Com a Afirmação da Missão você estabelece objetivos para o ministério. Isto é
um esboço ou plano preliminar de ação para tudo o que você faz. Este
planejamento vai ajudá-lo a estabelecer prioridades e a se manter no caminho
do plano de Deus para a sua vida.
Isto constitui o detalhamento do ministério. Com uma afirmação clara da missão
você saberá quando dizer sim e quando dizer não. Será o seu Procedimento
Operacional Padrão (SOP) para a qualidade do ministério, o manual de
operações dos seus propósitos e visão.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
21
À luz da visão que Deus lhe tem dado, qual no seu entender a sua missão
especifica?
Como você espera realizar a sua missão?
Quais são os passos específicos que você deverá dar para conhecer a
vontade de Deus e realizá-la?
O CÍRCULO TELEIOS
(O CÍRCULO DE BÊNÇÃOS DE DEUS)
Elementos fundamentais para o equilíbrio entre ministério e maturidade cristã
e o que acontece quando não há equilíbrio nos elementos fundamentais,
sendo algum deles super-enfatizado
SUPER ÊNFASE EM RESULTARÁ EM
Proclamação Superficialidade, Imaturidade
Ensino Legalismo e intelectualismo
Comunhão Crescimento para dentro
Serviço Humanitarismo e priorização de boas obras
Adoração Pieguismo sem transformação de vida.
Treinamento Mecanicismo
Envio Isolacionismo
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
22
LIÇÃO 4
Que resultados, ou objetivos, você espera alcançar? Qual é a sua
filosofia de ministério?
Você tem um cronograma para a realização dos seus objetivos?
Uma característica de todos os movimentos de Deus através da história é o
chamado de um homem e não de um comitê. Em Junho de 1992, Austin Randolph
Adler foi consagrado como nosso Patriarca em San Clemente, Califórnia. Este
evento histórico não foi o resultado de qualquer cisma, nem de divisão de grupos de
outra denominação; nós não somos cismáticos, somos proféticos. A ICCEC é uma
obra única que Deus fez nascer no coração de fieis ministros seus, de origem
denominacional e não denominacional. Hoje nós somos 30 bispos,
aproximadamente 1000 igrejas e 600.000 membros comungantes em 20 países de
quatro continentes.
Nosso atual Patriarca, D. Craig Bates (entronizado em 28 de julho de 2008) está
construindo para resultados apostólicos. Ele deseja ver o encontro do apostólico e
profético.
O objetivo, visão e missão do atual Patriarca o Bispo Craig Bates tem produzido
RESULTADOS baseados nas virtudes que o Senhor o levou a construir na CIIEC.
Metas, resultados ou frutos, só Deus pode produzir, não nós (Pv.11:27; Is. 54:23).
Nada acontecerá até que comecemos a sonhar e planejar o sonho de Deus (Ef.
3:20). Na maior parte do tempo nós estabelecemos os nossos objetivos cedo demais
ou tarde demais! Os objetivos dependem da quantidade de tempo de que se dispõe
em um dado lugar, quantas pessoas estarão lá e quais as características daquelas
pessoas.
Ainda, o Pastor deve entender a diferença entre ser um pastor ou um Rancheiro
(acima de 200 ovelhas). É necessário que as pessoas queiram aceitar sua visão.
Logo, ore para que “Deus o ajude a fazer aquilo que ele abençoa” e não para que
Ele “abençoe o que você está fazendo”.
FILOSOFIA DE MINISTÉRIO é uma declaração de fé em relação aos frutos
que você espera do seu ministério. Responda à pergunta: Por que eu estou
fazendo o que estou fazendo ou, por que nós estamos fazendo o que nós
estamos fazendo.
Esta declaração proclama as virtudes (não os valores) do ministério. O que o
Espírito Santo quer produzir nos cristãos? Esta declaração vai moldar a
cultura de sua vida pessoal de seu ministério ou igreja local.
Ex: Nós queremos o crescimento da virtude cristã em todos os membros da
nossa Igreja local.
Uma filosofia de ministério pautada na oração vai ajudá-lo a manter o olhar
em Jesus. Você construirá com base nos Seus princípios e padrões.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
23
Leia os textos a seguir:
1Cr. 4:10; Pv. 11:27; Is. 54:2-3; Ne. 1:6; Fl. 3:14; Ef. 3:20; 2Co. 9:7;
3Pe. 13:14
Eu o exortaria a perseverar na busca da verdade, por haver visto que a boca do seu
coração está aberta para bebê-la. Gostaria também de exortá-lo a prender-se à
verdade com todas as suas forças, como você aprendeu, porque você ainda não
tem manifestado de maneira clara possuir a força de vontade e a fixação em um
objetivo. (Agostinho: Carta XIX)
Nós vos exortamos no Senhor, amados, para vos manterdes firmes em vossos
propósitos e perseverardes até o fim., e se Cristo vos chama para o seu ativo
serviço, preveni-vos contra o aceitardes o chamado, por um lado com espírito
demasiadamente ansioso e, por outro, de declinar dele, cedendo à indolência;
obedecei a Deus com o coração quebrantado, submetendo-vos a ele com
humildade, pois ele vos governa e vos guiará suavemente, ensinando-vos o Seu
caminho. (Agostinho carta XLVIII)
Os homens são escolhidos por Deus para estes propósitos e serão provados.
(Cipriano: Testemunhos 15)
Nota: Vocês são destinados para o sucesso, enquanto fizerem a vontade de Deus
em suas vidas. Vocês foram dotados com a semente da grandeza.
O que é o sucesso? A resposta às questões a seguir o ajudarão a definir o
significado do sucesso para você.
1. O que você acha que é a vontade de Deus para a sua vida?
2. Qual é a sua definição pessoal de sucesso na vida?
3. Como você sabe que está tendo sucesso no cumprimento dos propósitos de
Deus na sua vida?
4. Neste momento, quão perto você está da realização dos propósitos de Deus
na sua vida? Ou, considerada a sua definição de sucesso, você já se considera
bem sucedido?
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
24
5. A começar de hoje, quais os três passos que você deverá tomar para
caminhar em direção à sua definição de sucesso, ao mesmo tempo em que
realiza os propósitos de Deus para a sua vida? Escreva estes 3 passos?
6. Escreva abaixo a sua filosofia de ministério
Agora que você definiu sucesso para você mesmo, observe o que já atingimos! Você
enumerou os 3 passos que o ajudarão a continuar vivendo a sua definição de
sucesso. Estabeleça 3 ações em torno deles e siga adiante para realizá-las.
Há um simples, mas poderoso, modelo de estabelecimento de metas. Ele tem cinco
etapas:
1. A verdadeira meta precisa ser escrita
Sempre tem sido e sempre será. Se não estiver no papel, não é uma boa meta.
2. As metas devem ser bem específicas
Se suas metas não contêm números, não são suficientemente específicas.
3. Para permanecer com o foco na meta, é preciso ter uma data de conclusão.
Muitos sonhos logo se esvaem porque nunca foram escritos com prazos
4. As metas não se realizam sozinhas
As metas são o que você deseja realizar. Uma vez estabelecidas, você
imediatamente começa a pensar em como realizá-las. Suas metas devem ter cursos
de ação específicos; de outro modo, jamais serão realizadas.
5. As metas devem ser priorizadas
Em síntese. Se você tem 10 metas, você deve priorizá-las usando números de 1 até
10. Esta é uma outra maneira de dizer que as coisas mais importantes devem ser
feitas primeiro. Sempre focalize no que foi estabelecido como o mais importante.
1. Quais são as suas metas para os próximos 3 anos? Em 3 anos você chegará
até aonde?
2. O que você espera legar à próxima geração?
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
25
O PORTO TELEIOS PARA AS VIAGENS QUE CONDUZAM À
MATURIDADE ESPIRITUAL
Uma filosofia de ministério e missão para a realização do nosso propósito e visão,
que seja completa (inclua todas as coisas) e integrativa (organizada), que demonstre
a importância prática da intencionalidade (fixação em um propósito) no
desenvolvimento de programas ou ministérios que preencham a visão de mundo da
igreja para indivíduos maduros em Cristo.
Os Princípios do Reino para um Ministério eficaz
O primeiro, a prioridade do Reino é a glória de Deus e a formação de discípulos.
As sete funções primordiais da Igreja são a proclamação, o ensino, a comunhão, a
adoração, o serviço, a equipe e o envio.
Os quatro principais resultados esperados do crescimento da igreja são: crescimento
espiritual, crescimento numérico, crescimento ministerial e crescimento missionário.
ADORAÇÃO – EUCARISTIA
Doxa
Atos 2,46-47 - Coríntios 10-31Glória
PROCLAMAÇÃO
Kerigma
At.1.5; Rom 1.16-17; 1 Jo.5-9
ENSINO
Didaquê
COMUNHÃO At.2 .42
koinonia
At.2-42,46 –Rom 12.10-13
SERVIÇO
Diaconia
2.44-45, 6, Fil 2.5-11
FORMAÇÃ0 DE GRUPOS
katartismo
Ef.7.12 Tim 2.2
ENVIO
Diáspora
Mt.28.19-20; At 13,2-3
APRESENTE-SE CADA UM PERFEITO EM CRISTO JESUS
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
26
OS QUATRO ANCORADOUROS DO SUCESSO BÍBLICO
O princípio da colheita
(Lucas 13.6 em diante)
1. MEMBRESIA O indivíduo deve identificar-se com aqueles que lhe trazem Cristo.
(preparação do solo).
2. MATURIDADE O indivíduo deve envolver-se com Cristo em uma igreja local específica
(semeadura)
3. MINISTÉRIO O indivíduo deve investir em Cristo, descobrir seus dons (irrigação).
4. MISSÃO O indivíduo deve crescer em Cristo usando os seus dons (poda).
Quatro compromissos inerentes ao trazer Cristo, os meios de graça e a
esperança da glória, para indivíduos e grupos de pessoas:
• Inclusão
• Instrução
• Envolvimento
• Investimento nas pessoas
Quatro compromissos que o indivíduo deve assumir para ser um discípulo:
• Tornar-se membro
• Maturidade
• Ministério
• Missão
O centro da fë para quem deseja tornar-se teleios em Cristo:
• Cada pessoa é valorizada como o foco do seu ministério.
• Cristo valoriza as pessoas e as suas necessidades acima de qualquer
programa ou de atividade religiosa (Mt.9.36; 12:11-12)
• Nós servimos melhor a Cristo quando nosso serviço está voltado para atender
as necessidades da6 pessoas (Mt.26:40).
• A Igreja existe para servir a Deus através do serviço às pessoas (Jo.1:27).
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
27
CARACTERÍSTICAS DE UMA PESSOA TELEIOS
(As sete virtudes da maturidade espiritual)
FÉ – ESPERANÇA – AMOR
PRUDÊNCIA – FORTALEZA – JUSTIÇA – TEMPERANÇA
AS APLICAÇÕES PRÁTICAS DESTAS VIRTUDES
1. Cada pessoa tem o direito a uma clara apresentação do Evangelho no seu nível
de compreensão.
2. As pessoas precisam de uma bússola moral, bíblica, para as guiar, guardar e
governar através da vida.
3. Cada pessoa tem o seu dom pessoal para ser desenvolvido e usado para o
estabelecimento do Reino de Deus.
4. Cada pessoa tem um propósito pessoal e percepção do crescimento do Reino de
Deus.
SEIS NÍVEIS DE COMPROMISSO
1. Os que aparecem ocasionalmente, na comunidade, fora da Igreja.
2. Os que freqüentam regularmente grandes reuniões (reuniões de massa)
3. Membros da Congregação
4. Membros comprometidos com o processo de amadurecimento
5. Núcleo - Ministros
6. Clero: ministros ordenados
AS EXIGÊNCIAS DE DEUS SOBRE O DESTINO
SÃO ABSOLUTAS
(A PRÁTICA DA VIRTUDE CRISTÃ)
COMPREENDENDO O CARÁTER DE CRISTO
SALMO 26.1 - o clamor pela integridade:
Faze-me justiça, Senhor, pois tenho andado na integridade e confio no Senhor, sem
vacilar
OBJETIVO: Devemos estabelecer e por em prática nos corações nossos e dos
nossos filhos as exigências de Deus para a perfeição moral, isto é, para a
maturidade (Mt. 5.48-teleios), que anuncia as bênçãos de Deus para as gerações
subseqüentes. (Is.58.12).
Gn.1:27
Lv.20:26
Os 4:1
Fl.4:8
Ef .4:17
Pv. 22:6
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
28
A educação dos filhos de Deus é a tarefa mais importante que se pode fazer sobre a
terra, já que esta é umas das atribuições para as quais a igreja existe. Todas as
políticas, todas as guerras, toda a literatura e todas as transações financeiras devem
estar subordinadas a este objetivo, e cada pai e mãe deve preencher cada hora do
dia, pois assim, além de estar realizando o seu próprio chamado e escolha, esta é a
destinação (teleios) para a qual Deus os mantém vivos – esta é a sua atribuição na
vida terrena. (R.L.Dabney)
Imagine: pílulas de caráter ou vitaminas de virtude! Qual deveria ser a meta no
treinamento de crianças? (especificar)
O desenvolvimento da virtude cristã
Virtude : força (Mc.5:30; Pet. 1.3-5), valor, excelência, particularmente excelência e
força moral;(perfeição ou maturidade; força de caráter).
A habilitação para terminar bem! Vestido com Cristo.(Rm.13.14; Pd.2.9).
Tensão entre crença & prática; divino & humano. Fixe a sua vontade.
Virtudes bíblicas: uma imagem do amor de Deus pela terra.abrindo as portas do
destino; a obra do Espírito Santo em nós.
1. VIRTUDES TEOLOGAIS: fundamentos do divino e da fé.
(1) FÉ: Leva-nos a crer na existência de Deus, na sua perfeição e revelação. É o
oposto de infidelidade. (os hebreus em Ex 32).
Exemplo de fé: a prontidão de Abrão para sacrificar o seu único filho ( Gn 22; Is.7:9
(2) ESPERANÇA: Habilita-nos a contemplar e obter a salvação eterna. É o oposto
do desespero e da presunção (Judas – Mt 27:4-5).
Exemplo de esperança: a esperança de Jó em Deus em meio à tribulação.
(3) AMOR: Move-nos para o amor a Deus e buscá-lo fazendo a sua santa vontade.
O oposto é a ingratidão, o ódio. (crucifica-o – Jo.19:4-6).
Exemplo de amor: Maria irmã de Marta; seu amor oblativo por Deus (Lc.10:38-46).
2. AS VIRTUDES CARDEAIS: Exigências de transformação da
natureza humana. Foco no humano & prático.
(4) PRUDÊNCIA: Sabedoria, antevisão. Habilidade para reconhecer e escolher o
que é certo. O oposto é imprudência. (Davi: 2 Sm. 11; Natã confronta Davi).
Exemplo de prudência: Salomão (1 Ki.3:10-28)
(5) JUSTIÇA: Retidão: de acordo com os fatos. Dispõe-nos a reconhecer os direitos
do nosso próximo. O oposto é a injustiça. (José vendido - Gn. 37).
Exemplo de Justiça: O que se deve dar a César e a Deus (Mt.22:21; Mq. 6:8)
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
29
(6) FORTALEZA: Vigor, coragem para suportar o tudo que venha, pelo cumprimento
do dever. O oposto é covardia. (Pedro negou Jesus Mt. 26:69-75)
Exemplo de fortaleza: Estevão (At.7:57-59)
(7) TEMPERANÇA: Controle, moderação. Ser capaz de manter inclinações e
desejos dentro dos limites legais. o oposto é intemperança. (Belshazzar - Dn. 5:12,
14; 6.3).
Exemplo de temperança: Daniel, um homem de espírito excelente (Dn 5.12, 14,6. 3).
AS SETE VIRTUDES MORAIS & OS SETE PECADOS CAPITAIS
TRANCAS BEM LUBRIFICADAS TRANCAS ENFERRUJADAS
Humildade – A oração do Publicano (Lc.
18:10-14)
Orgulho – Absalão (2Rs 15)
Liberalidade – O homem sábio (Mt. 2:11) Avarice – Judas (Mt. 26:14-15)
Castidade – O Cordeiro de Deus (Jn.
1:29)
Luxúria – O filho pródigo (Lc. 15:11-32)
Mansidão – Jesus (Mt. 15:16-20) Ira – Saul (1Rs. 19:10)
Temperança – Controle no comer e no
beber (Dn 1:8, 1:5)
Gula – Belshazzar (Dn. 5)
Amor fraternal – José (Gn. 44:11) Inveja – Caim (Gn. 4,5)
Zelo – Noemi e Rute (Rt. 2:2-3) Preguiça – Israelitas (Es. 32)
NOSSAS METAS PARA O MINISTÉRIO: QUAIS OS RESULTADOS?
Nós firmaremos os alicerces de muitas nações divinas (Is.58:12) desenvolvendo as
virtudes cardeais, das quais a natureza humana depende.
E ação nas
crianças
Respostas sãs às legítimas
necessidades humanas
Virtude
cardeal
Definição
As crianças identificar-se-ão com Cristo,
preenchendo as suas necessidades.
Prudência
Ser SABIO
As crianças envolver-se-ão com Cristo,
preenchendo as suas necessidades espirituais.
Fortaleza
Ser FORTE
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
30
As crianças investirão em Cristo preenchendo as
suas necessidades sociológicas de possuir
Justiça
Ser
HONESTO
As crianças crescerão em Cristo preenchendo as
suas necessidades biológicas de reprodução
Temperança
Ter AUTO
CONTROLE
E DOMÍNIO
PRÓPRIO
As virtudes cardeais repousam sobre as virtudes teologais
(1ª Cor.13-13)
FÉ ESPERANÇA AMOR
Os cristãos foram feitos para pressão (Sl. 4:1) Ilustração dos US SPY Logo: Nós não
necessitamos de ser premidos nas nossas convicções! Os padrões divinos de
caráter são absolutos, não existe relativismo.Nós podemos deixar-nos pressionar
sempre para o perigo ou, o desconhecido porque somos capazes de fazer o mesmo
em Cristo.
A prática e o exercício da divindade irão nos equipar para:
Manter-nos firmes em Cristo (Sl. 26:12)
Veja também as Bem-aventuranças (Mt. 5)
ALGUMAS DEFINIÇÕES:
• BERÇÁRIO: para nutrir, alimentar, dar suporte, para dar lugar ao crescimento e
amadurecimento (teleios, ou crescimento outonal, navegar, armar-se, colocar
trancas e portais em bom funcionamento)
• EDUCAR: conduzir
• TREINAR: restringir, exercitar, puxar, mostrar a direção, disciplinar (salvar a
mente)
• CURRICULUM: percorrer um percurso determinado; correr; o caminho das artes
liberais (a arte da liberdade)
• PERMANECER: destino
• ACADEMIA de akademeia, o jardim. Eu vejo nesta imagem o propósito original
de educação – penetrar no jardim de Deus e ser instruído em seus caminhos
(Pv.22.6).
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
31
POR CONSEQÜENCIA:
• A Educação (o conduzir) tem lugar em um jardim (um lugar organizado; a
criação divina nos rodeia). O jardim implica em termos o domínio sobre a criação e o
ambiente, a Igreja é para ser um jardim, um lugar organizado para Deus. Ressaltar a
beleza para além do caos. Isto é, separa o que é da terra, para Deus (sacramentais).
• O objetivo: treinar ou restringir nossas crianças nos caminhos de Deus (ensinálas
a conhecê-lo) (Pv.22:6).
• O procedimento, ou currículo: este é uma pista de corrida em que a criança está
posicionada. Elas são treinadas na arte da liberdade (artes liberais), como definidas
na Bíblia e na tradição da igreja.
• Os resultados: Uma pessoa poderosa (gibbor) que é firmemente formada em
Cristo (teleios); Cl. 1:27-29 que seguirá firme. (cumprirá o seu destino). Sl 26.12)
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
32
LIÇÃO 5
A QUEM E COM QUEM VOCÊ ESTÁ SENDO CHAMADO A SERVIR?
Um exemplo do Bispo Davidson da ICCEC:
Nós fomos chamados a desenvolver uma estrutura para uma equipe Teleios
(madura, completa) para igreja e missões. A equipe Teleios está dirigida pelas
tensões divinas entre igreja (uma modalidade de instituição) e missões (uma
modalidade de sodalício). Ambas são essenciais para a realização do quíntuplo
ministério estabelecido em Efésios 4.11-16. Igrejas locais e congregações (paraeclesiais)
devem trabalhar juntas em harmonia para que o corpo de Cristo persiga,
sem tropeço, o seu caminho: Mostrar o Reino de Deus às nações de todo o mundo.
A equipe Teleios anseia pela medida da plena perfeição encontrada em Cristo
(Teleios –o navio da maturidade com as velas enfunadas!). (Efésios 6:13.)
Quando entramos em relação com Deus, concordamos em obedecer
incondicionalmente aos seus mandamentos. Concordamos em viver vidas
consagradas e santas perante Deus, e submetermo-nos à sua autoridade (direta e
delegada) e servirmos aos seus objetivos na terra. Deus torna-se nosso Senhor e
Pai e nós nos tornamos seus servos e filhos. Deus tem um plano para a vida de
cada um de nós.
O senhorio de Jesus tem conseqüências éticas! Ele dá significado a todas as outras
forças que têm apenas importância relativa (1, Cor.8:5-6: Col. 2:15). O Cristão é
fundamentalmente liberto da servidão a qualquer coisa ou pessoa do reino humano
(1ªCor. 22:23). O cristão devota-se a servir aos outros como a seu próprio senhor,
em caráter voluntário, mesmo aqueles que detêm o poder. (Mc. 10:42-45). Falar a
palavra Senhor, ou chamar Jesus de Senhor não é suficiente para a salvação. Tal
forma de dirigir-se ao nosso Senhor deve ser acompanhada por ações que
correspondam aos ensinamentos daquele que ressuscitou. Crucificado para o SER
exemplo (Mt.7.21-22; Jo. 13.14-15).
Leia os textos a seguir:
Ef.6:13 Ex. 3:12 Mt.6:24 1 Sm.2:11 At.6:2-3 Rm.1:1
Pela lei, já que foram submetidos à escravidão, utilizando objetos corpóreos de
natureza externa, para instruir a alma obrigando-os a obedecer aos seus ditames,
assim o homem deveria aprender a servir a Deus. Mas a palavra libertou a alma e
ensinou que através dela o corpo seria voluntariamente purificado. (Irineu:
Santificação 13.2)
Eu me regozijo grandemente convosco em Nosso Senhor Jesus Cristo, porque vós
recebestes os seguidores do verdadeiro Amor e os acompanhastes na sua
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
33
caminhada, tratando-os com dignidade, cercando-os em santidade, como um
diadema para os que verdadeiramente são eleitos de Deus e nosso Senhor.
(Policarpo: Filipenses 1:1)
1. O que nos dizem estes escritos acerca do propósito do nosso chamado?
2. Quem é o seu mentor? Com quem você está sendo chamado a servir?
3. Quão importantes são os relacionamentos para o preenchimento dos
propósitos de alguém?
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
34
LIÇÃO 6
ONDE VOCÊ ESTÁ SENDO CHAMADO A SERVIR E A SER FIEL?
A liderança madura será de todo necessário para que se possa preencher a
ambiciosa meta estabelecida pelo Apóstolo Paulo em Cl. 1:27b-29
Esta é a meta de Paulo na vida e pode ser também a nossa.Maturidade não é
algo opcional, mas um mandamento estabelecido pelo senhor em Mateus 5.48:
Sede perfeitos como o vosso Pai do Céu é perfeito (teleios).
Arquimedes (297-121 AC) disse: “Dê-me um ponto de apoio e uma alavanca e
eu levantarei o mundo”. Eu creio que o Senhor reservou um lugar para ser o ponto
de apoio de cada um, para erguer-se, para correr. Nós estamos no lugar (espiritual,
físico e geográfico); nós somos as alavancas de Deus para mover o mundo. A
imagem do homem teleios erguido em um determinado ponto é a imagem da igreja
movendo-se sobre a terra. A primeira perna do ministério é a igreja local, a segunda
perna do ministério é a equipe apostólica, desenvolvendo trabalhos missionários e
plantando igrejas. As duas pernas correm em harmonia com o Bispo, para equipar o
corpo de Cristo, levando a Igreja à plenitude de sua personalidade. Líderes maduros
produzem frutos duradouros, detectando quaisquer distorções que invalidem o
poder da aliança com Deus e liberando o poder para permanecer firmes em Cristo.
A equipe teleios atuará paternalmente na plantação de igrejas saudáveis, a nível
local, regional ou pelo mundo afora, através de gerações.
Leia os textos a seguir:
Gn.12:1-2 Ne 1:9 Pv.27:8 Lc.10:1 At. 16:9-10 1Cr. 1:1-2
1Cr. 7:35 1 Cr. 16.19-20 Gl. 5.13 Fl. 1:2 At. 10:17-19
1. O que nos dizem estes escritos quanto a sermos chamados por Deus para
servir em um lugar específico?
Pedro compara o cristão a uma pedra viva inserida na edificação viva que é a igreja
(1 Pe. 2:4-7). Em outras palavras isto quer dizer que o cristianismo deve ser uma
comunidade. Os cristãos encontram o seu verdadeiro lugar e propósito para a vida
apenas quando está inserido na estrutura da igreja. Nestes dias de individualismo e
auto-suficiência nós devemos nos conscientizar de que o reino de Deus tem sempre
operado corporeamente; primeiro através da nação de Israel e agora através da
igreja. Os dons do Espírito funcionam através da Igreja como um corpo, e ali, uns
com os outros, os cristãos se abastecem de força e coragem enquanto trabalham
juntos, no lugar onde Deus os chamou a servir.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
35
Leia 1º Pe. 2:4-5
2. Fale sobre o lugar e a posição na qual você se sente chamado a servir
3. Como você reconheceu o chamado de Deus e o lugar onde você está sendo
chamado a servir? Como o seu Bispo tem confirmado o seu ministério?
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
36
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
37
LIÇÃO 7
COMO VOCÊ TEM SIDO TREINADO E ORIENTADO
Nós temos que ter uma prontidão incondicional para mudar, como pré-requisito para
sermos transformados em Cristo. Não basta crer; é necessário saber viver nossas
convicções ". (Dietrich von Hildebrand) Sócrates disse: A vida que não é provada
não é digna de ser vivida”. Jesus disse: “A vida que não é transformada não é
digna de ser vivida”. A pessoa transformada em Cristo é teleios.
Arndt e Gingrich, no seu Léxicon, nos falam que o termo grego teleios, em relação
ao trabalho significa, haver atingido o fim, o propósito, estar completo, perfeito.
Referindo-se a pessoas, significa de maior idade, completamente crescida e
amadurecida, um adulto. Platão e outros escritores gregos usaram a mesma palavra
para significar maturidade em contraste com a fase do conhecimento elementar. A
forma verbal significa completar, finalizar, atingir a meta. James Boice, no seu
comentário ao Sermão da montanha menciona que, “Esta palavra significa
completo, tal como quando um navio perfeitamente equipado é lançado ao mar, ou
quando uma legião de soldados totalmente equipada é enviada ao campo de
batalha”. Outra imagem de teleios no sentido moral significa irrepreensível, como
Noé, Jó e Daniel.
O significado básico de teleios no Novo Testamento é maturidade no sentido cristão,
em oposição à imaturidade cristã. As referências às Escrituras que se seguem são
da Bíblia traduzida por Ferreira de Almeida, na versão revista e atualizada no Brasil.
Os cristãos devem ser alimentados por líderes da Igreja. Qualquer que seja o estudo
a ser feito para o crescimento de cristãos, deve, necessariamente, incluir esta
passagem. Paulo afirma claramente que todos nós somos chamados a atingir o
homem teleios, à semelhança com Cristo. Ele compara o homem não-teleios às
crianças cristãs que sem ter qualquer estabilidade de doutrina, são assim lançadas
para lá e para cá pela vida afora. Paulo definitivamente quer que tais crianças
cresçam a ponto de se tornarem homens teleios. Não parece que Paulo esteja
dando aos efésios a opção de permanecer como crianças espirituais. E o Cristo,
enquanto o um homem teleios que ele os está urgindo (os efésios) a imitar, tem
características bastante evidentes da definição que levou Paulo a dizer com certeza
que as crianças não são teleios. Paulo nunca se contentaria em deixar uma igreja
cheia de crianças no estado de não-teleios. Nem nós!
Paulo desprendeu a sua energia apostólica instando com os convertidos dele para
se tornarem, teleios. Paulo tentou equipar todo homem para ser teleios (ele usou a
frase três vezes neste versículo) Ele não só os ensinou para aquele fim, como
também, os admoestou. Isto nos mostra como ele os urgiu e os encorajou, os
empurrando-os, os puxando-os, fazendo-os teleios. Então, nós devemos mudar e
crescer em Cristo.
Não há nenhum atalho para isto. E como nós crescemos? Respondendo diariamente
à graça de Deus que nos ilumina pelo Espírito Santo. Quando nós pecamos
sabemos pedir a graça de Deus e vamos adiante. Cristãos estáticos, inalterados não
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
38
são normais do ponto de vista de Paulo. Obediência à Palavra de Deus nos provê
com o poder ser teleios.
Leia os textos a seguir:
Gn. 14:13-14 Pv. 22:6 1Tm. 3:1-2 2Tm. 2:2 2Tim. 2:15
Mas se há qualquer disciplina na virtude, onde será ela buscada quando você
houver abandonado aquele tipo de aprendizagem? No que me concerne, embora eu
tenha procurado aprender, por causa de meu desejo para ensinar a outros, nunca fui
eloqüente, do mesmo modo que nunca pratiquei a fala em público; mas pela
excelência da causa, não poderia falhar em me fazer eloqüente, para sua defesa
clara e copiosa do conhecimento de divindade e da própria verdade suficiente. (Vol.
7 Pais dos 3º e 4º Séculos--Lactanius 13)
Estas coisas foram fielmente lidas e proclamadas; e para o extremo de seu poder se
acautele, e ensine aos outros que eles têm que se precaver, para não murmurar
contra Deus nas suas angústias e tribulações. (Cartas de St. Agustinho, Segunda
Divisão 6)
Por aquele a quem temeis de todo coração, nosso Senhor, que caminheis em
simplicidade, de acordo com a sua lei. E que também ensineis os vossos filhos,
certificando-se de que eles tenham compreendido e aplicado às suas vidas e que
são capazes de estudar a lei de Deus incessantemente; sabendo que todo aquele
que conhece a lei de Deus será honrado, e não será um estranho onde quer que vá.
(Testamento dos 12 Patriarcas 3:13)
Quando você chega à idade provecta, se chegar, você terá vivido uma longa vida,
até haver sido escolhido, pelas pessoas da cidade ou por seu Bispo, para galgar os
degraus do clero, aja então de modo adequado a um clérigo, e escolha para seu
modelo o melhor dentre seus irmãos. Porque em todo grau e condição de vida o
mau mistura-se com o bem. (Cartas de Jerônimo 125:17)
1. O que nos dizem estes escritos acerca da importância do treinamento
espiritual?
2. Escreva como você tem sido treinado e monitorado.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
39
LIÇÃO 8
DE QUE MODO TEM SUA FAMÍLIA (NATURAL E ESPIRITUAL) CONFIRMADO O
CHAMADO DE DEUS EM SUA VIDA?
Atualmente, tanto a família natural, como a igreja, está fragmentada. Nós, membros
da ICCEC, consideramo-nos como parte de uma Igreja Católica. Isso significa que
nós nos vemos como parte da Igreja Una e Universal de Cristo. Somos uma
IGREJA, e, não, um movimento sectário, denominacional, independente, separado
da unidade da Igreja. Deus é nosso pai, a Igreja é nossa mãe e nós somos todos
uma parte da família de Deus. Mesmo sendo uma comunhão independente, nós
somos parte da Igreja Católica. Nosso chamado é para a Igreja Católica: a família de
Deus.
Leia os textos a seguir:
1ºSm. 16:14-17 Gn. 24:55-61 Gn 48.21-28 Lc.14:26-27
Por isto Jacó, pela bênção do seu pai, assumiu o senhorio sobre Esaú, para que o
filho néscio que era o detentor formal da primogenitura, mas não usou a sua
inteligência, pudesse, mesmo sem querer vir a ser beneficiado pelo seu irmão
prudente. (O Livro de São Basílio no Espírito- Cap. 20)
Neste ponto Gregório enfatiza o motivo de sua partida e do seu retorno. Após a sua
ordenação forçada, ele fala do seu amor à solidão, mas enfatiza, sobretudo, a sua
dificuldade para exercer o Ofício Sacerdotal, suas pesadas responsabilidades e
sérios perigos, bem como na sua própria sensação de indignidade. O seu retorno,
ele diz, foi incitado pelo respeito aos seus ouvintes e pelo cuidado para com os seus
velhos pais: neste caso, pelo medo de perder a sua bênção. (Gregório Nazianzeno
- Prolegomena, Divisão 2, os escritos)
1. Levando em conta estes escritos e sua própria experiência, quão importante
você considera receber apoio espiritual de sua família?
2. Como sua família responde a seus presentes e chamadas no Reino de
Deus? É este um problema ou um impedimento para você?
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
40
LIÇÃO 9
COMO VOCÊ IDENTIFICA O CHAMADO DE DEUS PARA A SUA VIDA
(QUAL É O SEU CHAMADO?)
Nós até podemos não aprovar, mas Deus escolhe quem ele quer para exercer a
autoridade delegada sem consultar os seus escolhidos, ou qualquer outra de suas
criaturas. A autoridade é dada tanto ao obediente como ao desobediente, tanto aos
submissos como aos insubmissos, e tanto aos religiosos como aos descrentes. Toda
a autoridade vem de Deus. As pessoas podem exercer a autoridade delegada por
Deus, sem nem mesmo perceber a fonte de origem daquela autoridade. Quer
estejamos conscientes, quer não, todos nós estamos sujeitos à vontade de Deus e à
Sua autoridade soberana, e cada um de nós tem um chamado particular, que inclui a
medida de autoridade que nos é delegada por Deus.
Jeremias foi um líder que bem exemplificou o princípio do chamamento de Deus. Ele
relutou em exercer a autoridade, mas não se rebelou contra a orientação de Deus.
Ele alegou a Deus a sua juventude, a sua mocidade, a sua inexperiência e a sua
falta de eloqüência; mas, em última instância, escolheu fazer a vontade de Deus (Jr.
1:6-10). Jeremias nasceu de uma família de sacerdotes. em uma aldeia a três
milhas de distância de Jerusalém. Aos 21 anos, recebeu o chamado para ser um
profeta. (Jr. 1:6). O seu chamado e eleição já estavam ordenados desde toda a
eternidade, antes mesmo que ele houvesse nascido; contudo, somente quando
Jeremias reconheceu o seu chamado, foi que o cumpriu, proferindo mensagens de
advertência aos líderes de Israel. (Jr. 1:5; compare a Ef. 2:10). A mensagem de
Isaias era um chamado nacional ao arrependimento, com promessas de perdão e
herança espiritual para os que obedecessem a Deus.
Ele também advertiu quanto ao julgamento de Deus para os que permanecessem na
desobediência (Jr. 11; 6:14; 3:11-15).
Até mesmo debaixo da ingente perseguição que sofria, Jeremias permaneceu atento
e fiel à orientação de Deus. Sempre submisso à autoridade de Deus, até mesmo
quando a sua própria autoridade rebelava-se contra Deus, ele estava sempre pronto
e capaz para obedecer a Deus. Na sua obediência a Deus, ele sofreu açoites,
encarceramento em calabouço, zombarias, sendo até mesmo lançado em um poço.
Ele escapou da morte por um triz (Je. 26:7-16), enfrentou a infidelidade por parte
dos parentes e vizinhos (Je. 11:18-23) e teve o rolo de pergaminho (representando o
trabalho de um ano) rasgado por um encolerizado (Je. 36:20).
Jeremias nos passou o registro da história trágica da recusa de uma nação em
obedecer a Deus. É a história do julgamento de Deus, mas, também é a história do
desejo de Deus no sentido de que todos os homens se arrependam e sejam
salvos.Esta também é a história vitoriosa de um
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
41
homem que se comprometeu com Deus e que se submeteu à sua autoridade. Ele
pôs a vontade de Deus em primeiro lugar, renunciando até mesmo ao conforto e a
segurança de que dispunha na sua vida.
Tal fidelidade ao chamado e à vontade de Deus é o que mantém unidos os líderes
da Igreja. A fidelidade está sendo mantida dedicada, segura, e merecedora de
confiança. A palavra bíblica “crente” é derivada da raiz hebraica que tem o
significado “confiável (em se tratando de uma pessoa), ou” fidedigna em se tratando
de (uma declaração)". Esta é a mesma raiz que nos dá a palavra “amém ". O
significado derivado é o mesmo que descreve fidedigno, seguro e confiável, ou leal.
Moisés e a sua casa eram fiéis a Deus.(Nm. 12:7). O termo “crente” é usado nas
escrituras para descrever a relação de Deus com Israel. O Deus fiel mantém a sua
aliança com o seu povo; e as pessoas fiéis guardam os Dez Mandamentos.
Leia os textos a seguir:
Num. 12:7 Jr. 1:5 Mt. 4:19-20 Mt. 22:1 Rm. 8:28 1ª Cor. 1:1-2
Ef. 4:4
Mas no que concerne aos bispos, nós ouvimos do nosso Senhor que devem ser
irrepreensíveis, livres de todos os tipos de maldade comuns entre homens com
idade não inferior aos cinqüenta anos de idade, porque, para uma tal pessoa parte
das desordens da juventude já ficaram para trás juntamente com as calúnias de
pagãos e as acusações que às vezes são lançadas sobre muitas pessoas, por
alguns falsos irmãos, que não consideram a palavra de Deus. No Evangelho quem
quer que pronuncie palavras improcedentes prestará contas a Deus no dia do
julgamento. “E prossegue:” Pelas palavras sereis justificados, e também pelas
palavras, sereis condenados. “Deixai-o, então, se é possível, ser bem educado. Mas,
se é ignorante, deixai-o, de qualquer modo ter habilidade na palavra, tendo idade
competente. Mas, se em numa paróquia pequena, não for encontrado alguém com
idade avançada, deixai que alguma pessoa mais jovem, mas, com bom conceito
entre os vizinhos e estimada por eles – após prestar exames, com resultados
satisfatórios, seja merecedor do ofício de um bispo, que desconsiderou a mocidade
dele, que ele se tenha conduzido regularmente com humildade, seja ordenado em
paz”. (Constituições dos Santos Apóstolos, Livro II)
Nós somos de atitude e natureza humanas: Somos feitos homens que não
nasceram cristãos. Alguns são chamados para pregadores, como já falamos, outros
para profetas. O ofício que a eles pertence é de predizer o futuro. (Tertulliano-
Apologia, Ch. 19)
Concluindo, como os cristãos primitivos foram achados no lado do Criador e não de
Marcion, todas as suas nações são chamadas seu Reino. (Tertulliano contra
Marcion, Reserve 3, capítulo 21)
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
42
1. O que nos dizem estes escritos acerca do nosso chamado por Deus?
2. Descreva o seu papel no Reino de Deus e como Deus o mostrou a você?
QUALIFICAÇÕES ESPIRITUAIS PARA AS SANTAS ORDENS
Lev. 21:17-20 - Igreja Catedral Rei da Província -Central ICCEC
O exemplo triste de Ló: Ele demorou! (Gen. 19:15-20)
Demorar definido por perguntas, tais como, isso, quê? Por quê? Quando? Vacilar,
relutar, demorar. (Pensamento: Por que Abraão levou Ló com ele? Muitos problemas
foram criados. Tenha cuidado que está com você em ministério.)
“Um homem que é humilhado (demora) pela sua própria culpa, dele não deve
interceder para as faltas de outros”.
Lev. 21:17-20
Veja, Cuidado Pastoral, pp 40-44, através de St. Gregory O Grande.
Como Um Diácono (o Padre, Bispo) não demora!
Seja na época imediata e fora de estação: Pronto para correr na pista Deus o pôs
em. (2 Cor. 10:13)
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
43
LIÇÃO 10
Como o seu chamado se ajusta com o seu bispo, com a paróquia local e com
a visão da ICCEC?
No Antigo Testamento ocorrem cinco formas principais de chamado: Primeiro Deus
chamou Adão (Gn. 3:9); Moisés é chamado junto aos anciãos (Ex. 19:7); e Joel
ordenou a convocação de uma assembléia solene (Joel 1:14).
Segundo, o verbo pode ter o sentido de “encontrarmos esta expressão primeiro em
Gênesis 4:26: " Então começaram os homens a clamar pelo nome do Senhor
(também veja Sl. 79:6; 105:1; Is. 64:7; Jr. 10:25; Sf. 3:9).
Terceiro, chamar é muito freqüentemente usado no sentido de nomear, dar nome às
coisas (Gn. 1:5-30; dia, noite, céu, terra, Gn. 2:19, os animais). Também é usado
para nomes de pessoas (Gen. 25:26, Jacó; 30:6-24, os filhos de Jacó), de uma
cidade (2 Sm. 5:9, a cidade de David), ou de qualidades (em Is. 35:8 um modo e em
Ex. 12:16 um dia é chamado santo).
Quarto, Deus chama através de nome para estabelecer uma Aliança. O chamado de
Moisés (Ex. 3:4-22) e o chamado de Samuel (1 Sam. 3) são bons exemplos.
Quinto, chamar pode ser usado no sentido de chamar a pessoa a si próprio,
reivindicar para posse da pessoa e designá-la para uma missão particular.
Especialmente notável é Isaias 43:1, quando o Senhor enviou Israel: “Eu o chamei
pelo nome; tu és meu" (Is 45:4). Isto aponta para a relação de aliança, na qual o
Israel é chamado à salvação, com a função da testemunha de Deus.
A natureza do chamado de Deus é descrita como a de um Ser Superior (Pl. 3:14),
divino (Hb. 3:1), santo (2Tm. 1:9) chamando. Está repleto de esperança (Ef. 1:18,
4:4). Os cristãos merecedores da tal chamado são instados a conduzir vidas de
acordo com o plano de Deus; (Ef. 4:1; 2Te. 1:11). Também, urge que tenham
certeza do seu chamado e de sua eleição (2Pe. 1:10). Finalmente, os "chamados, e
escolhidos,"estão com o Cordeiro (nota trad. nome do autor ilegível no original.
17:14) indicando que esses a quem Deus chamou (salvou) ele glorificou (Rom.
8:30). O plano está na iniciativa de Deus, não nas ações do gênero humano.
Leia os textos a seguir:
1ªCo 12:4-7 1ªTm. 4:14 2ª Tim. 1:6
Segundo o que está registrado, Timóteo foi o primeiro da paróquia a receber o
episcopado em Éfesos,45 Tito das igrejas em Creta.46 (História de igreja de
Eusebius, Livro III, Capítulo 21.6)
Mas isto não feriu a igreja seriamente, porque Theodotus imediatamente
restabeleceu as atividades e pelo próprio Deus, o Salvador de tudo, se fez o bispo
daquela paróquia. Pelas suas ações ele fez jus ao título e ao oficio de bispo. Porque
pela arte médica ele superou a cura de corpos, e, na arte curativa para almas.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
44
Ninguém o igualou em generosidade, sinceridade, compaixão, e zelo ajudando a
quem quer que precisasse de sua ajuda. Ele também foi dedicado grandemente a
aprendizagem divina. Tal era a pessoa dele. (História de igreja de Eusebius,
Livro VII, Capítulo 28.23)
No seu tempo nós nos familiarizamos com Pamphilus, aquele homem eloqüente, de
vida verdadeiramente filosófica, que foi considerada merecedora do ofício de
presbítero naquela paróquia. Não quão pequena era ela, para revelar o tipo de
homem que ele era, bem como as suas origens. Mas nós descrevemos, em nosso
trabalho especial a seu respeito, todas as particularidades da vida dele, da escola
que ele estabeleceu, e das tentações que ele suportou, em muitas confissões
durante a perseguição, e a coroa de martírio com que ele foi honrado finalmente.
Entre todos os que estavam lá ele realmente era o mais admirável. (História de
igreja de Eusebius, Livro VII, C Capítulo 32.25)
1. O que nos dizem estes escritos sobre o Ministério Paroquial?
2. Como?
3. Propósito
4. Visão
5. Missão
6. Filosofia de Ministério
7. Chamado e Eleição
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
45
ESCREVENDO SEU DESTINO
Propósito: Um guia para equipar os indivíduos cumprindo o destino deles/delas: Um
lugar para estar, correr para o Senhor Jesus Cristo, para a glória de Deus o Pai. (Lc.
16:10-12; 2Tm. 2:2)
1. PROPÓSITO: Por que você existe? Com base bíblica: Como sua vida e
ministério revelarão a glória de Deus?
Por exemplo: O propósito de Jesus era orar o Reino de Deus.
2. VISÃO: O que se espera que você faça? Visual em orientação. Qual a imagem
que existe em sua mente e na de outros no que concerne ao seu ministério?
Por exemplo: Jesus fixou a cruz nas mentes dos discípulos dele.
3. MISSÃO: Qual é o seu ministério agora? Objetivo orientado. As porcas e os
parafusos: Qual é o plano ou, como você vai realizar o seu ministério?
Por exemplo: Jesus concentrou-se no treinamento de 12 homens e estabeleceu a
Eucaristia.
4. FILOSOFIA DE MINISTÉRIO: Por que você quer fazer? Resultado / Meta
orientado. Que virtudes forma o núcleo de sua vida e ministério? Você terminará
bem?
Por exemplo: Jesus estabeleceu o Sermão da Montanha, desafiando os discípulos a
serem perfeitos como seu Pai celeste era perfeito (teleios ou maduros).
Como a linha acima renova a declaração do seu Bispo e o Propósito, Visão,
Missão & Filosofia de Ministério da Igreja Catedral do Rei, seu lugar atual para
estar, correr?
Importância: Em cinco anos você chegará. Mas onde? Siga o formato abaixo e
escreva uma página. Responda cada questão de modo bem específico.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
46
BISPO MICHAEL B. DAVIDSON
PROVÍNCIA CENTRAL - IGREJA CATEDRAL DO REI
COMUNHÃO INTERNACIONAL DA IGREJA EPISCOPAL CARISMÁTICA DA
CIDADE DE KANSAS
Zc 9:11-17
Nosso propósito-visão-missão-filosofia de Ministério.
Cl 1:27b-29
Um lugar para se levantar. Para correr. Tornar visível o VAZIO
Trazer Jesus Cristo, os meios de graça e a esperança, aos que, na área da cidade
de Kansas, se encontram em dúvida, descrença e tristeza.
Incluir todos os que o Senhor nos dá, na sociedade e na família.
Instruir, disciplinando, em Cristo, os que desejam a maturidade, investir neles, como
ação missionária, para que cresçam, amadureçam, velejem seguros no seu
ministério e na igreja (o círculo de Deus está abençoando, Ps. 25LB).
O resultado é tornar visível o Reino de Deus, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, para
glorificar o seu nome.
Uma tarefa sem visão é bobagem
Uma visão sem uma tarefa é um sonho
Uma tarefa com uma visão é uma vitória
IGREJA CATEDRAL DO REI Província-Central ICCEC
Propósito-Visão-Missão-Filosofia de Ministério
Rom 1: 8-12;Ef 6:14; Sl 119:32; Cl 1:27b-29
Obedecer à Comissão Divina
Comissão: Prontidão para o serviço ativo (At 26:19)
Escreva (Pv. 7:3; 29:16)
Ex 18:19-22: Intercessão-Ensino-Visão-Plano-Liderança-Delegação
1. Nós somos chamados para tornar visível o significado definitivo da vida. Retidão,
paz e alegria; salvação, cura, poder e esperança só serão achadas na vida do Reino
(regra) de Deus, o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Este Evangelho é revelado nas
Escrituras Santas do Antigo e Novo Testamento e é ensinado pelos Pais da Igreja
Católica/Ortodoxa primitiva.
2. O time de teleios alcançará com amor aqueles que estão em dúvida, angústia e
tristeza, trazendo-os com suavidade para maturidade teleios: pleno, crescido,
completo, velejando firmes, e, em terra, com muralhas e portões no devido lugar.
Dependendo do modo como eles responderem à graça de Deus em Cristo, estarão
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
47
firmes e sairão adiante como uma seta, (Zech. 9:11-17), plantando igrejas e
promovendo a reconciliação entre Deus e homem.
3. Nossa Catedral tem uma GRANDE Missão: COMO nós planejamos realizar
nossa visão (Ps. 25:12-14 LB)? Nós realizaremos nossa missão pela providência da
Aliança com Deus, as quais só são achadas em Cristo. A Aliança com Deus pode
ser ilustrada como, O círculo de Deus abençoando (Ps. 25: 12-14 LB). Os aspectos
bíblicos chaves desta Aliança são proclamação e ensino, fraternidade, adoração,
instrumentalização e envio. A exposição a todas estas áreas produz um teleios, isto
é, um homem de Deus.
4. Nossa Catedral tem uma Filosofia BÍBLICA de Ministério: O RESULTADO:
Virtude Cristã (Jn. 15:2) O homem de teleios manifestará as virtudes de prudência,
fortaleza, temperança e justiça. Estas verdades repousam nas virtudes teologais de
esperança de fé e amor. A disposição interna (devido a regeneração) e o
comportamento exterior (devido a santificação) será orientado justamente pelo Deus
Triuno, como revelou em Escritura e como ensinou pelos Pais da Igreja. O
homem de teleios identificar-se-á com Cristo e cumprirá a sua necessidade espiritual
de ser. Resultado: Prudência ou sabedoria. O homem teleios, envolvido com Cristo,
cumprirá a necessidade psicológica de pertencer. Resultado: Fortaleza ou força. O
homem de teleios se investirá em Cristo e cumprirá a necessidade para possuir.
Resultado: Justiça ou sendo íntegro e verdadeiro. O homem de teleios crescerá em
Cristo e cumprirá a necessidade para procriar. Resultado: Temperança ou
autocontrole e restrição. Nós somos transformados em Cristo por uma prontidão
incondicional para mudar. Nós correremos segundo o que nos ordenar o Senhor,
porque ele liberta nossos corações. Nós seremos capazes para estar a sós, porque
nós estamos juntos em fé, esperança e amor. Nós faremos visível o Reino de Deus
na terra em nosso lugar de levantar para correr.
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
48
O PLANO DE DEUS PARA CRESCIMENTO MADURO
Ef. 4:11-16 1Co. 14:20 - Cl. 1:27b-29 Hb. 13:7,17
Propósito: mostrar que a atitude bíblica do Ministério de Cinco Dimensões (o
Apóstolo-profeta-evangelista-pastor-professor, e o teleios se equivalem) dará força
religiosa para LEVANTAR-SE firme em Cristo, na Igreja que conduzirá ao domínio
de Cristo em toda área de vida.
O denominador comum de todo crescimento bíblico é FÉ.
Três enfoques para vida: Risco, vigilância, e empreendimento.
Paulo arriscou a sua vida (Atos. 15:26). Em Mt. 25 há outros relatos de risco. Então,
fracasso se redefine. Não temer arriscar nada para Deus. Veja Gl. 6:4.
Nós acreditamos no que Deus pode fazer. Sonho tão grande só o Senhor pode
realizar.
Sua atitude EXPECTANTE: Amadureça, crescimento é saudável!
Espere que Deus aja! Mt / 9:29-Na medida de sua fé!
Não limite o Santo de Israel!
Sua Perseverança DETERMINADA: Queime seu barco para Deus! Nenhuma volta
atrás!
Nota histórica: Os gregos antigos queimavam os seus barcos para não ter a
tentação de voltar!
Lc. 9:62 -Se você olha atrás, você não está ajustado ao Reino de Deus.
Gal. 6:9 -Não caia fora, deixando uma lacuna.
Pv. 24:16 -Mesmo que o homem caia sete vezes, ele ergue-se novamente! Deus
nunca termina qualquer coisa em um negativo.
Confiança: Fé em Deus. Nenhum medo de sucesso.
Lembre-se:
Um cristão maduro responde à graça de Deus, puxando na corda de
esperança!
MORRA SUBINDO EM DIREÇÃO A DEUS!.
O Princípio de Colheita
A Rede de Deus: Uma Ferramenta para a Colheita
Lc.13:6 - Jo 10:10; 15:2
Propósito: Dá-nos perspicácia para compreender como a Vida Cristã trabalha e
repara as nossas redes, para que nos levantemos (cumpramos nosso destino em
Cristo), resultando em plenitude de frutos (sucesso) na glória de Deus.
Existem muitas “redes”; Como nós podemos evitar as falsas “redes”?
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
49
• Deus é glorificado por sucesso (fruto): Veja João 15. Se não produz, corte! (é
podridão no Reino de Deus)
• Mesmo vendo as coisas a partir de diferentes pontos de vista, é necessário
discriminá-las.
• Mesmo com idéias tão diferentes, é importante ver o padrão de Deus para o
sucesso, bênção e frutos. Ver Lc 13:6 em diante.
Prepare o solo: oração (v.8) identifique sua necessidade espiritual; tome uma
decisão (energia/vontade)
Semeie a semente: Envolva-se seja disponível (dedicação)
Dê testemunho (v.8)(psicológico) pertencer
Regue: Invista; estude; prepare-se. (disciplina)
Interceda.Visite: (sociológico), tome posse,
Veja amadurecer: cresça em saúde e maturidade. Detalhes
Frutifique (v.9): Biológico: pequenas coisas
“Nós não somos os possuidores de nada, somos mordomos de tudo. Deus tem o
direito de posse. Nós temos que viver ao seu nível de expectativa".
Dr. Edwin Louis Cole
Comunicação é a base da vida
Equilíbrio é a chave da vida
Mutualidade é o processo da vida
Concórdia é a força da vida
SEMINÁRIO DE ST. MICHAEL
PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO
50

Nenhum comentário: