quinta-feira, 7 de junho de 2012

BATISMO EM ÁGUAS


BATISMO EM ÁGUAS


ESBOÇO 433
TEMA: BATISMO EM ÁGUAS

No cristianismo a doutrina do batismo é de fundamental importância, e, neste breve estudo, abordaremos alguns pontos interessantes sobre o batismo em águas e considerações relevantes quanto à interpretação bíblica, na qual embasamos a nossa fé e o cumprimento das ordenanças divinas, da vontade de Deus para a sua igreja.

Significado
a) Imersão, sepultamento de pecados, confissão pública da fé;
b) É comparado com o sabão dos lavadeiros (Ml 3.2); a purificação do templo (Jo 2.16); é importante ressaltar que o batismo não é salvação, embora seja para os salvos (Lc 23.43),

Batismos Considerados Biblicamente
a) O batismo no Espírito Santo, resumidamente, é uma concessão especial, sendo através da graça de Deus, um revestimento de poder celestial, imersão nas profundezas do Espírito Santo (Lc 24.49; At 2.1-4).
b) O batismo em águas é a identificação com Cristo, indicando que o crente morreu para a velha vida e entrou em novidade de vida, mediante a redenção de Cristo (Cl 2.12), simbolizando que o crente se identificou com o corpo de Cristo, a igreja, dando testemunho público da sua fé (I Co 12.13). Simbolizando, também, a purificação dos pecados que ocorre no momento da conversão (At 22.16);
c) A bíblia também cita o batismo na morte de Jesus, que ocorre quando um pecador se arrepende, entregando-se a Cristo; é como se ele tivesse imergido na graça de Deus, é o simbolismo da união com Cristo em sua morte, sepultamento e ressurreição (Rm 6.3,4), trata-se de aceitação do sacrifício de Jesus Cristo que é capaz de nos lavar do pecado.

O Batismo de bebês
1. O Pedobatismo não é praticado em nossa igreja pelo fato de uma criança não ter a consciência do pecado, os que batizam crianças acreditam que o batismo é necessário para salvação e que o ato (do batismo) traz em si regeneração, e para dar ênfase a esse argumento dizem que a fé das crianças é substituída pela fé da igreja.
2. Porque fere frontalmente a doutrina bíblica (At 2.41,42);
3. Porque a salvação é individual, embora tenhamos obrigação de conscientizar os nossos filhos, e criá-los no temor da palavra de Deus (Pv 22.6). O batismo em si não salva, embora todo salvo sinta o desejo de ser batizado, tanto em águas quanto no Espírito Santo (Lc 23.43).

Quem pode ser batizado e Quando fazê-lo?
1. Os que professam a fé. Ex: Os que creram no dia de pentecostes (At 2.41); A casa de Cornélio (At 10.47,48); O carcereiro de Filipos (At 16.31-34); Os maiores de 12 anos, com o consentimento dos pais.
2. Os que, preferencialmente, já passaram pelo discipulado da nossa igreja, já tendo conhecimento das doutrinas básicas da igreja;
3. Os que são casados civilmente e os que não têm impedimentos;
4. Quando se tem desejo pessoal (At 8.36);
5. Quando o congregado quer ter compromisso com a igreja

Onde e Como Batizar?
1. O batismo por aspersão ou efusão, é aquele no qual é borrifada ou derramada água sobre o batizado;
2. O batismo por imersão é aquele praticado por nossa igreja, no qual o batizado imerge por completo na água. Compreendendo a concepção bíblica da imersão adotada por nossa igreja, era preciso águas abundantes (Mc 1.10) Jesus saiu da água (Jo 3.23). João batizava onde havia muitas águas (At 8.36-39). Filipe batizou o eunuco num lugar onde havia água, a água que o eunuco transportava, era comum aos viajantes, e não foi o suficiente para batizá-lo. A água significa o sangue de Jesus que nos purifica de todo o pecado, significa também o sepultamento de pecados e o renascimento para uma nova vida, mas é preciso a totalidade, sendo salvo completamente (I Ts 5.23). O Batismo em águas é realizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Mt 28.19)

Qual a importância do Batismo nas águas para a Fé Cristã?
1. A importância de seguir as pisadas do Mestre. Jesus foi batizado, ele foi o maior exemplo para os cristãos (Mt 3.13-17; Mc 1.9-11; Lc 3.21,22; Jo 1.32).
2. Porque precisamos ter um redil, não podemos ser ovelhas sem pastor (Jo 10.16).
Todos nós, os salvos, sentimos o desejo de nos apropriarmos das bênçãos que Deus (nos) disponibiliza aos seus através da sua igreja genuína; no entanto, precisamos ter identidade denominacional, fazermos parte de uma igreja local, com a qual temos familariedade, sendo assíduos, obedientes, querermos livremente ser acompanhados e vivermos congregados até a volta de Jesus (I Co 15.58).
Pr. Elis Clementino – Itapissuma –PE/Brasil

Nenhum comentário: